Abrir menu principal

36° 02′ 45″ N, 14° 11′ 27″ L

Rocha do Fungo em 2002
Rocha do Fungo em fevereiro de 2007

Rocha do Fungo, ou Rocha do General[1] (em maltês Il-Ġebla tal-Ġeneral, em inglês Fungus Rock), é uma pequena ilhota de calcário de 60 metros de altura na entrada da lagoa negra circular em Dwejra, na ilha de Gozo nas Ilhas Maltesas, pertencentes a Malta. Encontra-se sob jurisdição da cidade de San Lawrenz.

Um general da Ordem Soberana e Militar de Malta aparentemente descobriu um estranho tubérculo, Fucus coccineus melitensis, conhecido como "fungo de Malta" e erroneamente chamado de fungo, que crescia na zona plana alta da rocha. Acreditava-se que essa planta de cheiro repulsivo possuía propriedades medicinais e os cavaleiros da Ordem utilizaram-na como hemostático para feridas e como cura para a diarreia. Era tão apreciada que chegou a ser oferecida como um precioso presente para nobres ilustres e visitantes das ilhas de Malta. O Grão-mestre Manuel Pinto da Fonseca decretou a o rochedo fora dos limites em 1746 (invasores eram punidos com três anos nas galés da Ordem), colocou uma guarda permanentemente lá e até mesmo construiu uma precária cesta suspensa por cabos da rocha para o continente, 50 metros distante dali.

Mais tarde descobriu-se que esses esforços foram em vão, já que a Fucus coccineus melitensis não possui nenhuma propriedade medicinal.

A Rocha do Fungo é actualmente uma reserva natural, mas a costa que lhe é próxima é acessível aos banhistas e o mar é ideal para a prática de mergulho.

Referências

  1. Teresa Frederico (2009). «Malta & Gozo - História(s) com Vista para o Mar». Consultado em 27 de Agosto de 2017. Teresa Frederico é uma jornalista de viagens portuguesa, da revista Rotas & Destinos