Roberto Bonfim

ator brasileiro

Roberto Bomfim de Andrade (Rio de Janeiro, 12 de março de 1945) é um ator brasileiro. Reonhecido por sua ampla carreira na televisão e cinema, venceu duas vezes o Prêmio APCA de melhor ator de televisão e uma vez o Troféu Candango de melhor ator coadjuvante no Festival de Brasília.

Roberto Bomfim
Nome completo Roberto Bomfim de Andrade
Nascimento 12 de março de 1945 (76 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileiro
Ocupação ator
Atividade 1968 – presente
Outros prêmios
Prêmio APCA de Melhor Ator de Televisão
1980 – Cabocla
1983 – Paraíso

BiografiaEditar

Roberto é filho de Noemi Alcântara Bomfim, uma professora, enfermeira e atriz, e Almir Bomfim de Andrade, um jornalista, professor e escritor. O ator optou por não cursar em uma faculdade, sendo a vida artística e política sua escolha.[1]

Foi integrante do movimento estudantil secundarista entre momentos anteriores e posteriores de 1964, quando ocorreu o golpe militar. Participou da criação do Teatro Universitário Carioca, o TUCA. Com esse grupo, iniciou seus trabalhos de atuação.[2]

Vida pessoal e saúdeEditar

Em 2016, após passar por duas cirurgias, uma delas bariátrica, o ator perdeu 50 quilos. Roberto chegou a andar de cadeira de rodas por estar muito acima do peso. Em setembro de 2016, ele fez sua primeira cirurgia para colocar uma prótese na bacia por conta de um problema de artrose. Em novembro, fez a cirurgia de redução do estômago. Além disso, ele já havia feito uma cirurgia no quadril. Apos os procedimentos, emagreceu 30 kg.[3] Foi casado com a figurinista Marília Carneiro.

CarreiraEditar

Início da carreira e primeiros trabalhos na televisãoEditar

Inicou profissionalmente em 1968 na peça O Capeta de Caruaru, de Aldomar Conrado. Após passar dois anos trabalho em montagens teatrais, Roberto foi contratado para seu primeiro trabalho na televisão, sendo chamado por dois diretores: Augusto César Vanucci o convidou para participar do progama Faça Humor, Não Faça Guerra e Moacyr Deriquém o chamou para sua primeira telenovela, Verão Vermelho, de Dias Gomes.[2]

Desde então, Roberto acumulou inúmeros trabalhos alternando entre televisão, cinema e teatro, se tornando um grande nome da dramaturgia nacional. Ao longo da sua carreira, fez vários personagens marcantes. Em depoimento para o Memória Globo em 2017, Bomfim disse: "Sou um ator brasileiro, um ator especializado em tipos brasileiros. Nunca fiz um rico, sempre fiz tipos populares porque eu os conheço, ando pelo Brasil inteiro".[1]

Consolidação da carreira artísticaEditar

Em 1970, Roberto inciou uma sequência de parcerias com a autora Janete Clair. Primeiro, participou do grande sucesso Irmãos Coragem, onde interpretou um bandido que raptava a Índia Potira. Em 1972, foi convidado para entrar no elenco de Selva de Pedra na metade da produção, como uma das formas de movimentar a trama que não era bem aceita pelo público. Em seguida, vieram O Semideus, em 1973, e Fogo Sobre Terra, em 1974, ambas de Janete Clair.[1]

Em 1975, foi dirigido por Walter Avancini em Gabriela, com quem tinha frequentes atritos devido a forma de trabalho. Em 1976, precisou ser afastado da produção de O Feijão e o Sonho devido ao fato de ter ficado doente durante as gravações, sendo substituído por Elcio Romar. Chamou atenção do público em 1979, interpretando Tobias em Cabocla. O personagem ficou popular dentro e fora do Brasil, fazendo com que o ator fosse convidado especial no carnaval em Portugal.[1]

Fez a minissérie Lampião e Maria Bonita em 1982. Continuou fazendo trabalhos de sucesso na Rede Globo, como nas novelas Chega Mais e Paraíso e nas minisséries Bandidos da Falange e Padre Cícero. Em 1986, despontou em um personagem cômico na novela Cambalacho.

