Rio de Janeiro Vôlei Clube

Rio de Janeiro Vôlei Clube
Voleibol Volleyball (indoor) pictogram.svg
SescRJFlamengo.png
Cores Vermelho e preto
Mascote Urubu
Informações
Cidade Rio de Janeiro, RJ
País Brasil
Competição Superliga - Série A
Fundação março de 1997 (como Paraná VC)
março de 2003 (como Rio de Janeiro VC)[1]
Ginásio Ginásio Hélio Maurício
(Capacidade: 1000)
Técnico Bernardinho
Material esportivo Brasil Adidas
Patrocinadores Brasil SESC
Resultados
2016-17 Campeão
Títulos
Conquistados
12
Uniformes
Kit left arm flamengo2021h.png Kit body flamengo2021h.png Kit right arm flamengo2021h.png
Kit shorts.png
Cores do Time
Principal
Kit left arm adidascondivo20gpb.png Kit body adidascondivo20gpb.png Kit right arm adidascondivo20gpb.png
Kit shorts.png
Cores do Time
Alternativo
Kit left arm flamengo2021A.png Kit body flamengo2021A.png Kit right arm flamengo2021A.png
Kit shorts.png
Cores do Time
Líbero

Rio de Janeiro Vôlei Clube é um clube de voleibol brasileiro, com sede no Rio de Janeiro. Participa da Superliga Brasileira de Voleibol onde já foi diversas vezes campeão com os nomes de fantasia Rexona/AdeS, Unilever e Rexona-SESC, sendo chamado a partir da temporada 2017-18 de SESC-RJ e a partir da temporada 20/21 SESC-RJ/Flamengo, devido a fusão das duas equipes de vôlei feminino.[2]

Embora sejam clubes diferentes,[1][3] a CBV considera o Rio de Janeiro herdeiro do Paraná Vôlei Clube, somando os títulos dos dois clubes sob os mesmos nomes de fantasia.[4]

HistóriaEditar

O Rio de Janeiro, criado de fato em 2003,[1] e oficializado com abertura de CNPJ em 2004,[3] descende do Paraná Vôlei Clube, de Curitiba, que já participava do Campeonato Carioca como convidado, e tinha sido bicampeão da Superliga. Visando difundir seus programas sociais de voleibol no Rio de Janeiro, a patrocinadora Unilever - que batizou o clube com nomes fantasia derivados do desodorante Rexona e o leite de soja AdeS - relocou a equipe para a capital fluminense.[1][5]

Em 2004, com a parceria entre Rexona e Unilever em torno da antiga equipe, mais a volta de Bernardinho, como técnico, e Fernanda Venturini, o Rexona/Ades conquistou a Salonpas Cup, após uma vitória por 3 sets a 0 sobre o Osasco. Venceu também o Campeonato Carioca, sendo invicto na competição.

O Rio de Janeiro passa a brilhar na Superliga 2004/2005. Invicto na fase de classificação, o time chega às finais com apenas um jogo perdido, mas acaba sendo derrotado pelo Osasco, por 3 jogos a 0, na final melhor de cinco jogos, com destaque para Érika e Mari do Osasco.

Depois da derrota na final da Superliga 2004/2005, a equipe do Rio de Janeiro venceu duas Superligas consecutivas, 2005/2006 e 2006/2007. A equipe ainda disputou a Salonpas Cup 2005, ficando com o vice-campeonato ao perder por 3 sets a 0 para o Osasco e vence mais uma vez o Campeonato Carioca de forma invicta. A Superliga de 2005/2006, marcou a despedida de Fernanda Venturini das quadras com vitória por 3 jogos a 2 sobre o Osasco, com destaque para a atacante oposta Renatinha.

Na Superliga 2006/2007 o Rexona/Ades repetiu o mesmo brilho da Superliga 2005/2006, sendo a primeira equipe tetracampeã da competição, vencendo a final contra o Osasco com vitória de 3 jogos a 2, destacando-se a ponteira Regiane Bidias e a meio de rede Thaísa Menezes. O Rio de Janeiro, ainda venceu a Salonpas Cup de 2006 e venceu também o Campeonato Carioca do mesmo ano.

