Rosana Lanzelotte

cravista e pesquisadora brasileira

Rosana de Saldanha da Gama Lanzelotte (Rio de Janeiro, 23 de junho de 1961) é uma cravista e pesquisadora brasileira. É considerada uma das principais cravistas do país,[1] premiada pelo Conselho Estadual de Cultura do Rio de Janeiro com o "Golfinho de Ouro", em reconhecimento pelos seus esforços em prol da divulgação da cultura. Recebeu do governo francês, por sua vez, a comenda Chevalier da Ordem das Artes e Letras.[2] Além de ser formada em piano pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e pós-graduada no Conservatório Real de Haia, na Holanda, sob a orientação de Jacques Ogg,[1] Rosana possui ainda graduação em Engenharia elétrica e é mestre e doutora em Informática, ambos os títulos pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio).[3]

Rosana Lanzelotte
Rosana Lanzelotte
Rosana Lanzelotte em julho de 2022, durante o WikiCon Brasil.
Informação geral
Nome completo Rosana de Saldanha da Gama Lanzelotte
Nascimento 23 de junho de 1961 (62 anos)
Origem Rio de Janeiro
País  Brasil
Gênero(s) Música de câmara
Instrumento(s) Cravo
Período em atividade 1974 - atualidade
Outras ocupações Professora e pesquisadora
Gravadora(s) Biscoito Fino
Paulus Editora
Eldorado
Vozes
Afiliação(ões) Antonio Meneses
Quadro Cervantes (1974-1990)
Página oficial «www.lanzelotte.com». www.lanzelotte.com 

Biografia editar

Rosana iniciou seus estudos de piano aos cinco anos, vindo a graduar-se neste instrumento pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Foi estudando piano na Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (EMUFRJ) que teve seu primeiro contato com o cravo. Posteriormente, estudou com Jacques Ogg no Conservatório Real de Haia, Holanda, especializando-se em cravo e música barroca.

Começou sua carreira em 1974, com o grupo musical carioca Quadro Cervantes, que acompanhou até 1990. Na Europa, apresentou-se nas salas Wigmore Hall[4] e Academy of St Martin in the Fields de Londres, no Palazzo Barberini de Roma[5] e na seleta Fundação Gulbenkian de Lisboa.[4]

Conhecida como musicista e pesquisadora/professora de informática, gravou seis CDs de cravo, visando difundir o instrumento em terras brasileiras, inclusive executando obras ainda inéditas no continente, desde composições de Johann Sebastian Bach, Joseph Haydn, e os trabalhos do compositor português Pedro António Avondano, que havia sido esquecido até mesmo em seu país, mas a cravista descobriu uma coleção de suas sonatas nas bibliotecas de Lisboa.[6]

Desde que Rosana Lanzelotte deu continuidade ao impulso restaurador do cravo no Brasil (iniciado nos anos 1960 por Roberto de Regina), alguns compositores contemporâneos passaram a escrever diretamente para o cravo, o que resultou na seleção de obras modernas gravada em seu álbum O Cravo Brasileiro.[7][8]

Projetos editar

 
Rosana e seu instrumento na WikiCon 2022

Música nas Igrejas editar

Desde 1993, Rosana dirige a série "Música nas Igrejas", com o apoio da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro e da Prefeitura Municipal, ao lado de Monsenhor D. Félix Ferrà, OSB, apresentando concertos onde artistas nacionais e internacionais tocam nas paróquias do Rio de Janeiro, inclusive nas localizadas nos bairros mais pobres, cuja musicalização vem de ser iniciada em lugares onde normalmente a população não teria acesso à boa música erudita.

O projeto já foi apresentado em trinta bairros do Rio de Janeiro. Desde 2001, passou a incorporar concertos didáticos para as crianças do subúrbio e da Zona Oeste.[9]

Musica Brasilis editar

Em 2009, Rosana coordenou também o Circuito BNDES Musica Brasilis: de Bach às Bachianas, apresentando, ao lado de Antonio Meneses e David Chew, 28 concertos em igrejas no Rio, em São Paulo, Recife, Tiradentes e Ouro Preto.[10]

Portal Musica Brasilis editar

 Ver artigo principal: Portal Musica Brasilis

Rosana é a idealizadora do portal Musica Brasilis,[11] que disponibiliza partituras, áudio e vídeo de peças musicais de compositores brasileiros, desde o período colonial até a época contemporânea, além de recursos interativos que visam estimular a pesquisa entre as obras disponibilizadas.[12]

O portal faz parte do Projeto Musica Brasilis, que tem o patrocínio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)[13] e reúne mais de trezentas obras, incluindo toda a produção de Ernesto Nazareth.[14]

Discografia editar

Ano Título Gravadora Notas Referência
1989 Rosana Lanzelotte LP
1995 J.S. Bach Vozes
1998 O Cravo Brasileiro Eldorado
2002 Haydn: Le Sette Ultime Parole del Nostro Redentore in Croce Paulus Editora
2008 Cavaleiro Neukomm Criador da Música de Câmara no Brasil Biscoito Fino Vencedor do V Prêmio Bravo[11]
2009 Nazareth Biscoito Fino

Ver também editar

Referências

  1. a b Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. «Dados artísticos». Consultado em 14 de março de 2009 
  2. Consulado Geral da França (28 de novembro de 2007). «Condecoração de Rosana Lanzelotte». Rioscope. Consultado em 1 de fevereiro de 2009 
  3. «Portal oferece clássicos - Cultura». Estadão. Consultado em 18 de agosto de 2022 
  4. a b «Cinqüenta cariocas que se destacaram em 2003». Veja Rio. 24 de dezembro de 2003. Consultado em 5 de outubro de 2010 
  5. Valverdes, Leandro (Agosto de 2004). «Rosana Lanzelotte, cravista». Nossos músicos. Revista Concerto. Consultado em 5 de outubro de 2010 
  6. Atual, Guilherme Bryan, para a Rede Brasil (17 de maio de 2011). «Cravista lança portal sobre música erudita brasileira Rosana Lanzelotte». Rede Brasil Atual. Consultado em 18 de agosto de 2022 
  7. «Rosana Lanzelotte relê a música de Ernesto Nazareth pelas teclas do ancestral do piano». Extra Online. Consultado em 18 de agosto de 2022 
  8. «Série Trajetórias» (PDF). AB Musica.org. 10 de maio de 2006. Consultado em 18 de agosto de 2022 
  9. Candida, Simone (4 de setembro de 2010). «Igrejas do Rio viram palco para a música erudita». O Globo. Consultado em 29 de setembro de 2010 
  10. Amorim, Cláudia (13 de novembro de 2009). «Antonio Meneses, Rosana Lanzelotte e David Chew tocam neste sábado, de graça, em igrejas restauradas». O Globo. Consultado em 29 de setembro de 2010 
  11. a b «Música Ampliada: Rosana Lanzelotte». Rio&Cultura. 18 de agosto de 2010. Consultado em 29 de setembro de 2010 
  12. Valverde, Rodolfo (8 de abril de 2010). «Musica Brasilia e Pergolesi: em concertos e na web». Harmonia. Jornal do Brasil. Consultado em 5 de outubro de 2010. Arquivado do original em 19 de outubro de 2013 
  13. «BNDES e Musica Brasilis promovem circuito de música erudita gratuito». Cultura. BNDES. 9 de abril de 2010. Consultado em 5 de outubro de 2010 
  14. Staneck, José (10 de abril de 2010). «Lançado o portal Musica Brasilis, que disponibiliza partituras, áudios e vídeos de obras musicais brasileiras». CBN. Consultado em 5 de outubro de 2010 

Ligações externas editar