Abrir menu principal

Roberto III da Flandres

Roberto III da Flandres
Conde da Flandres
Roberto III
Casa Casa de Dampierre
Morte 17 de setembro de 1322
  Ypres
Cônjuge(s) Branca da Sicília
Iolanda II, condessa de Nevers
Pai Guido de Dampierre
Mãe Matilde de Béthune

Roberto III da Flandres (1249 – 17 de setembro de 1322), também chamado Roberto de Béthune e com o cognome Leão da Flandres ("De Leeuw van Vlaanderen"), foi conde de Nevers entre 1273 e 1322 e conde da Flandres entre 1305 e 1322.

HistóriaEditar

Roberto foi o filho mais velho de Guido de Dampierre[1] no seu primeiro casamento com Matilde de Béthune. O seu pai basicamente transferiu-lhe o reino da Flandres em novembro de 1299, durante a guerra com Filipe IV da França. Tanto o pai como o filho foram feitos reféns em maio de 1300, e Roberto só seria libertado em 1305.

Roberto de Béthune ganhou fama militar na Itália, onde combateu juntamente como sogro Carlos I da Sicília (1265–1268) contra os últimos Hohenstaufen, Manfredo e Conradino. Junto com o seu pai interveio em 1270 na Oitava Cruzada, liderada por Luís IX da França. Depois do regresso da Cruzada continuou a ser uma ajuda leal ao pai, tanto política como militarmente, na luta contra as tentativas do rei francês Filipe IV, o Belo para adicionar a Flandres às Terras da Coroa da França.

Guido de Dampierre rompeu todos os laços feudais com o rei francês em 20 de janeiro de 1297, principalmente por influência sua. Quando a resistência parecia desesperada, Roberto deixou que o tomassem prisioneiro, junto com seu pai e irmão Guilherme de Crèvecoeur, e foram levados ao rei francês em maio de 1300. Pouco antes disso tinha-se tornado no governante de facto da Flandres. Foi encerrado no castelo de Chinon. Contra a crença popular, e do romântico retrato que fez dele Hendrik Conscience na sua novela sobre estes acontecimentos (O leão da Flandres), não interveio na batalha de Courtrai.[2]

Em julho de 1305, depois de o seu pai ter morrido em cativeiro, foi-lhe permitido voltar ao seu condado. A execução do Tratado de Athis-sur-Orge marcaria o governo do conde Roberto. No princípio conseguiu certo êxito em que tanto o campo como as cidades cumprissem os seus deveres. Porém, em abril de 1310 começou a resistir radicalmente aos franceses, com o apoio dos seus súbditos e da sua família. Tanto diplomática como militarmente conseguiu resistir ao rei francês. Quando foi para Lille em 1319 a milícia de Gant recusou cruzar o Leie com ele. Quando o seu neto Luís I de Nevers também o pressionou, Roberto abandonou a batalha e partiu para Paris em 1320 para restaurar os laços feudais com o rei francês.

Mesmo depois disso ampliaria o cumprimento do tratado de Athis-sur-Orge. Roberto morreu em 1322 e foi sucedido pelo seu neto Luís, conde de Nevers e Rethel.

Foi enterrado na Flandres, na Catedral de São Martinho de Ypres, tal como foi seu desejo explícito de ser sepultado em solo flamengo. Só se permitiu trasladar o seu corpo para a abadia de Flines (perto de Douai) quando Lille e Douai foram de novo integradas no condado da Flandres. A sua primeira mulher e o seu pai também foram sepultados nesta abadia.

FamíliaEditar

Roberto casou duas vezes. A sua primeira mulher foi Branca (f. em 1269),[1] filha de Carlos I da Sicília e Beatriz da Provença, em 1265. Tiveram um filho, Carlos, que morreu jovem.

A sua segunda mulher foi Iolanda II, condessa de Nevers (f. 11 de junho de 1280),[1] filha de Otão, conde de Nevers, c. 1271. Tiveram cinco filhos:

  1. Luís I (n. 1272, f. 24 de julho de 1322, Paris), conde de Nevers, casado em dezembro de 1290 com Joana, condessa de Rethel (f. depois de 12 de março de 1328). O seu filho foi Luís I da Flandres.
  2. Roberto (f. 1331), conde de Marle, casado c. 1323 com Joana da Bretanha (1296-24 de março de 1363), senhora de Nogent-le-Rotrou, filha do duque Artur II da Bretanha. Os seus filhos foram João, senhor de Cassel (f. 1332) e Iolanda (1331–1395), casada com Henrique IV de Bar.
  3. Juana (f. 15 de outubro de 1333), casada em 1288 com Enguerrando IV, senhor de Coucy (f. 1310), visconde de Meaux.[3]
  4. Iolanda (f. 1313), casada até 1287 com Guálter II de Enghien (f. 1309).
  5. Matilde, casada até 1314 com Mateus da Lorena (f. c. 1330), senhor de Warsberg.

HonrariasEditar

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Roberto III da Flandres
Precedido por
Guido
 
Conde da Flandres

1305 - 1322
Sucedido por
Luís I
Precedido por
Iolanda II
 
Conde iure uxoris de Nevers

1272 - 1280
Sucedido por
Luís


  1. a b c Randall Fegley, The Golden Spurs of Kortrijk: How the Knights of France Fell to the Foot Soldiers of Flanders in 1302, (McFarland & Co., 2002), 104.
  2. J.F. Verbruggen, editado por Keely Devries, traducido al inglés por D.R. Ferguson, The Battle of the Golden Spurs, pág. 19, 2002, ISBN 0-85115-888-9.
  3. Heraldry and Identity in the Psalter-Hours of Jeanne of Flanders (Manchester, John Rylands Library, MS LAT. 117), Richard A. Leson, Studies in Iconography, Vol. 32 (2011), 155.