Abrir menu principal
Portal A Wikipédia possui o
Portal Harry Potter


Rufo Scrimgeour
Rufo Scrimgeour
Dados pessoais
Sexo Masculino
Nascimento ??-??-????
Dados biográficos
Casa Blason Serdaigle.svg Ravenclaw
Organizações as
quais pertence
Ministério da Magia
Na série
Primeira aparição
em livro
Harry Potter e o Enigma do Príncipe (citado em HP5)
Primeira aparição
em filme
Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 1
Personagem da série Harry Potter

Rufo Scrimgeour é um personagem de ficção de J.K. Rowling na série Harry Potter. Ele é descrito como um homem magro que lembra um velho leão, que substitui Cornelius Fudge no cargo de Ministro da Magia.

Carreira no MinistérioEditar

Antes do verão de 1996, Rufus Scrimgeour, era um Auror de grande experiência e capacidade, que dirigia o escritório dos aurores no Ministério da Magia.
Durante Junho deste mesmo ano, em que Lord Voldemort se revelou inquestionavelmente vivo e ativo outra vez, o Ministro da Magia, Cornelius Fudge, que havia insistido durante o ano anterior inteiro que Harry Potter estava mentindo quando contou sobre o renascimento do bruxo do mal, e orquestrou uma campanha para desacreditar Harry e Dumbledore, acabou sendo desmentido pelos fatos.
Com seu renascimento sendo do conhecimento de todos, Voldemort veio a público. Declarou guerra aberta à população do mundo mágico. Por causa de sua falta de ação e inabilidade, Cornelius Fudge foi forçado a pedir demissão e seu lugar foi ocupado por Rufus Scrimgeour.

No lugar de chefe dos aurores assumiu Gawain Robards e Fudge ficou apenas numa posição de assessoria a Scrimgeour.

Muitos observaram, inclusive Harry, que Rufus deve ter sofrido em muitas batalhas, das quais ele traz cicatrizes, pelos seus anos de serviço como auror e isso lhe confere uma aparência de tenaz sagacidade.

Embora pareça muito mais capaz do que Fudge, o ministro Scrimgeour parece que vai seguir a tradição dos ministros anteriores e dos funcionários do ministério, colocando as aparências acima da verdade.
Um exemplo disso foi a captura e aprisionamento de três pessoas, incluindo o bobo do jovem Stanislau Shunpike , em Azkaban, alegando que eram comensais da morte em plena atividade só para dar a impressão de que o ministério estava em ação.

Outro exemplo das técnicas de Scrimgeour para levantar o moral da comunidade bruxa, foi pedir a Harry, agora chamado de O Eleito, para dar um suporte público para o ministério. Assim, ser visto ao lado do ministro para que o público acredite que o ministério está tomando atitudes importantes e sérias contra Voldemort.
Assim que Rufus se tornou ministro, havia entre ele e Dumbledore uma discussão a respeito de usar Harry para aumentar o moral do mundo mágico. Dumbledore era contra essa ideia. Harry também rejeitou esse papel, primeiro porque ele já tinha desavenças com o ministro (uma delas era o ministério manter o inocente Shunpike preso, e também por causa do tratamento dispensado a Dumbledore.

No final do livro seis, parece que Rufus Scrimgeour não mudou de comportamento, ele insiste com Harry, agora que Dumbledore está morto, para se alinhar ao ministério. Mas Harry continua a manter seus princípios e a ser como ele mesmo declara por inteiro um homem de Dumbledore.

AssassinatoEditar

Em Harry Potter e as Relíquias da Morte, Scrimgeour é assassinado por Comensais da Morte quando recusa ajudá-los a localizar Harry Potter, e é substituído por Pius Thicknesse, antigo Chefe do Departamento de Execução das Leis da Magia, que está sob a Maldição Imperius. O Ministério cai, e Voldemort começa o seu regime de terror e de perseguição aos nascidos Muggles.

Rumores e ComentáriosEditar

Luna Lovegood mencionou o fato de Scrimgeour ser um vampiro. O pai dela iria publicar um artigo sobre isso na sua revista O Pasquim. Aparentemente, o ministério forçou o Sr. Lovegood a não fazê-lo. Além disso, provavelmente não é verdade porque as histórias publicadas na revista do pai de Luna são sempre muito fantasiosas.
Córmaco McLaggen fez um comentário de que ele e seu pai costumavam sair para viagens de caça com Scrimgeour, antes dele ser ministro.

Rufo Scrimgeour foi mencionado pela primeira vez em Harry Potter e a Ordem da Fênix no dia da audiência de Harry. Neste dia, Ninfadora Tonks disse que ele precisava ser mais cuidadoso porque Scrimgeour andava fazendo perguntas curiosas a ela e a Kingsley Shackebolt.

É possível que Rufo venha a ser parente de Bruto Scrimgeour, que é mencionado nas críticas do livro Quadribol através dos séculos dizendo:

Uma obra definitiva sobre as origens e a história do quadribol.
Altamente recomendável.
Brutus Scrimgeour, autor de A bíblia do batedor.

Origens do nomeEditar

J.K. Rowling pode ter extraído o nome Scrimgeour do poema To Mr James Scrymgeour, Dundee de William Topaz McGonagall, conhecido como o pior poeta da Língua Inglesa.[1] Foi de onde ela tirou também o sobrenome da professora Minerva McGonagall.

O primeiro nome de Scrimgeour, Rufus, significa de cabelos vermelhos em latim. Esse era o apelido de William II da Inglaterra, por causa de seu rosto vermelho, e também é o nome científico do Lobo-vermelho, Canis rufus.

Ligações externasEditar

ReferênciasEditar

  1. «William Topaz McGonagall (1825-1902)». Só Biografias. Consultado em 2 de maio de 2012. Poeta dramatico escocês nascido em Edinburgo, conhecido jocosamente como o pior poeta do mundo da língua inglesa de todos os tempos. 
Precedido por
Cornelius Fudge
Ministro da Magia
1996-1997
Sucedido por
Pio Thicknesse