Em 2007 a equipe venceu a Salonpas Cup, sendo tricampeã, ao derrotar o Osasco por 3 sets a 1, com destaque para a meio de rede Thaísa Menezes e conquistou a Copa do Brasil de Vôlei ao derrotar na final o Osasco por 3 sets a 0, com destaque para a atacante oposta Renatinha na final.

Na Superliga 2007/2008, a equipe foi, mais uma vez, consagrada a melhor, ao vencer o Osasco em jogo único, disputado no Maracanãzinho, por 3 sets a 1. Tornou-se, portanto, a primeira equipe pentacampeã brasileira. O mesmo viria a acontecer na temporada 2008/2009, onde mais uma vez o Osasco apareceu pela frente na final, sendo superado por 3 sets a 2.

A partir da temporada 2009/2010 a equipe passa a ter por "nome fantasia" o nome da empresa que a patrocina, a Unilever.[6] No fim de 2009 conquista seu segundo título no Top Volley, na Suíça. Na final da Superliga de 2009/2010 foi derrotado pelo arquirrival Osasco por 3 a 2 no Ibirapuera. Já no ano seguinte, 2010/2011, derrotou o mesmo Osasco por 3 a 0. E na temporada seguinte, 2011/2012, com o retorno de Fernanda Venturini, perdeu para o mesmo placar em pleno Maracanãzinho. Em 2012/2013, o Rio venceu de virada o Osasco no Ibirapuera para conquistar seu oitavo título na Superliga. Em 2013\14, o Rio alcançou a décima final consecutiva, pela primeira vez sem enfrentar o Osasco.[7] Contra o SESI, no Maracanãzinho, conquistou o bicampeonato consecutivo e o nono título do Rio.[4]

Para a temporada 2014/15, a Unilever optou por reverter o nome do Rio para Rexona/Ades.[6] Nesta temporada a equipe foi campeã pela terceira vez consecutiva e décima vez na história da Superliga, com destaque para a ponteira Natália Pereira durante a competição e na final,[8] bem como a melhor atacante e maior pontuadora da Superliga 2014/2015, Gabriela Guimarães.[9] Foi a última temporada da levantadora Fofão.[10] A equipe participou do Campeonato Mundial de 2015 logo após a decisão da Superliga e ficou em quarto lugar.[11]

Para a temporada 2015/2016, o desafio da equipe era buscar uma levantadora que pudesse suprir a ausência de Fofão, assim a comissão técnica contratou a americana Courtney Thompson, indicada pelo técnico da seleção americana de vôlei feminino Karch Kiraly.[12] O Rexona fez mais uma temporada muito boa, com a primeira colocação na fase classificatória da Superliga com apenas um jogo perdido em vinte e um disputados.[13] Para coroar a temporada, o time conquistou o quarto título consecutivo e décimo primeiro no total da superliga ao vencer o Praia Clube por 3 sets a 1 no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília,[14] com destaque para a jogadora Monique Pavão na final.

Para a temporada de 2016/2017, com a saída da jogadora Natália Pereira, a equipe contratou a ponteira holandesa Anne Buijs para substituí-la, e também contratou outras quatro atletas.[15] Nessa temporada o time conquistou a Supercopa Brasileira de 2016, a Copa Brasil de 2017, o Campeonato Sul-americano de Clubes de 2017 e a Superliga 2016/2017. Dias depois de conquistar seu último título, o time viajou ao Japão para disputar o Mundial de Clubes em uma das edições mais fortes da história, conseguiu chegar mais uma vez na final e novamente contra o poderoso VakifBank como já havia acontecido em 2013, e depois de um jogo duro o time voltou para o Brasil com a medalha de prata.

Para a temporada de 2017/2018, já sem o patrocínio da Unilever, o time fez poucas contratações, uma delas a dominicana Yonkaira Peña, e tentou se adaptar com as peças que tinha. No decorrer da temporada houve muitas baixas por lesão e acostumado a ganhar vários títulos o time teve que se contentar com um único, a Supercopa Brasileira de 2017.

