Robert Huber

professor académico alemão

Robert Huber (Munique, 20 de fevereiro de 1937) é um químico alemão.

Robert Huber
Nascimento 20 de fevereiro de 1937 (84 anos)
Munique
Nacionalidade alemão
Alma mater Universidade Técnica de Munique
Prêmios Medalha Otto Warburg (1977), Medalha Richard Kuhn (1987), Nobel prize medal.svg Nobel de Química (1988), Medalha Sir Hans Krebs (1992)
Campo(s) bioquímica

Conjuntamente com Johann Deisenhofer e Hartmut Michel, foi laureado com o Nobel de Química de 1988 devido à determinação da estrutura tridimensional do centro de reação fotossintético.[1]

Recebeu o Doutoramento Honoris Causa pela Universidade Nova de Lisboa em 1999/2000.

Educação e infânciaEditar

Ele nasceu em 20 de fevereiro de 1937 em Munique, onde seu pai, Sebastian, era caixa de um banco. Ele foi educado no Humanistisches Karls-Gymnasium de 1947 a 1956 e depois estudou química na Technische Hochschule, recebendo seu diploma em 1960. Ele ficou e fez pesquisas sobre o uso da cristalografia para elucidar a estrutura dos compostos orgânicos.

CarreiraEditar

Em 1971, ele se tornou diretor do Instituto Max Planck de Bioquímica, onde sua equipe desenvolveu métodos para a cristalografia de proteínas.

Em 1988, ele recebeu o Prêmio Nobel de Química junto com Johann Deisenhofer e Hartmut Michel. O trio foi reconhecido por seu trabalho em primeiro cristalizar uma proteína intramembrana importante na fotossíntese em bactérias roxas e, posteriormente, aplicar cristalografia de raios-X para elucidar a estrutura da proteína.  A informação forneceu o primeiro insight sobre os corpos estruturais que desempenhavam a função integral da fotossíntese.[2] A informação forneceu o primeiro insight sobre os corpos estruturais que desempenhavam a função integral da fotossíntese. Este insight poderia ser traduzido para entender o análogo mais complexo da fotossíntese em cianobactérias.[3]

Em 2006, ele assumiu um cargo na Universidade de Cardife para liderar o desenvolvimento da Biologia Estrutural na universidade em regime de meio período.[4]

Desde 2005, ele tem feito pesquisas no Centro de biotecnologia médica da Universidade de Duisburg-Essen.

Huber foi um dos editores originais da Encyclopedia of Analytical Chemistry.

Referências

  1. «Chemistry Laureates: Fields». www.nobelprize.org. Consultado em 9 de agosto de 2018 
  2. Deisenhofer, J.; Epp, O.; Miki, K.; Huber, R.; Michel, H. (1985). "Structure of the protein subunits in the photosynthetic reaction centre of Rhodopseudomonas viridis at 3Å resolution". Nature. 318 (6047): 618–624. Bibcode:1985Natur.318..618D. doi:10.1038/318618a0. PMID 22439175. S2CID 1551692.
  3. Guskov, A .; Kern, J .; Gabdulkhakov, A .; Broser, M .; Zouni, A .; Saenger, W. (2009). "Cyanobacterial photosystem II at 2.9-Å resolution and the role of quinones, lipids, channels and clore". Nature Structural & Molecular Biology . 16 (3): 334–42. doi : 10.1038 / nsmb.1559 . PMID  19219048 . S2CID  23034289
  4. Smith, Alexandra (24 de outubro de 2006). «Nobel chemist Robert Huber joins Cardiff University». the Guardian (em inglês). Consultado em 18 de fevereiro de 2021 

Ligações externasEditar


Precedido por
Donald James Cram, Jean-Marie Lehn e Charles J. Pedersen
Nobel de Química
1988
com Johann Deisenhofer e Hartmut Michel
Sucedido por
Sidney Altman e Thomas Cech


  Este artigo sobre um(a) químico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.