Abrir menu principal
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde abril de 2012). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.

Ricardo Akinobu Yamauti (São Paulo, 22 de outubro de 1949) é um engenheiro civil, construtor e político brasileiro, tendo sido eleito prefeito da cidade de Praia Grande para o mandato de 1997 a 2000.[1]

CarreiraEditar

Vice-prefeito no primeiro mandato de Alberto Mourão, Ricardo Yamauti foi eleito seu sucessor nas eleições de 1996 com mais de 56 mil votos numa época em que o município possuía cerca de 150 mil habitantes. Esse percentual representava 79,5% dos votos (85% dos votos válidos),[2] o maior percentual alcançado na região da Baixada Santista e um dos maiores do país.

Foi na sua gestão que aconteceu a reforma e ampliação da Biblioteca Presidente Médici, na época com 21.074 exemplares catalogados de acordo com o sistema de catalogação decimal Melvil Dewey (CDD). Após a reforma a biblioteca passou também a ceder o espaço para apresentação de peças teatrais, encontro de poetas da Casa do Poeta Brasileiro de Praia Grande e diversas outras atividades culturais.[3]

A principal crítica ao seu governo foi sobre a flexibilização de leis, como a criação da lei que permitia contratar professores e professoras autônomos, considerada como falta de responsabilidades cívica e social por ser inconstitucional, arrebatando dos trabalhadores direitos consagrados no tempo.[4]

Além do executivo cariate, Ricardo Yamauti também foi Diretor Regional do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP)[5] e Presidente da Agência Metropolitana da Baixada Santista (AGEM).[6]

Referências