Para a temporada de 2018/2019, com o patrocínio reforçado do SESC e da Jeunesse, o desafio da equipe era buscar uma ponteira que pudesse suprir a ausência de Gabi, que se mudou para o Minas TC, assim a comissão técnica contratou a russa Tatiana Kosheleva, grande estrela do voleibol russo.

Principais títulosEditar

Continentais
Competição Títulos Temporadas
  Campeonato Sul-Americano 4 2013, 2015, 2016[16] e 2017[17]
Nacionais
Competição Títulos Temporadas
  Superliga Brasileira 12 97/98, 99/00, 05/06, 06/07, 07/08, 08/09, 10/11, 12/13, 13/14, 14/15, 15/16[18] e 16/17[19]
  Copa Brasil 4 2007, 2016[20], 2017[21] e 2020
  Supercopa Brasileira 3 2015[22] e 2016[23] e 2017[24]
  Supercopa dos Campeões 1 2001
Estaduais
Competição Títulos Temporadas
  Campeonato Carioca 16 1999, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015[25], 2017[26] 2018[27]2019 e 2020[28]
  Copa Rio 1 2009
Outros
Competição Títulos Temporadas
  Torneio Top Volley 2 2006 e 2009
  Salonpas Cup 3 2004, 2006 e 2007
  Campeonato Paranaense 1 2003
  Copa Brasília 2 2013 e 2014
  Copa Uberlândia 1 2000

ElencoEditar

Temporada 2020-2021Editar

Sesc RJ - Temporada 2020-2021

 

Lorenne
# 11
Milka
# 1
Drussyla
# 17
Amanda
# 13
Juciely
# 6
Fabíola
# 14
Camila
# 20
DIRETORIA
Presidente Paulo Antônio Ubach Monteiro
Vice-presidente Dan Chor
Diretor
Gerente
Supervisor Harry Bollmann Netto
COMISSÃO TÉCNICA
Técnico Bernardinho
Assistente técnico Hélio Griner
Auxiliar técnico Ricardo Tabach
Preparador físico Marco Antonio
Fisioterapeuta Guilherme (Fiapo)
Médico Ney Coutinho Pecegueiro do Amaral
Massagista

Relacionadas para a disputa da Superliga - Série A 202021 pelo SESC/Flamengo.

# Nome Apelido Nascimento Altura (cm) Peso (kg) Nacionalidade Posição
1 Milka Marcília Medeiros Silva Sosa Milka 18 de julho de 1994 190 75   Brasil Central
2 Natália Pereira de Araújo Natinha 10 de abril de 1997 162 59   Brasil Líbero
3 Juma Fernandes da Silva Juma 17 de janeiro de 1993 183 67   Brasil Levantador
6 Juciely Cristina Silva Barreto Juciely 18 de dezembro de 1980 184 72   Brasil Central
7 Roberta Pereira da Silva (voleibol) Roberta 06 de junho de 1984 187 78   Brasil Central
8 Ariele Cristine Ferreira Ariele 18 de novembro de 1995 185 74   Brasil Ponta
9 Sabrina de Jesus Maechado Sabrina 09 de abril de 1996 183 70   Brasil Oposto
10 Valquíria Carboni Dullius Valquíria 15 de novembro de 1992 172 71   Brasil Levantador
11 Lorenne Teixeira Lorenne 08 de janeiro de 1996 187 76   Brasil Oposto
12 Gabriella Guimarães de Souza Gabi Guimarães 14 de dezembro de 1993 175 64   Brasil Líbero
13 Amanda Juliana Campos Francisco Amanda   16 de agosto de 1988 180 65   Brasil Ponta
14 Josefa Fabíola de Souza Fabíola 03 de fevereiro de 1983 184 73   Brasil Levantador
15 Lívia dos Santos Gomes Lima Lívia 08 de junho de 2003 184 70   Brasil Central
16 Ana Cristina Menezes Oliveira de Souza Ana Cristina 07 de abril de 2004 192 79   Brasil Ponta
17 Drussyla Andressa Felix Costa Drussyla 01 de julho de 1996 186 70   Brasil Ponta
20 Camila Gómez Camila 06 de julho de 1995 158 61   Colômbia Líbero

Comissão técnicaEditar

  • Técnico: Bernardo Rocha de Resende (Bernardinho).
  • Assistente Técnico: Ricardo Gomes Tabach.
  • Auxiliar Técnico: Hélio Ricardo Griner.
  • Preparador Físico: Marco Antonio Jardim.
  • Fisioterapeutas: Guilherme de Britto Pereira Tenius (Fiapo) e Marcio Fonseca Menezes.
  • Médico: Ney Coutinho Pecegueiro do Amaral
  • Estatística: Roberta Correira Giglio (Robertinha).

