Abrir menu principal
Rocky Marciano
Campeão mundial dos pesos pesados
Boxing pictogram.svg
Rocky Marciano
Informações pessoais
Nome de nasc. Rocco Francis Marchegiano
Apelido
  • The Brockton Blockbuster
  • The Rock from Brockton
Categoria Peso-Pesado
Nacionalidade Estadunidense
Data de nasc. 1 de setembro de 1923
Local de nasc. Brockton, Massachusetts
Falecimento 31 de agosto de 1969 (45 anos)
Local Newton, Iowa
Estilo Ortodoxo
Altura 1,79 m[1]
Envergadura 173 cm[1]
Cartel
Lutas 49
Vitórias 49
Nocautes 43
Derrotas 0
Empates 0
Sem resultado 0

Rocco Francis Marchegiano (Brockton, Massachusetts, 1 de setembro de 1923Newton, Iowa, 31 de agosto de 1969) conhecido como Rocky Marciano, foi um lutador de boxe estadunidense que competiu de 1947 a 1955. Foi campeão mundial dos pesos-pesados de 1952 a 1956, e é o único campeão mundial dos pesos pesados ​​na história do boxe profissional a se aposentar invicto,[2] sendo um dos poucos lutadores que encerraram suas carreiras sem nenhuma derrota.[3] Suas seis defesas de título foram contra Jersey Joe Walcott, Roland La Starza, Ezzard Charles (duas vezes), Don Cockell e Archie Moore.

Conhecido por seu estilo de luta implacável, um formidável poder de perfuração e resistência e excepcionalmente durável do queixo, Marciano foi incluído pelos historiadores de boxe em listas dos maiores pugilistas de todos os tempos,[4] e é atualmente classificado pela BoxRec como o 16º maior boxeador da história.[5] Sua porcentagem de nocautes vitoriosos é de 87,76% e continua a ser uma das mais altas na história do boxe peso-pesado.

Rocky ficou conhecido também por nunca subestimar nenhum de seus adversários, pelo jeito humilde e modesto. Rocky foi o último branco campeão dos pesos pesados por um bom tempo e após sua carreira ter terminado, iniciou-se a supremacia afro-descendente nos ringues que durou até a chegada de Tommy Morrison nos anos 1990, e posteriormente, dos irmãos Vitali Klitschko e Wladimir Klitschko, que unificaram os títulos mundiais. A vida profissional do lutador inspirou o filme "Rocky"[6], com Sylvester Stallone no papel principal.

Índice

Primeiros anos de vidaEditar

Marciano nasceu e foi criado no lado sul de Brockton, Massachusetts, seus pais eram Pierino Marchegiano e Pasqualina Picciuto. Ambos os pais eram emigrantes da Itália. Seu pai era de Ripa Teatina, Abruzzo, enquanto sua mãe era de San Bartolomeo em Galdo, Campania. Rocky tinha dois irmãos, Louis (também conhecido como Sonny) e Peter, e três irmãs, Alice, Concetta e Elizabeth. Quando tinha cerca de 18 meses de idade, Marciano contraiu pneumonia, da qual quase morreu.

Em sua juventude, ele jogou beisebol com Sonny e David Rooslet (um amigo do bairro de Marciano). Ele freqüentou a Brockton High School, onde jogou beisebol e futebol. No entanto, ele foi cortado do time de beisebol da escola porque se juntou a uma liga da igreja, violando uma regra da escola que proíbe os jogadores de se juntarem a outras equipes. Ele abandonou a escola depois de terminar a décima série.

Marciano, então, trabalhou como ajudante em caminhões de entrega para a Brockton Ice and Coal Company. Ele também trabalhou como escavador de estrada de ferro[7] e sapateiro. Rocky também foi morador de Hanson, Massachusetts; a casa em que ele morava ainda fica na Main Street.

Em março de 1943, Marciano foi convocado para o Exército dos Estados Unidos por um período de dois anos. Estabelecido em Swansea, no País de Gales, ele ajudou a transportar suprimentos pelo Canal da Mancha até a Normandia. Depois que a Segunda Guerra Mundial terminou, ele completou seu serviço em março de 1946 em Fort Lewis, Washington.

