Abrir menu principal
Rosa Miyake
Nascimento 15 de março de 1945 (74 anos)
Lins
Cidadania Brasil
Ocupação atriz, apresentadora de televisão, cantora

Rosa Miyake, nome artístico de Rosa Yochico Miyake Okuhara Kyiomassa (Lins, 15 de março de 1945), é uma ex-apresentadora de televisão, cantora e atriz nipo-brasileira.[1]

BiografiaEditar

Começou a carreira como cantora de música japonesa, obtendo muito sucesso em São Paulo, tanto por seu talento como por sua beleza exótica. Durante a década de 1960, no auge da Jovem Guarda, seu repertório procurou atingir o público jovem em geral, saindo do nicho do público nipo-brasileiro. Koei e Mario Okuhara, sócios da Rádio Santo Amaro e da gravadora Astrophone ficaram encantados e fizeram convite para que Rosa pudesse cantar suas músicas. Entretanto, o seu maior sucesso nacional foi o jingle Urashima Taro, utilizado na propaganda que a empresa de aviação Varig fez para divulgar os primeiros voos diretos entre o Rio de Janeiro e Tóquio. A sua voz ficou conhecida em todo o Brasil, apesar de apenas uma pequena parte do país a conhecer como cantora. Rosa lançou seus LP's pelas gravadoras Chantecler e Astrophone, dos eternos irmãos Koei e Mario Okuhara.

Foi atriz protagonista da novela Yoshico, um Poema de Amor, que estreou na TV Tupi em janeiro de 1967.[2] Rosa fez a personagem Yoshico.

Imagens do Japão quase 49 anos depoisEditar

Durante mais de 30 anos,[2] foi apresentadora do programa de variedades Imagens do Japão que, nas noites de sábado e depois nas tardes ou manhãs de domingo, dedicado a colônia japonesa, apresentava seriados e programas variados produzidos no Japão em idioma japonês, além de produção nacional em Português, em geral reportagens e entrevistas com personalidades da comunidade nipo-brasileira. O programa foi criado, apresentado e idealizado pelo saudoso ex-radialista e jornalista Mario Okuhara no dia 30 de outubro de 1970 na rede Tupi[3] passando depois para a Rede Bandeirantes de Televisão e para outras emissoras, pela Rede Imagens do Japão de Televisão via satélite, para todo o Brasil, cobrindo todo o território nacional. O logotipo do programa era uma sigla IMJ. Em uma época sem TV a cabo, o programa imediatamente conquistou uma audiência absolutamente fiel e com bom poder aquisitivo, composta de nipo-brasileiros que buscavam contato com a cultura popular do país onde nasceram ou de onde tinham vindo seus pais e avós. Apesar de ser dirigido para um segmento de mercado muito pequeno e distinto, o programa também era assistido e admirado fora da comunidade nipo-brasileira, tanto que muitas pessoas tiveram seu primeiro contato com a cultura japonesa através deste programa. O programa Imagens do Japão também teve variações de horários na TV brasileira aos sábados à noite ou aos domingos à tarde ou manhã, com o apoio, colaboração, oferecimento e por gentileza de empresas como a saudosa Varig, General Motors, Citizen, Kenko Patto, Ajinomoto, Guaraná Antarctica e Yakult, entre outras empresas. O programa foi realizado e produzido nos estúdios da M. Okuhara TV Produções Ltda. no bairro da Liberdade e co-produzido e co-realizado no 3° ou 1° andar do prédio da Fundação Cásper Líbero.

Nos anos 70, Rosa Miyake chegou recebeu Roberto Carlos no programa "Imagens do Japão", eles eram muito amigos nessa época. Nesse programa Roberto cantou em japonês a canção "Sukiyaki", que a própria Rosa ensinou a ele, e o público aplaudiu de pé? Como constou o livro Rosa da Liberdade, a história da Rosa Miyake e do programa de TV Imagens do Japão.[4]

"Um dia, Mario Okuhara, meu empresário, chamou o Roberto Carlos para se apresentar na rádio Santo Amaro. E eu teria que ensinar o Roberto a cantar em japonês! Imagine… Ensinei o "Sukiyaki". Ele colocou a letra da música coladinha no violão e tocou tão lindo. A platéia aplaudiu de pé. O Roberto Carlos cantando em japonês! E eu fiquei feliz porque eu é quem tinha ensinado."

Novamente, Rosa voltou a vida artística, participando do quadro Imagens Curiosas do Japão, do programa Você É Curioso?, da Rádio Bandeirantes São Paulo, em homenagem ao saudoso programa "Imagens do Japão". Infelizmente, Rosa se afastou da vida artística. A partir de 12 de maio de 2018, estreou um novo quadro, chamado Mais 81, com Mario Jun Okuhara, substituindo sua mãe, Rosa Miyake. A partir de 15 de março de 2019, estreou a versão estendida do Mais 81, chamado #plus81, onde Mario Jun Okuhara recebe convidados nos estúdios da IMJ Produções.

Rosa Miyake chegou a gravar "Otomodachi No Koibito", uma versão em japonês da música "Namoradinha de um amigo meu" de Roberto Carlos.[4]

DiscografiaEditar

  • Rosa Miyake Em Tokyo (1968) (LP)
  • Bye Bye, Querido (LP)
  • Hana No Stage (LP)

Referências

Ligações externasEditar