Temporadas anterioresEditar

Referências

  1. a b c d Martines, Isabel Cristina; Fernando Marinho Mezzadri. «As relações entre os setores público e privado no campo esportivo: o caso do programa Rexona Ades Esporte Cidadão». Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte. Sistema Online de Apoio a Congressos. p. 9-10. Consultado em 16 de abril de 2015. Arquivado do original (PDF) em 28 de novembro de 2010  |urlmorta= e |ligação inativa= redundantes (ajuda)
  2. Merguizo, Marcel (29 de junho de 2016). «Time de Bernardinho se une ao Sesc-RJ para 'manter grandes atletas no país'». Folha de S.Paulo. Consultado em 1 de janeiro de 2017 
  3. a b «Rio de Janeiro Vôlei Clube». Empresasdobrasil.com. Consultado em 15 de abril de 2015 
  4. a b «SUPERLIGA FEMININA 13/14: Unilever é eneacampeã». CBV. 27 de abril de 2014. Consultado em 15 de abril 2015 
  5. «Rio de Janeiro é confirmada como nova sede do Rexona». Uol Esporte. 4 de maio de 2004. Consultado em 15 de abril de 2015 
  6. a b Mendes, Felipe; Jonas Moura (2 de julho de 2014). «Pré-lista da Superliga não tem RJ Vôlei. Unilever muda de nome». Lance!. Consultado em 15 de abril de 2015 
  7. «Vôlei: Sesi bate Osasco, quebra tabu e disputa final da Superliga contra Unilever». Estadão.com.br. Consultado em 15 de abril de 2015 
  8. «Decisiva na final, Natália celebra boa temporada: "Das melhores da carreira"». globoesporte.com. Grupo Globo. Consultado em 4 de agosto de 2016 
  9. «Com destaque para Gabi, Rio domina premiações da Superliga 2014/2015». globoesporte.com. Grupo Globo. Consultado em 4 de agosto de 2016 
  10. «Com um show das amigas, Fofão se despede da Superliga com título». globoesporte.com. Grupo Globo. Consultado em 4 de agosto de 2016 
  11. «Final Standing». FIVB. Consultado em 2 de agosto de 2016 
  12. «Rexona-Ades/Rio de Janeiro contrata levantadora americana para substituir Fofão». ESPN. UOL. Consultado em 4 de agosto de 2016 
  13. «Na Superliga feminina, Rexona-Ades faz mais uma vítima: o Sesi». Terra. Consultado em 4 de agosto de 2016 
  14. «Rexona vence o Praia é campeão da Superliga feminina de vôlei». O Tempo. 3 de abril de 2016. Consultado em 4 de agosto de 2016 
  15. «NOVOS REFORÇOS! Rexona Ades confirma a contratação de 5 reforços para a próxima temporada.». Dreamteamvoleibrasil.com. Consultado em 1 de janeiro de 2017 
  16. «Rio de Janeiro conquista título do Sul-Americano sem perder um set». globoesporte.com. Grupo Globo. 28 de fevereiro de 2016. Consultado em 1 de março de 2016. Cópia arquivada em 1 de março de 2016 
  17. Papel, Lucas (18 de fevereiro de 2017). «É tetra! Rio de Janeiro bate Praia Clube e conquista Sul-Americano em Minas». globoesporte.com. Grupo Globo. Consultado em 8 de março de 2017. Cópia arquivada em 8 de março de 2017 
  18. Gabriel Rodrigues, João; Lucas Papel (3 de abril de 2016). «Rio freia o sonho do Praia, controla os ânimos e leva 11º título da Superliga». globoesporte.com. Grupo Globo. Consultado em 8 de abril de 2016. Cópia arquivada em 8 de abril de 2016 
  19. Gabriel Rodrigues, João (23 de abril de 2017). «Supremacia carioca: Rio bate Osasco em final histórica e é campeão da Superliga pela 12ª vez». globoesporte.com. Grupo Globo. Consultado em 24 de abril de 2017. Cópia arquivada em 24 de abril de 2017 
  20. «Rio de Janeiro domina o Praia Clube e conquista o título da Copa Brasil». globoesporte.com. Grupo Globo. 30 de janeiro de 2016. Consultado em 31 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 31 de janeiro de 2016 
  21. «Rio de Janeiro derrota o Minas por 3 sets a 0 e é tricampeão da Copa Brasil». globoesporte.com. Grupo Globo. 28 de janeiro de 2017. Consultado em 3 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2017 
  22. «Rio de Janeiro bate Pinheiros e leva para casa inédito título da Supercopa». globoesporte.com. Grupo Globo. 7 de novembro de 2015. Consultado em 7 de novembro de 2015. Cópia arquivada em 7 de novembro de 2015 
  23. «Rio se recupera da derrota no Carioca, bate Praia Clube e leva Supercopa». globoesporte.com. Grupo Globo. 7 de outubro de 2016. Consultado em 9 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 9 de outubro de 2016 
  24. https://www.gazetaesportiva.com/campeonatos/superliga-feminina-de-volei/rio-bate-minas-no-tie-break-e-conquista-o-tri-da-supercopa-de-volei/
  25. «Rexona-AdeS vence Fluminense e leva o Carioca pela 12ª vez». Melhor do Vôlei. 29 de outubro de 2015. Consultado em 30 de outubro de 2015. Cópia arquivada em 30 de outubro de 2015 
  26. «Roberta dita o ritmo e Sesc-Rio vence o fluminense e conquista titulo-do carioca». Globo Esporte. 8 de Outubro de 2017. Consultado em 8 de Outubro de 2017 
  27. «Kosheleva decide, Sesc/RJ bate Fluminense de virada e fatura o Carioca pela 14ª vez». Globo Esporte. 12 de Novembro de 2018. Consultado em 12 de Novembro de 2018 
  28. «Olhar Olímpico - Flamengo atropela o Fluminense e conquista 1º título com Bernardinho». www.uol.com.br. Consultado em 30 de outubro de 2020 
  29. «REXONA-SESC - Elenco». CBV. Superliga.cbv.com.br. Consultado em 1 de janeiro de 2017. Cópia arquivada em 3 de janeiro de 2017 
  30. Falcão, Roberto (2015). «Fichas Técnicas» (PDF). CBV. Superliga.cbv.com.br. p. 44-45. Consultado em 8 de novembro de 2015. Arquivado do original (pdf) em 8 de novembro de 2015 
  31. «Superliga 2014/2015- REXONA/ADES-Atletas». CBV. Consultado em 14 de março de 2016 
  32. «Superliga 2013/2014- // Equipes – Feminino- UNILEVER». CBV. Consultado em 14 de março de 2016 
  33. «Superliga 2012/2013- // Equipes – Feminino- UNILEVER». CBV. Consultado em 14 de março de 2016 
  34. Robin, Chris (24 de novembro de 2011). «Unilever apresenta time para 2011/2012 em festa com crianças do Compartilhar». Melhor do Vôlei. Consultado em 14 de março de 2016 
  35. «Superliga 2010/2011-FICHA COMPLETA - ESCALAÇÃO SUPERLIGA FEMININA-UNILEVER». CBV. Consultado em 14 de março de 2016. Arquivado do original em 17 de novembro de 2015 
  36. «Superliga 2009/2010-FICHA COMPLETA - ESCALAÇÃO SUPERLIGA FEMININA-UNILEVER». CBV. Consultado em 14 de março de 2016 
  37. «Superliga 2008/2009-FICHA COMPLETA - ESCALAÇÃO SUPERLIGA FEMININA-REXONA-ADES». CBV. Consultado em 14 de março de 2016 

Ligações externasEditar