Abrir menu principal
Question book.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita referências, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2019). Ajude a inserir fontes confiáveis e independentes. Material controverso que esteja sem fontes deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ficheiro:RodrigoATeixeiraPerfil.jpg
Rodrigo Teixeira em 2018
Rodrigo Teixeira
Nascimento 02 de dezembro de 1976 (46 anos) Rio de Janeiro, RJ
Cidadania Brasileiro
Ocupação Produtor cinematográfico

Rodrigo Abreu Teixeira (Rio de Janeiro, 02 de dezembro de 1976) é um premiado produtor de cinema e empresário brasileiro. Nascido no Rio e criado em São Paulo, se destaca como um dos únicos produtores brasileiros com ampla produção internacional. Produziu em 2017 Me chame Pelo Seu Nome, dirigido por Luca Guadagnino e vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado.

Em 2019, Rodrigo produziu o filme brasileiro A Vida Invisível, vencedor do prêmio Un Certain Regard em Cannes e The Lighthouse, vencedor do prêmio da crítica internacional no mesmo festival. Irá lançar ainda em 2019 os filmes The Wasp Network e Ad Astra, ambos selecionados para estrear no festival de Veneza.

BiografiaEditar

Iniciou a carreira nos anos 1990 através da aquisição de direitos autorais de livros[1]. No início dos anos 2000, encomendou a coleção de livros Camisa 13, em que autores como Nelson Motta, Washington Olivetto e Ruy Castro escreveram cada um uma obra sobre o time de seu coração[2]. O livro sobre o Palmeiras se transformaria, em 2005, no filme O Casamento de Romeu e Julieta, dirigido por Bruno Barreto. Em 2006, lança com sua produtora RT Features o seu primeiro longa: O Cheiro do Ralo, adaptação dirigida por Heitor Dhalia do romance de Lourenço Mutarelli.

Frances Ha (2012), dirigido por Noah Baumbach, foi o primeiro sucesso internacional da carreira do produtor, que nos anos seguintes se consolidaria com filmes como A Bruxa (sucesso indie de crítica e bilheteria), Mistress America e Me Chame Pelo seu Nome, que lhe rendeu uma indicação ao Oscar de melhor filme. No Brasil, também viria a produzir Alemão, Tim Maia e Abismo Prateado.

Rodrigo é membro da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, além de ser sócio em uma Joint Venture com Martin Scorsese para o investimento em novos diretores[3]. Em 2019, produziu o longa brasileiro de Karim Ainouz A Vida Invisível, escolhido para representar o Brasil no Oscar[4] e vencedor do prêmio Un Certain Regard no festival de Cannes. Também em Cannes exibiu pela primeira vez o segundo longa metragem de Robert Eggers, The Lighthouse, vencedor do prêmio da crítica internacional FIPRESCI[5]. Estreou no festival de Veneza os longas The Wasp Network, dirigido por Olivier Assayas e estrelado por Wagner Moura, e Ad Astra, ficção científica dirigida por James Gray e protagonizada por Brad Pitt.

FilmografiaEditar

CinemaEditar

TelevisãoEditar

ReferênciasEditar

  1. «Folha de S.Paulo - O acionista das letras - 11/01/2011». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 28 de agosto de 2019 
  2. «Folha de S.Paulo - O acionista das letras - 11/01/2011». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 28 de agosto de 2019 
  3. «Rodrigo Teixeira em 10 fatos: brasileiro indicado ao Oscar tem trabalhos com Scorsese e Pitt». G1. Consultado em 28 de agosto de 2019 
  4. «'A Vida Invisível' é indicado do Brasil para tentar vaga no Oscar 2020». G1. Consultado em 28 de agosto de 2019 
  5. Lang, Brent; Lang, Brent (17 de maio de 2019). «Meet RT Features Founder Rodrigo Teixeira, Producer of Three Films at Cannes». Variety (em inglês). Consultado em 28 de agosto de 2019