Richard Dixon Oldham

Richard Dixon Oldham (Dublin, 31 de julho de 185815 de julho de 1936) foi um geólogo britânico que fez a primeira identificação clara das chegadas separadas de ondas P, ondas S e ondas de superfície em sismogramas e a primeira evidência clara de que a Terra tem um núcleo central.

Richard Dixon Oldham
Nascimento 31 de julho de 1858
Dublin
Morte 15 de julho de 1936 (77 anos)
Cidadania Reino Unido, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda
Progenitores
Ocupação geofísico, geólogo, sismólogo, fotógrafo
Prêmios

VidaEditar

Nascido em 31 de julho de 1858, filho de Thomas Oldham, um Fellow of the Royal Society e geólogo, Oldham foi educado na Rugby School e na Royal School of Mines.[1]

Em 1879, Oldham tornou-se superintendente assistente do Geological Survey of India, trabalhando noHimalaias. Ele escreveu cerca de 40 publicações para o Levantamento sobre assuntos geológicos, incluindo fontes termais, a geologia do Vale do Son e a estrutura do Himalaia e da planície do Ganges.[2] eu trabalho mais famoso foi em sismologia. Seu relatório sobre o terremoto de Assam em 1897 foi muito além dos relatórios de terremotos anteriores. Incluía uma descrição da falha de Chedrang, com elevação de até 35 pés e relatou acelerações do solo que excederam a aceleração gravitacional da Terra. Ele também incluiu relatos de ondas terrestres que podiam ser vistas viajando pela planície e de trombas d'água.[3][2] Durante a estação fria após o terremoto, a Pesquisa realizou uma retriangulação de parte da área que havia sido inicialmente pesquisada em 1860. Eles encontraram deslocamentos de até 3,6 metros tanto em distâncias quanto em alturas, substancialmente maior do que poderia ser devido a erros. Este foi um dos primeiros relatórios de tal nova pesquisa.[2]361-371

A contribuição mais importante de Oldham para a sismologia foi a primeira identificação clara das chegadas separadas de diferentes grupos de ondas, detectadas por sismogramas em locais distantes. No relatório do terremoto de 1897 ele apresentou dados, principalmente de estações na Itália, que mostravam três fases. As primeiras a chegar, as ondas P ou Primárias, foram ondas de compressão, que ele chamou de condensacionais. Em seguida, vieram as ondas S ou Secundárias, com movimento lateral, que ele chamou de distorção. A terceira fase foi de grandes ondulações. Os tempos de chegada dessas fases indicavam que as duas primeiras haviam percorrido o corpo terrestre, enquanto a terceira eram ondas de superfície.[3] Como essas observações concordavam com a teoria para ondas elásticas, elas mostraram que a Terra poderia ser tratada como elástica em estudos de ondas sísmicas.[2]

 
Transmissão de ondas de um terremoto, afetadas pela presença de um núcleo de 0,4 do diâmetro da Terra. De Oldham (1906)
 
Mapa da falha de San Andreas, Califórnia, mostrando deslocamentos devido ao terremoto de 1906. De Oldham (1909)

Em artigos subsequentes, Oldham comparou dados de vários terremotos, com observações sísmicas em diferentes distâncias do epicentro. Ele encontrou uma descontinuidade nos tempos de viagem para as ondas S a cerca de 120 ° de distância angular do terremoto, sugerindo refração por um núcleo denso com um diâmetro de cerca de 0,4 o da Terra.[4][5][1][6] Oldham não foi o primeiro a sugerir que a Terra tinha um núcleo denso, mas ele forneceu a primeira evidência direta de sua existência e tamanho.[7]

Em 1903, Oldham renunciou ao GSI devido a problemas de saúde e voltou para o Reino Unido, morando em Kew e em várias partes do País de Gales.[8]:110 Ele continuou a ser ativo no campo, publicando artigos sobre terremotos na Guatemala e na Califórnia.

Em 1908, Oldham recebeu a Medalha Lyell, em 1911 foi nomeado Fellow of the Royal Society,[8] e de 1920 a 1922 serviu como Presidente da Geological Society of London. Mais tarde, ele se interessou pela geografia e história do delta do Ródano. Ele morreu em 15 de julho de 1936.[8]:113

PublicaçõesEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b Bragg, W. (1936). «Tribute to deceased fellows of the Royal Society». Science. 84 (2190): 539–546. Bibcode:1936Sci....84..539B. PMID 17834950. doi:10.1126/science.84.2190.539 
  2. a b c d «Oldham, Richard Dixon». Complete Dictionary of Scientific Biography. 10. Charles Scribner's Sons. 2008. p. 203 
  3. a b Oldham 1899.
  4. Oldham 1900.
  5. Oldham 1906.
  6. Oldroyd, David (1996). Thinking about the Earth: A History of Ideas in Geology. [S.l.]: Harvard University Press. pp. 234–236. ISBN 9780674883826 
  7. Brush, Stephen G. (1980). «Discovery of the Earth's core». American Journal of Physics. 48 (9): 705-724. doi:10.1119/1.12026 
  8. a b c Davison, C. (1936). «Richard Dixon Oldham. 1858-1936». Obituary Notices of Fellows of the Royal Society. 2 (5): 111–113. doi:10.1098/rsbm.1936.0008