Carreira no boxeEditar

AmadorEditar

O recorde amador de Marciano foi declarado como tendo 8 vitórias e 4 derrotas,[8] enquanto outras fontes afirmam ser 9–4.[9] Enquanto aguardava a dispensa militar, Marciano representou o Exército e venceu o torneio de boxe das Forças Armadas Amadoras de 1946. Sua carreira amadora foi brevemente interrompida em 17 de março de 1947, quando Marciano entrou no ringue como competidor profissional no Valley Arena Gardens de Holyoke, Massachusetts, sendo considerado "Rocky Mackianno of Westover Field".[10][11] Naquela noite, ele nocauteou o lutador local Lee Epperson em três rounds. Em um movimento incomum, Marciano voltou para a carreira amadora e lutou nas luvas de ouro do torneio All-East Championship em março de 1948. Ele foi controversamente espancado por Coley Wallace.[12] Ele continuou a lutar como amador durante a primavera e competiu nos testes olímpicos da AAU no Boston Garden. Lá, ele nocauteou George McInnis, mas machucou as mãos durante a luta e foi forçado a se retirar do torneio. Essa foi a sua última luta amadora.[13]

No final de março de 1947, Marciano e vários amigos viajaram para Fayetteville, Carolina do Norte, para experimentar o Fayetteville Cubs, uma equipe agrícola do time de beisebol Chicago Cubs.[14] Marciano durou três semanas antes de ser cortado. Depois de não conseguir encontrar um lugar em outro time, ele voltou para Brockton e começou o treinamento de boxe com o amigo de longa data Allie Colombo. Al Weill e Chick Wergeles serviram como seus gerentes e Charley Goldman como seu treinador e professor.

ProfissionalEditar

Embora ele tenha tido uma luta profissional (contra Lee Epperson) em seu registro, Marciano começou a lutar permanentemente como boxeador profissional em 12 de julho de 1948. Naquela noite, ele conseguiu uma vitória sobre Harry Bilizarian (3-6-0). Ele ganhou seus primeiros 16 duelos por nocaute, todos antes do quinto round e nove antes do primeiro round acabar. Don Mogard (17–9–1) tornou-se o primeiro pugilista a durar até o fim (com 10 rounds regulares), mas Marciano venceu por decisão unânime.

No início de sua carreira, ele mudou a grafia do sobrenome Marchegiano. O locutor do ringue em Providence, Rhode Island, não conseguiu pronunciar Marchegiano, então o treinador de Marciano, Al Weill, sugeriu que criassem um pseudônimo. A primeira sugestão foi Rocky Mack, que Marciano rejeitou. Ele decidiu ir com o mais italiano "Marciano".[15]

Marciano venceu mais três lutas por nocaute e, em seguida, ele lutou com Ted Lowry (58-48-9). Marciano manteve sua série de vitórias vivo, derrotando Lowry por decisão unânime. Mais quatro vitórias seguidas foram disputadas em 19 de dezembro de 1949, com Phil Muscato (56–20–0), um experiente peso-pesado de Buffalo, Nova York, sendo o primeiro “lutador” que Marciano enfrentou. Três semanas depois dessa luta, Marciano venceu Carmine Vingo (16-1 por 1) por um nocaute no sexto round em Nova York que quase matou Vingo.

Marciano vs. La StarzaEditar

Em 24 de março de 1950, Marciano lutou contra Roland La Starza, vencendo por decisão dividida. La Starza pode ter chegado mais perto de derrotar Marciano do que qualquer outro boxeador como profissional. A pontuação para a luta foi de 5 a 4, 4 a 5 e 5 a 5. Marciano ganhou em um sistema de pontos suplementares usado por Nova York e Massachusetts naquela época. O sistema de pontuação não deu um ponto extra por um knockdown e Marciano marcou um knockdown na luta. O árbitro Watson foi quem decidiu a luta, marcando mais pontos para Marciano. Ambos os pugilistas estavam invictos antes da luta, com o recorde de La Starza em 37-0.[16]

Lutas subseqüentesEditar

Marciano marcou mais três nocautes seguidos antes de uma revanche com Lowry (61-56-10), Marciano novamente venceu por decisão unânime. Depois disso, ele marcou mais quatro nocautes e, após uma decisão sobre Red Applegate (11–14–2) no final de abril de 1951, ele apareceu na televisão em rede nacional pela primeira vez, nocauteando Rex Layne (34–1–2) em seis rounds no dia 12 de julho de 1951.

Em 27 de outubro de 1951, Marciano, de 28 anos, enfrentou Joe Louis, de 37 anos.[17] Marciano derrotou o adversário naquela que seria a última luta de Louis em sua carreira. Depois de mais quatro vitórias, incluindo vitórias sobre Lee Savold de 35 anos (96–37–3) e Harry Matthews (81–3–5), Marciano recebeu uma chance para brigar pelo título mundial.

Lutas de campeonatoEditar

Marciano, de 29 anos, enfrentou o campeão mundial de pesos-pesados, Joe Walcott, de 38 anos, na Filadélfia, em 23 de setembro de 1952. Walcott derrotou Marciano no primeiro round e construiu uma vantagem de pontos. No round 13, Walcott usou um golpe que era sua marca registrada com a sua mão direita, mas um golpe de Marciano lhe acertou primeiro, um poderoso gancho de direita fazendo com que Walcott caísse de joelhos com o braço sobre as cordas. Ele ficou imóvel muito tempo depois de ter sido atingido e Marciano se tornou o novo Campeão Mundial dos pesos-pesados. No momento da interrupção, Walcott liderava todos os scorecards 8–4, 7–5 e 7–4.[18]

Sua primeira defesa veio um ano depois - uma revanche contra Walcott, de 39 anos, que desta vez foi nocauteado no primeiro round. Em seguida, foi a vez de Roland La Starza desafiar Marciano. Depois de construir uma pequena vantagem no placar dos juízes durante as rodadas intermediárias, Marciano venceu a revanche por um nocaute técnico no round 11.

Depois disso vieram duas lutas consecutivas contra o ex-campeão mundial de pesos pesados ​​e lenda dos meio-pesados Ezzard Charles, 33, que se tornou o único homem a durar 15 rounds contra Marciano.[19] Marciano venceu a primeira luta em pontos e a segunda por um nocaute no oitavo round. Então, Marciano conheceu o campeão britânico e europeu Don Cockell. Marciano o nocauteou no nono round.[20]

A última disputa pelo título de Marciano foi contra Archie Moore, de 38 anos, em 21 de setembro de 1955. A luta estava marcada para 20 de setembro, mas por causa dos avisos de furacão, teve que ser adiada por um dia. Marciano foi derrubado por uma contagem de quatro no segundo round, mas se recuperou e manteve o título com um nocaute no round nove.

Marciano anunciou sua aposentadoria em 27 de abril de 1956, aos 32 anos.[21] Ele terminou sua carreira com 49 vitórias e nenhuma derrota.

A vida depois do boxeEditar

Marciano considerou um retorno em 1959 quando Ingemar Johansson ganhou o título dos pesos-pesados ​​de Floyd Patterson em 26 de junho de 1959. Depois de apenas um mês de treinamento em quase quatro anos, Marciano decidiu desistir e nunca mais considerou seriamente um retorno.[22]

Após sua aposentadoria, Marciano entrou no mundo da televisão, aparecendo pela primeira vez no Combat! no episódio "Masquerade" e, em seguida, em um programa semanal de boxe na TV em 1961. Por um breve período, ele trabalhou como árbitro de solução de problemas no wrestling (Marciano era um bom wrestler no ensino médio). Ele continuou como árbitro e comentarista de boxe em lutas de boxe por muitos anos. Ele também atuou nos negócios como sócio e vice-presidente da Papa Luigi Spaghetti Dens, uma franquia de São Francisco formada por Joe Kearns e James Braly. Ele construiu uma casa personalizada em Wilton Manors, Flórida, um subúrbio de Fort Lauderdale. A casa ainda está no mesmo local até os dias atuais.

No final de julho de 1969, pouco antes de sua morte, Marciano participou das filmagens da filme The Superfight: Marciano vs. Ali. Os dois pugilistas foram filmados lutando, em seguida, o filme foi editado para coincidir com uma simulação de computador de uma luta hipotética entre eles, cada um em seu auge. Foi ao ar em 20 de janeiro de 1970, com uma versão tendo Marciano ganhando e a segunda versão tendo Ali vencendo.

MorteEditar

Em 31 de agosto de 1969 (véspera de seu 46º aniversário), Marciano era passageiro de um pequeno avião particular, um Cessna 172[23] indo para Des Moines, Iowa. Era noite e o mau tempo se instalara. O piloto, Glenn Belz, tinha 231 horas totais de tempo de vôo, 35 delas à noite e não possuíam classificação de instrumentos. Belz tentou pousar o avião em um pequeno aeródromo nos arredores de Newton, Iowa, mas a aeronave atingiu uma árvore a três quilômetros da pista. Voando com Marciano no banco de trás estava Frankie Farrell, 28 anos, o filho mais velho de Lew Farrell, um ex-boxeador que conhecia Marciano desde a infância.[24] Marciano, Belz e Farrell foram mortos no impacto.[24][25][25]

O relatório do National Transportation Safety Board disse: "O piloto tentou uma operação que excedeu sua experiência e nível de habilidade, continuou as regras de voo visual sob condições climáticas adversas e experimentou desorientação espacial nos últimos momentos do vôo."[26] Marciano estava a caminho de dar um discurso para apoiar o filho de seu amigo e havia uma festa de aniversário surpresa esperando por ele. Ele esperava voltar no início da manhã para sua celebração de 46 anos com sua esposa. Ele estava vindo de um jantar em Chicago na casa do CEO do STP, Andy Granatelli.

Marciano está enterrado em uma cripta no cemitério Forest Lawn Memorial em Fort Lauderdale, Flórida. Sua esposa, Barbara Marciano, morreu cinco anos depois, aos 46 anos, devido ao câncer de pulmão, e está sepultada ao lado dele.[27]

LegadoEditar

Sua carreira nos ringues também seria uma das inspiradoras para a criação dos filmes Rocky de Sylvester Stallone, juntamente com outros grandes campeões do boxe dos Estados Unidos. Em 1999 foi lançado um filme para TV, contando sua vida e sua carreira, o nome do filme é "Rocky Marciano". Além de vários livros escritos em sua homenagem, valendo destacar o "Rocky Marciano, Biography of a First Son".

Resultados no BoxeEditar

Foi um dos campeões mundiais no boxe a encerrar a carreira invicto, somando 49 vitórias, nenhum empate e nenhuma derrota.

49 Vitórias (43 nocautes, 6 decisão dos juízes), 0 Derrotas, 0 Empates[28]
No. Resultado Recorde Oponente Tipo Round, tempo Data Local Notas
49 Vitória 49–0   Archie Moore KO 9 (15), 1:19 21 Set 1955   Yankee Stadium, Nova York Retém o título mundial de pesos pesados
48 Vitória 48–0   Don Cockell TKO 9 (15), 0:54 16 Mai 1955   Kezar Stadium, São Francisco, Califórnia Retém o título mundial de pesos pesados
47 Vitória 47–0   Ezzard Charles KO 8 (15), 2:36 17 Set 1954   Yankee Stadium, Nova York Retém o título mundial de pesos pesados
46 Vitória 46–0   Ezzard Charles DU 15 17 Jun 1954   Yankee Stadium, Nova York Retém o título mundial de pesos pesados
45 Vitória 45–0   Roland La Starza TKO 11 (15) 24 Set 1953   Polo Grounds, Nova York Retém o título mundial de pesos pesados
44 Vitória 44–0   Jersey Joe Walcott KO 1 (15), 2:25 15 Mai 1953   Chicago Stadium, Chicago, Illinois Retém o título mundial de pesos pesados
43 Vitória 43–0   Jersey Joe Walcott KO 13 (15), 0:43 23 Set 1952   Municipal Stadium, Filadélfia Conquista o título mundial de pesos pesados
42 Vitória 42–0   Harry Matthews KO 2 (10), 2:04 28 Jul 1952   Yankee Stadium, Nova York
41 Vitória 41–0   Bernie Reynolds KO 3 (10), 2:21 12 Mai 1952   Auditorium, Providence, Rhode Island
40 Vitória 40–0   Gino Buonvino KO 2 (10), 1:35 21 Abr 1952   Auditorium, Providence, Rhode Island
39 Vitória 39–0   Lee Savold RTD 6 (10), 3:00 13 Fev 1952   Convention Hall, Filadélfia, Pennsylvania
38 Vitória 38–0   Joe Louis TKO 8 (10) 26 Out 1951   Madison Square Garden, Nova York
37 Vitória 37–0   Freddie Beshore KO 4 (10), 0:50 27 Ago 1951   Boston Garden, Boston, Massachusetts
36 Vitória 36–0   Rex Layne KO 6 (10), 0:35 12 Jul 1951   Madison Square Garden, Nova York
35 Vitória 35–0   Willis Applegate DU 10 30 Abr 1951   Auditorium, Providence, Rhode Island
34 Vitória 34–0   Art Henri TKO 9 (10), 2:51 26 Mar 1951   Auditorium, Providence, Rhode Island
33 Vitória 33–0   Harold Mitchell TKO 2 (10), 2:45 20 Mar 1951   Auditorium, Hartford, Connecticut
32 Vitória 32–0   Keene Simmons TKO 8 (10), 2:54 29 Jan 1951   Auditorium, Providence, Rhode Island
31 Vitória 31–0   Bill Wilson TKO 1 (10), 1:50 18 Dez 1950   Auditorium, Providence, Rhode Island
30 Vitória 30–0   Ted Lowry DU 10 13 Nov 1950   Auditorium, Providence, Rhode Island
29 Vitória 29–0   Johnny Shkor TKO 6 (10), 1:28 18 Set 1950   Auditorium, Providence, Rhode Island
28 Vitória 28–0   Gino Buonvino TKO 10 (10), 0:25 10 Jul 1950   Braves Field, Boston, Massachusetts
27 Vitória 27–0   Eldridge Eatman TKO 3 (10) 5 Jun 1950   Auditorium, Providence, Rhode Island
26 Vitória 26–0   Roland La Starza DD 10 24 Mar 1950   Madison Square Garden, Nova York
25 Vitória 25–0   Carmine Vingo KO 6 (10), 1:46 30 Dez 1949   Madison Square Garden, Nova York
24 Vitória 24–0   Phil Muscato TKO 5 (10), 1:15 19 Dez 1949   Auditorium, Providence, Rhode Island
23 Vitória 23–0   Pat Richards TKO 2 (8), 0:39 2 Dez 1949   Madison Square Garden, Nova York
22 Vitória 22–0   Joe Dominic KO 2 (10), 2:26 7 Nov 1949   Auditorium, Providence, Rhode Island
21 Vitória 21–0   Ted Lowry DU 10 10 Out 1949   Auditorium, Providence, Rhode Island
20 Vitória 20–0   Tommy DiGiorgio KO 4 (10), 2:04 26 Set 1949   Auditorium, Providence, Rhode Island
19 Vitória 19–0   Pete Louthis KO 3 (10) 16 Ago 1949   New Page Arena, New Bedford, MA
18 Vitória 18–0   Harry Haft KO 3 (10), 2:21 18 Jul 1949   Auditorium, Providence, Rhode Island
17 Vitória 17–0   Don Mogard DU 10 23 Mai 1949   Auditorium, Providence, Rhode Island
16 Vitória 16–0   Jimmy Evans TKO 3 (10) 2 Mai 1949   Auditorium, Providence, Rhode Island
15 Vitória 15–0   Jimmy Walls KO 3 (10), 2:44 11 Abr 1949   Auditorium, Providence, Rhode Island
14 Vitória 14–0   Artie Donato KO 1 (10), 0:33 28 Mar 1949   Auditorium, Providence, Rhode Island
13 Vitória 13–0   Johnny Pretzie TKO 5 (10), 1:46 21 Mar 1949   Auditorium, Providence, Rhode Island
12 Vitória 12–0   Gilley Ferron TKO 2 (6), 2:21 14 Dez 1948   Convention Hall, Filadélfia
11 Vitória 11–0   James Connolly TKO 1 (8), 1:57 29 Nov 1948   Auditorium, Providence, Rhode Island
10 Vitória 10–0   Bob Jefferson TKO 2 (6), 2:30 4 Out 1948   Auditorium, Providence, Rhode Island
9 Vitória 9–0   Gilbert Cardone KO 1 (4), 0:36 30 Set 1948   Uline Arena, Washington, D.C.
8 Vitória 8–0   Bill Hardeman KO 1 (6) 20 Set 1948   Auditorium, Providence, Rhode Island
7 Vitória 7–0   Humphrey Jackson KO 1 (6), 1:08 13 Set 1948   Auditorium, Providence, Rhode Island
6 Vitória 6–0   Jimmy Weeks TKO 1 (6), 2:50 30 Ago 1948   Auditorium, Providence, Rhode Island
5 Vitória 5–0   Eddie Ross KO 1 (6), 1:03 23 Ago 1948   Auditorium, Providence, Rhode Island
4 Vitória 4–0   Bobby Quinn KO 3 (4), 0:22 9 Ago 1948   Auditorium, Providence, Rhode Island
3 Vitória 3–0   John Edwards KO 1 (4), 1:19 19 Jul 1948   Auditorium, Providence, Rhode Island
2 Vitória 2–0   Harry Bilzerian TKO 1 (4) 12 Jul 1948   Auditorium, Providence, Rhode Island
1 Vitória 1–0   Lee Epperson KO 3 (4), 0:42 17 Mar 1947   Valley Arena, Holyoke, Massachusetts

Referências

  1. a b «"The secrets behind the legend of Rocky Marciano"». Boxing News. 13 de agosto de 2017 
  2. Schwartz, Larry. "Marciano glorified boxing". ESPN. Retrieved March 19, 2018.
  3. Ian Morrison (1986). Boxing, the records. [S.l.]: Guinness Books. ISBN 9780851128054 
  4. «Boxrec all time». p4p rankings 
  5. «Fenômeno do boxe, Rocky Marciano inspirou clássico do cinema com Stallone». O Globo. 19 de setembro de 2017. Consultado em 2 de janeiro de 2019 
  6. Skehan, p. 32
  7. Skehan, p. 73
  8. «"Rocky Marciano's Most Complete, True Amateur Record: 9–4 (8 KO's)». encyclopediasupreme.org. 31 de março de 2018. Consultado em 20 de julho de 2018 
  9. «Saint Paul and Tommy Hubert on Arena Card». Springfield Union. Springfield, Mass. 17 de março de 1947. p. 7 
  10. Sullivan, Russell (2002). «Holyoke». Rocky Marciano: The Rock of His Times. Urbana and Chicago: University of Illinois Press. pp. 9–12 
  11. Skehan, p. 69
  12. Skehan, p. 70
  13. Skehan, p. 66
  14. Ed Fitzgerald (January 1953).«Rocky Marciano – The Blockbuster from Brockton». Consultado em 29 de dezembro de 2007. Arquivado do original em 2 de maio de 2009  |archiveurl= e |arquivourl= redundantes (ajuda); |archivedate= e |arquivodata= redundantes (ajuda); |accessdate= e |acessodata= redundantes (ajuda); |deadurl= e |urlmorta= redundantes (ajuda) . thesportgallery.com
  15. Robert Ecksel (12 de março de 2017). «Classic Fights: Marciano KOs LaStarza». Boxing.com. Consultado em 24 de julho de 2018 
  16. Will Hammock (5 de junho de 2010). «The Champ: County to honor legendary boxer Charles today». Gwinnett Daily Post 
  17. Wilson Baldini Jr. (21 de junho de 2012). «Lutas que marcaram época - Rocky Marciano X Jersey Joe Walcott». Estadão. Consultado em 25 de julho de 2018 
  18. Will Hammock (5 de junho de 2010). «The Champ: County to honor legendary boxer Charles today». Gwinnett Daily Post 
  19. Coyote Duran. «ROCKY MARCIANO-ARCHIE MOORE REMEMBERED». Ring TV. Consultado em 25 de julho de 2018 
  20. Mullan (1996). Boxing: The Definitive Illustrated Guide to World Boxing. London, England: Carlton Books. p. 81. ISBN 0-7858-0641-5 
  21. Skehan, p. 257
  22. «The Crash of Rocky Marciano's Cessna». Fights and Flights... 31 de agosto de 1969 
  23. a b «Rocky Marciano». www.check-six.com 
  24. a b Ken Jones and Chris Smith (1990). Boxing The Champions. [S.l.]: The Crowood Press. 51 páginas 
  25. «Thirty Fifth Anniversary Of The Death Of Rocky Marciano». Eastsideboxing.com. Consultado em 9 de agosto de 2012. Arquivado do original em 18 de abril de 2012 
  26. «Marciano Cessna». Check Six. Consultado em 20 de julho de 2018 
  27. «Rocky Marciano - Boxer». BoxRec. Consultado em 8 de julho de 2012 

Ligações externasEditar