Abrir menu principal
Rodolfo da Suábia
Nascimento 1025
Morte 15 de outubro de 1080 (55 anos)
Merseburg
Sepultamento Catedral de Merseburg
Cidadania Sacro Império Romano-Germânico
Cônjuge Matilda da Suábia, Adelaide de Saboia
Filho(s) Adelaide de Rheinfelden, Bertoldo I, Duque da Suábia, Inês de Rheinfelden
Ocupação monarca
Título duque

Rodolfo de Rheinfelden (c. 102515 de outubro de 1080) foi duque da Suábia entre 1057 e 1079, e anti-rei da Germânia de 1077 até sua morte. Era filho do Cuno, conde de Rheinfelden.

Gravura de Bernhard Rode ilustrando Rodolfo mortalmente ferido, e com a mão direita decepada, após combater os exércitos do imperador Henrique IV (1781).

BiografiaEditar

Em 1057, Rodolfo aproveitou-se da minoridade de Henrique IV, rei dos romanos, e sequestrou sua irmã, Matilde. Ele pediu, e recebeu, a mão de Matilde em casamento, assim como o Ducado da Suábia e a administração do Reino da Borgonha.

Rodolfo foi duas vezes cunhado de Henrique IV, e, inicialmente, apoiou as campanhas do rei. Ele o ajudou na Turíngia e na Saxônia, e foi de grande importância na Primeira Batalha de Langensalza contra os insurgentes. Todavia, com o estopim da Questão das Investiduras, e a excomunhão de Henrique, Rodolfo se reuniu com vários outros membros da nobreza para escolherem um curso de ação. Embora a excomunhão do imperador ter sido suspendida, em 1077, os rebeldes continuaram com seu plano. Em Forcheim, Rodolfo foi eleito anti-rei. Ele prometeu respeitar o conceito eleitoral da monarqua e demonstrou sua vontade em ser subserviente ao Papa.

Em maio, Rodolfo foi coroado por Sigisfredo I, arcebispo de Mogúncia, mas o povo da cidade se revoltou e ele foi obrigado a fugir para a Saxônia. Isto apresentava um problema, uma vez que a Saxônia era separada de seu ducado da Suábia pelas terras do rei. Ele então deu a Suábia para seu filho Bertoldo e tentou retificar sua situação ao cercar Wurtzburgo, mas não foi o suficiente. Enquanto isso, ele foi privado da Suábia pela dieta em Ulm, em maio, e Henrique deu o ducado a Frederico de Büren, o primeiro governante Hohenstaufen.

A Batalha de Mellrichstadt, em 7 de agosto de 1078, não lhe rendeu resultados favoráveis. Rodolfo encontrou dificuldades em convencer os saxões a lutarem além de suas fronteiras; estes viam-no como um sulista e desconfiavam dele. Também frustrou-se com a aparente relutância do Papa em reconhecer sua causa. Para ganhar e manter aliados, ele se obrigou a dar grandes parte das terras da Coroa, assim como da Igreja, a seus seguidores. Todavia, as coisas pareceram melhorar em 1080. A Batalha de Flarchheim, em 27 de janeiro, foi a seu favor. Em 7 de março, finalmente, o Papa excomungou Henrique novamente e reconheceu Rodolfo como rei.

Entusiasmado, seus exércitos se encontraram com os de Henrique no rio Elster. A combate, que aconteceu em 14 de outubro de 1080, teria sido uma grande vitória aos opononentes de Henrique. Rodolfo, porém, teve sua mão direita decepada e foi ferido mortalmente no abdômen. Ele se retirou para as proximidades de Merseburgo, onde morreu no dia seguinte, e seu corpo foi sepultado na catedral da cidade.

Casamento e descendênciaEditar

Rodolfo casou-se duas vezes. A primeira vez, em 1059, foi com Matilde da Germânia, filha do imperador Henrique III e de Inês da Aquitânia. Todavia, ela logo veio a falecer, em 12 de maio de 1060, depois de dar à luz uma menina:

  1. Inês (†29 de dezembro de 1111), esposa de Bertoldo, futuro duque da Suábia.

Em 1067, Rodolfo casou-se novamente, com Adelaide de Turim (de quem foi o segundo marido), filha de Otão I de Saboia, e de Adelaide de Susa. O casal teve cinco filhos:

  1. Adelaide (†3 de maio de 1090), esposa de Ladislau I da Hungria;
  2. Bertoldo (†18 de maio de 1090), duque da Suábia;
  3. Berta (†1128), esposa de Urico X, conde de Begenz;
  4. Oto, que morreu jovem;
  5. Bruno, abade de Ussenhofen

Ligações externasEditar