Abrir menu principal

Rio Pardo de Minas

município brasileiro do estado de Minas Gerais

Rio Pardo de Minas é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Sua população estimada em julho de 2014 era de 30 578 habitantes.[6] Está localizado na mesorregião do Norte de Minas e microrregião de Salinas. Compõe com outros municípios da região o Alto Rio Pardo.

Município de Rio Pardo de Minas
Bandeira de Rio Pardo de Minas
Brasão de Rio Pardo de Minas
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 13 de outubro de 1831
Gentílico riopardense [1]
Padroeiro(a) Nossa Senhora da Conceição[2]
CEP 39530-000 a 39534-999[3]
Prefeito(a) Marcus Vinicius de Almeida Ramos (PSD)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Rio Pardo de Minas
Localização de Rio Pardo de Minas em Minas Gerais
Rio Pardo de Minas está localizado em: Brasil
Rio Pardo de Minas
Localização de Rio Pardo de Minas no Brasil
15° 36' 36" S 42° 32' 24" O15° 36' 36" S 42° 32' 24" O
Unidade federativa Minas Gerais
Mesorregião Norte de Minas IBGE/2008 [4]
Microrregião Salinas IBGE/2008 [4]
Municípios limítrofes Mato Verde, Porteirinha, Serranópolis de Minas, Riacho dos Machados, Grão Mogol, Padre Carvalho, Fruta de Leite, Novorizonte, Salinas, Taiobeiras, Indaiabira, Vargem Grande do Rio Pardo, Montezuma e Santo Antônio do Retiro.
Distância até a capital 732 km
Características geográficas
Área 3 118,672 km² [5]
População 30 578 hab. Est. IBGE/2014[6]
Densidade 9,8 hab./km²
Altitude 825 [7] m
Clima semiárido [8] Aw
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,633 médio PNUD/2000 [9]
PIB R$ 152 350,176 mil IBGE/2008[10]
PIB per capita R$ 5 126,36 IBGE/2008[10]
Página oficial
Prefeitura www.riopardo.mg.gov.br
Câmara www.riopardodeminas.mg.leg.br

Características

Rio Pardo possui atrativos turísticos belíssimos,como por exemplo:parque estadual de serra nova,situado no distrito de mesmo nome no município de rio pardo;cachoeira denominada sete quedas uma verdadeira obra da natureza que encanta a todos que a visitam. Recentemente, foi descoberta uma jazida de ferro e manganês que pode ser comparada ao Quadrilátero Ferrífero. Estas reservas podem mudar o perfil sócio-econômico da própria cidade e das cidades vizinhas, como Porteirinha, Grão Mogol e Salinas, que também possuem minério em menor quantidade. Outras cidades próximas, como Santo Antônio do Retiro, Montezuma, Taiobeiras e Mato Verde também poderão ser beneficiadas com geração de empregos e renda. Como a produção requer escoamento por mineroduto ou via férrea, é bastante provável que se construa um ramal ferróviário ligando a área produtora no município ao entroncamento com a linha férrea da FCA em Catuti, Monte Azul ou Espinosa, que são as estações ferroviárias mais próximas, e de lá o minério é levado ao porto de Aratu (Salvador); poderá também ser feito o escoamento através de um ramal ferroviário até o porto de Ilhéus, que não é muito viável; ou ainda, construir um mineroduto até um porto na Bahia, que é interessante economicamente, afinal a região possui rios subterrâneos que favorecem esse meio de transporte.

A infra-estrutura no município ainda é bastante precária. Atualmente, a cidade só possui uma rodovia de ligação asfaltada, a rodovia municipal Rio Pardo de Minas - Taiobeiras, que foi inaugurada em 2006. Fora isso, as estradas restantes são vicinais e a maior parte está em ruins ou péssimas condições, o que afeta a produção agrícola do município. A cidade é bastante velha, pois possui mais de 160 anos, porém o potencial histórico não é aproveitado, já que a cidade não foi tombada como patrimônio histórico pelo IPHAN e, consequentemente, os casarões mais antigos vão às ruínas. Dessa forma, não é possível aproveitar o potencial turístico-histórico da cidade, que geraria uma renda favorável.

As terras do atual município de Rio Pardo de Minas estiveram ligadas, durante o século XVIII, à antiga Comarca de Sabará, depois à Comarca de Serro, e posteriormente ao município de Minas Novas. Das suas terras, desmembraram-se os seguintes município:

Apesar do imenso território, as terras, muitas vezes, são improdutivas devido ao relevo com aclives acentuados, grande quantidade de rochas e minerais, além de alta salinidade em parte de terrenos. A energia elétrica ainda é inexistente em comunidades remotas, que se localizam longe da sede urbana e em locais de difícil acesso. Água potável então, é um sonho que parece que nunca vai se realizar, mesmo que o município possua dois grandes rios, o Rio Pardo e o Rio Preto, cujo potencial não é tão grande nessas localidades porque estes rios ainda não contam com grande volume de água, principalmente em épocas de estiagem. Além, de todos esses sonhos há o mais desejado: uma política que valorize essa região tão rica e desperdiçada, visto os problemas constantes nesta área. [11]

Referências

  1. «IBGE Cidades@». O Brasil Município por Municipio. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 19 de agosto de 2009. Arquivado do original em 30 de abril de 2012 
  2. Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC). «Lista por santos padroeiros» (PDF). Descubra Minas. p. 4. Consultado em 14 de setembro de 2017. Cópia arquivada (PDF) em 14 de setembro de 2017 
  3. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  4. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  6. a b «Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data de referência em 1 de julho de 2014» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 28 de agosto de 2014. Consultado em 1 de junho de 2015 
  7. «O Estado: Municípios Mineiros». O Estado: Municípios Mineiros. Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais. Consultado em 1 de março de 2010 
  8. «World Map of the Köppen-Geiger climate classification». World Map of the Köppen-Geiger climate classification. Institute for Veterinary Public Health. Consultado em 24 de fevereiro de 2010 
  9. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  10. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  11. «Vereador assume prefeitura de Rio Pardo de Minas» 

Ligações externas