Em 1987, trocou de emissora e foi trabalhar na Rede Manchete, onde realizou alguns trabalhos, como Helena, Carmem e outros. Voltou à Rede Globo trabalhando em Tieta.[4] Durante os anos 1990, alterou em trabalhos realizados nessas duas emissoras.

Em 2002, viajou para a Angola, onde passou quatro meses para gravar a telenovela angolana Reviravolta. Na trama, ele interpretava um industrial brasileiro que se casava com uma angolana.

Destacou-se como o barbeiro Salvador na novela Celebridade, de 2003.[5] Em 2005, foi para os Estados Unidos gravar a novela América, em Miami.[6] Nos anos seguintes, participou das novelas Desejo Proibido e Três Irmãs. Após essa última, passo um período afastado das novelas.

Em 2012, foi contratado pela HBO para participar da série Preamar. Em 2014, voltou às novelas em Império, de Aguinaldo Silva.[7] Durante este trabalho, o ator contraiu problemas de saúde e precisou fazer fisioterapia para chegar até o fim da produção.[1]

Em 2017, trabalhou no filme sobre Lampião, na qual ele interpretou o pai de Maria Bonita. Em 2018, interpretou o machista Agenor na novela Segundo Sol, de João Emanuel Carneiro. Seu personagem ganhou repercussão e o atuação do ator foi bastante elogiada nas cenas que retratavam o machismo do personagem com sua família, interpretada pelas atrizes Kelzy Ecard, Nanda Costa e Letícia Colin.[5]

FilmografiaEditar

TelevisãoEditar

Ano Título Personagem Notas
1971 Bandeira 2 Balalaika
1972 Selva de Pedra José Ambrósio (Zé)
1973 O Semideus Carlos
1974 Fogo sobre Terra Saul
1975 Gabriela Chico Chicão
1976 O Feijão e o Sonho Gomes
1978 Maria, Maria Pingo D'Água
Pecado Rasgado Augusto
1979 Cabocla Tobias de Oliveira Pinto
1980 Chega Mais Hércules
1982 Lampião e Maria Bonita Sargento Libório
Paraíso Terêncio Villas
1983 Bandidos da Falange Bira
Champagne Oliveira Pinto, amigo de Ralph
1984 Caso Verdade Antônio Episódio: "Esperança Perdida"
Padre Cícero Bugre
Partido Alto Genilson
1986 Cambalacho Wanderley Pereira
1987 Helena Firmino
Carmem Júlio
1988 Vida Nova Sebastião
1989 Tieta Amintas Feitosa
1991 Amazônia Joaquim (Quim)
1993 Renascer Deocleciano Barbosa
1995 Tocaia Grande Natário da Fonseca
1998 Hilda Furacão Coronel Filogônio Flores
Pecado Capital Raimundo Moreno
1999 Terra Nostra Justino
2000 Uga Uga Pajé Anru Guapurú
2001 O Clone Edvaldo da Silva
2003 Celebridade Salvador Amorim
2005 América Jotão Abdalla (Jota)
2007 Desejo Proibido Dioclécio
Amazônia, de Galvez a Chico Mendes Governador Elias
2008 Três Irmãs Pacífico Àquila
2012 Preamar Xerife 4 episódios
2014 Império Antônio (Antoninho)
2015 Babilônia Cadelão[8] Participação especial
2018 Segundo Sol Agenor Câmara
2021 Gênesis Betuel Núcleo Jacó
Nos Tempos do Imperador Coronel Ambrósio Rocha[9] Episódio: "9 de agosto"
2022 Reis [10]

CinemaEditar

Ano Título Personagem Notas
1969 Pedro Diabo Ama Rosa Meia Noite
1970 Os Senhores da Terra Judas Escariote
República da Traição
1971 Na Boca da Noite
Lúcia McCartney, Uma Garota de Programa
Matei Por Amor
1972 Revólveres Não Cospem Flores[11] Índio
1973 Os Homens Que Eu Tive Vítor
O Homem do Corpo Fechado João de Deus
1974 A Estrela Sobe Astério
1975 Ana, a Libertina
A Extorsão Esteves
Pecado na Sacristia Florindo
A Lenda de Ubirajara
1976 Soledade, a Bagaceira
Gordos e Magros
1977 Quem Matou Pacífico?
Anchieta, José do Brasil
1978 Nos Embalos de Ipanema Das Bocas
A Noiva da Cidade
O Bandido Antônio Do
A Dama do Lotação[11] Bacalhau
A Batalha dos Guararapes Filipe Camarão
Chuvas de Verão
1979 O Sol dos Amantes
O Caçador de Esmeraldas José Dias
Terror e Êxtase Mil e Uma
O Caso Cláudia[11] Guerra
1982 O Rei da Boca Pedrão
1983 A Difícil Viagem Pedro Canoeiro/ Pedro
1986 Fulaninha[11] Canela
1988 Jorge, um Brasileiro Altair
1989 Kuarup
Solidão, uma Linda História de Amor
1990 Círculo de Fogo
1994 Louco por Cinema Ângelo Vandrake/ Mandrix
1997 Os Camaradas Homem gordo Curta-metragem
1999 Milagre em Juazeiro Monsenhor Alexandrino
No Coração dos Deuses Mestre Gabriel
O Viajante
2001 Minha Vida em Suas Mãos Pablo
O Xangô de Baker Street Leiteiro
2002 A Selva Caetano
2012 A Idade da Inocência Velho Curta-metragem
O Inventor de Sonhos Eustáquio
2016 Apaixonados - O Filme Marceneiro
Cartas de Amor São Ridículas Lázaro
Doidas & Santas Delegado
2017 Lampião - O Filme José Filipe Gomes de Oliveira, pai de Maria Bonita
2021 Pai em Dobro Arthur

TeatroEditar

  • 1968 - O Capeta de Caruaru
  • 1975/1976 - Gota D'Água - Jasão

Prêmios e indicaçõesEditar

Ano Associações Categoria Nomeações Resultado
1980 Festival de Cinema de Brasília Melhor Ator Coadjuvante
O Caso Cláudia
Venceu
Prêmio APCA de Televisão Melhor Ator
Cabocla
Venceu
1983 Prêmio APCA de Televisão Melhor Ator
Paraíso
Venceu
2018 Prêmio F5 da Folha de S.Paulo Melhor Ator
Segundo Sol
Indicado

Referências

  1. a b c d e «Perfil Completo – Roberto Bomfim – Memória». Consultado em 18 de junho de 2021 
  2. a b «Roberto Bomfim – Memória». Consultado em 18 de junho de 2021 
  3. «O Domingo Espetacular mostra a luta do ator Roberto Bonfim contra a obesidade». R7.com 
  4. NewsPrime (7 de junho de 2021). «Cadeira de rodas e cirurgias: por onde anda Roberto Bonfim, o Antoninho de Império?». TV História. Consultado em 18 de junho de 2021 
  5. a b «Nilson Xavier - Roberto Bonfim se destaca como vilão em Segundo Sol; relembre sua carreira». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 18 de junho de 2021 
  6. takeum (22 de maio de 2012). «Com US$450, o motorista Jota da novela América fez a América. E hoje, ele conta como». Chris Delboni (em inglês). Consultado em 18 de junho de 2021 
  7. «'Império' é a próxima novela a reprisar na Globo; relembre quem é quem». www.folhape.com.br. Consultado em 18 de junho de 2021 
  8. «'Babilônia': Alice começa a trabalhar no bar de Cadelão e o novo chefe tenta abusar sexualmente dela, em 'Babilônia'». Gshow.com. 23 de abril de 2015 
  9. Patrícia Kogut (19 de novembro de 2019). «Roberto Bonfim fará participação em 'Nos tempos do Imperador'». O Globo. Consultado em 22 de novembro de 2019 
  10. «Exclusivo: Elenco se reúne e confirma Silvia Pfeifer e Roberto Bomfim em Reis; confira outros nomes». Portal Alta Definição. 20 de outubro de 2021. Consultado em 22 de outubro de 2021 
  11. a b c d «Roberto Bonfim» (em inglês). Consultado em 13 de Junho de 2012 

Ligações externasEditar