Roberto II de Artésia

Roberto II de Artésia (setembro de 1250 - 11 de julho de 1302) foi o filho póstumo de Roberto, conde d'Artésia e de Matilde de Brabante. Chamado o Bom, o Nobre, está sepultado na abadia de Maubuisson.

Roberto tornou-se Conde de Artésia desde 1250 e foi armado cavaleiro por seu tio, o rei Luís IX em 1267. Teve grande influência na corte de seu primo, Filipe III, o Ousado. Serviu seu tio Carlos de Anjou, rei da Sicilia. Após a morte deste, foi nomeado regente do Reino de Nápoles em 1285, uma vez que como Carlos II estava aprisonado pelos aragoneses.

Em 1289 voltou para a França e tornou-se num dos principais chefes militares de Filipe IV, o Belo. Foi o responsável do desastre de Courtai, e pereceu durante essa batalha.

Casamento e descendênciaEditar

Casou em Paris 1259 com Amícia de Courtenay (1250-1275 Roma), senhora ou dame de Conches, Mehun, Selles, Châteaurenard et Charny, filha de Pedro de Courtenay e de Jeanne-Pernelle de Joigny; tiveram três filhos.

Casou em 1277 com Agnès de Bourbon (1237-1288) herdeira de Bourbon, filha de Archambaut IX de Dampierre, senhor de Bourbon.

Casou ainda em 1298 com Margarida de Hainaut (morta em 1342 e sepultada em Valenciennes) filha de Jean d’Avesnes, Conde de Hainaut e da Holanda.

Precedido por
Roberto I
Conde de Artésia
setembro de 1250 - 11 de julho de 1302
Sucedido por
Matilde