Abrir menu principal

Rita Freitas (Rio de Janeiro, 1955) é uma porta-bandeira brasileira[1].

Em 1982, preparada pelo mestre-sala Manoel Dionísio, tornou-se a primeira branca a ocupar o posto de primeira porta-bandeira do Salgueiro. Além disso, inovou no desfile ao soltar a mão esquerda — tradicionalmente colada à cintura — para evoluir na dança com o mestre-sala. Também passou a promover treinamentos específicos para as porta-bandeiras da escola[2].

Defendeu a escola tijucana até 1986. Passou por Grande Rio (em 1993) e Império Serrano (de 1997 a 1999), mas voltou ao Salgueiro para seu último desfile, em 2006[3][4].

Graduou-se em Educação Física. É mãe da cantora e pianista Maíra Freitas, que teve com o cantor Martinho da Vila[5][6].

PrêmiosEditar

1999 - Império Serrano
1996 - Império Serrano
1991 - Salgueiro
1986 - Salgueiro
1985 - Salgueiro[7]

Referências

  1. História Arquivado em 24 de fevereiro de 2016, no Wayback Machine.. Escola Mestre Dionísio
  2. Coletânea conta enredos dos anônimos do Carnaval. Edcau, 22 de novembro de 2013
  3. Porta-bandeira do Salgueiro volta ao Sambódromo após 5 anos. Terra, 9 de janeiro de 2006
  4. BRASIL, Pérsio Gomyde. Da Candelária à Apoteose: 4 Décadas de Paixão. Rio de Janeiro: Luminária, 2010
  5. Filha de Martinho da Vila, a pianista Maíra Freitas aposta no samba. Correio, 4 de maio de 2011
  6. Filha de Martinho da Vila lança álbum conceitual. A Tarde, 17 de novembro de 2015
  7. Estandarte de Ouro - Melhor Porta-bandeira. Academia do Samba