Abrir menu principal

Rio do Oeste é um município brasileiro no Estado de Santa Catarina, na microrregião do Alto Vale do Itajaí. Está situada a 27° 11' 33,76 S de latitude e 49° 47' 48,36 W de longitude e sua altitude é de 365 metros.

Município de Rio do Oeste
"Cidade da amizade"
Bandeira de Rio do Oeste
Brasão de Rio do Oeste
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 21 de junho de 1958 (61 anos)
Gentílico rioestense, rio-oestense ou riense-do-oeste[1]
Prefeito(a) Humberto Pessatti (PMDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Rio do Oeste
Localização de Rio do Oeste em Santa Catarina
Rio do Oeste está localizado em: Brasil
Rio do Oeste
Localização de Rio do Oeste no Brasil
27° 11' 34" S 49° 47' 49" O27° 11' 34" S 49° 47' 49" O
Unidade federativa Santa Catarina
Mesorregião Vale do Itajaí IBGE/2008[2]
Microrregião Rio do Sul IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes Agronômica, Dona Emma, Laurentino, Pouso Redondo, Presidente Getúlio, Taió e Trombudo Central
Distância até a capital 250 km
Características geográficas
Área 245,633 km² [3]
População 7 094 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 28,88 hab./km²
Altitude 365 m
Clima Mesotérmico úmido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,754 alto PNUD/2010[5]
PIB R$ 117 647,988 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 16 782,88 IBGE/2008[6]

HistóriaEditar

Luiz Bertoli, que há muito planejava um movimento de colonização, foi incentivado pelo governador Vidal Ramos e motivado pelo vigário de Rodeio, Frei Lucínio Korte, com o qual tivera longos diálogos, a organizar a primeira expedição de reconhecimento. Viajaram com ele, Angelo Moser, Antonio Fronza, Battista Campregher, Battista Giotti, José Franzoi, José Largura, Luiz Girardi e Manoel Moratelli. Em maio de 1912, aportaram na confluência do rio do Oeste com o rio das Pombas, que deve seu nome ao grande número de pássaros dessa espécie existentes na região. O rio, por sua vez, deu origem à denominação inicial de Barra das Pombas.

No final da década de 1920, a então "Freguezia de Barra das Pombas" recebeu o nome de "Villa Adolfo Konder", conforme documento de 27 de Agosto de 1927, que registra a visita do governador Adolfo Konder a "Barra das Pombas e Taió, sendo que a primeira teria a glória, em tempo vindouro, de receber o nome de Villa Adolfo Konder". Pouco tempo durou essa denominação, pois logo após a Revolução de 1930, o núcleo passou a chamar-se "Rio do Oeste".

Por ocasião da redivisão administrativa e judiciária do Estado, a Lei Estadual n.º 247, de 30 de Dezembro de 1948, oficializou o nome atual, criando o distrito de Rio do Oeste e os municípios de Taió e Ituporanga. À época, dirigia o município de Rio do Sul o prefeito Wenceslau Borini. O governador do Estado era Aderbal Ramos da Silva e ambos pertenciam ao antigo Partido Social Democrático (PSD).

Em 23 de Junho de 1958, durante o governo do Presidente da República Juscelino Kubitschek de Oliveira, uma época de notável crescimento e de ampla liberdade democrática, foi criado o município de Rio do Oeste, instalado oficialmente um mês após, em 23 de Julho de 1958. Rio do Oeste foi inicialmente administrada pelo interventor Massimo Girardi, que permaneceu no cargo de julho até 31 de Janeiro de 1959, quando assumiu a prefeitura o primeiro prefeito escolhido pelo voto popular, Leandro Bertoli,(eleito em 3 de Outubro de 1958), que governou até 31 de Janeiro de 1964.

TurismoEditar

Comparado a um vilarejo europeu, apresenta grande vocação para o turismo voltado ao resgate, preservação e valorização de aspectos históricos e culturais. A Festa Estadual da Polenta, demonstra a importância da conservação das tradições e costumes de um povo, movimentando a economia local. A polenta de uma tonelada, servida na festa, garante ser a maior do mundo. A cidade possui diversos recursos a serem explorados, sejam estes naturais, históricos ou culturais, capazes de alavancar o setor de serviços, ampliando as oportunidades de negócios as seus moradores. A Gruta do Tigre e o Morro do Morumbi destacam-se no cenário natural. A preservação do idioma e das tradições de seus imigrantes italianos são, sem dúvida, sua principal característica que, geração após geração, deixam claro o amor às tradições e origens, arraigados em cada membro da comunidade.

Referências

  1. Histórico de Rio do Oeste no site do IBGE
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 15 de fevereiro de 2014 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar