Abrir menu principal
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde dezembro de 2009). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Roberto Maya
Nascimento 5 de janeiro de 1935 (84 anos)
Campinas, São Paulo
Nacionalidade Brasileiro
Ocupação Ator, dublador e apresentador

Roberto Maya (Campinas, 5 de janeiro de 1935) é um ator, dublador e apresentador de TV brasileiro.

Estudou na Escola de Arte Dramática, mas não chegou a se formar. Iniciou sua carreira nos anos 50, como rádio-ator, sendo convidado para trabalhar na dublagem, e logo após cinema, estreando em Teus Olhos Castanhos (1961), de Ibáñez Filho.

Atuou em outros filmes, como Juventude e Ternura (1966). Na televisão, destaque para novelas como Simplesmente Maria (1968) e Éramos Seis (1977), ambas na antiga Rede Tupi. Entre as décadas de 70 e 80, Roberto Maya torna-se figura fácil nas "pornochanchadas", como A Noite dos Imorais (1979) e Os Rapazes da Difícil Vida Fácil (1980), produzidas na boca do lixo paulistana.

Em 1983, participa da novela Final Feliz e no mesmo ano é convidado pela então recém-inaugurada Rede Manchete para apresentar o Jornal da Manchete, na época um inovador telejornal de duas horas de duração, com mais sete apresentadores. Fica no Jornal da Manchete até meados de 1989, quando é convidado pelo documentarista Nelson Hoineff para apresentar o Documento Especial, jornalístico independente inicialmente apresentado na própria Manchete, entre 1989 e 1992, e permanece no programa nas temporadas em que foi exibido no SBT (de 1992 a 1995) e na Bandeirantes (1997 e 1998).

Volta ao cinema apenas em 2005, no filme Cafuné. Na televisão, participou da novela Paraíso Tropical, que terminou em 29 de setembro de 2007.

Índice

CarreiraEditar

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.