Rui Manuel César Costa

ex-futebolista português
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o ex-futebolista e dirigente desportivo português. Para outras pessoas com o mesmo nome, veja Rui Costa (desambiguação).

Rui Manuel César Costa OIH (Amadora, 29 de março de 1972) é um dirigente e ex-futebolista português que atuava como meio-campista. Atualmente é o presidente do Sport Lisboa e Benfica.

Rui Costa
Rui Costa em 2019
34.º Presidente do Benfica
Período 15 de julho de 2021 – 9 de outubro de 2021 (como interino)
9 de outubro de 2021 – Presente
(há 1 ano, 1 mês e 26 dias)
Antecessor(a) Luís Filipe Vieira
Sucessor(a) Incumbente

Foi feito Oficial da Ordem do Infante D. Henrique no dia 5 de julho de 2004.[1]

Carreira como jogadorEditar

Rui Costa
 
Rui Costa atuando pelo Benfica em 2007
Informações pessoais
Nome completo Rui Manuel César Costa
Data de nasc. 29 de março de 1972 (50 anos)
Local de nasc. Amadora, Lisboa, Portugal
Nacionalidade português
Altura 1,80 m
destro
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição meio-campista
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos e gol(o)s
1990–1994
1990–1991
1994–2001
2001–2006
2006–2008
Benfica
Fafe (emp.)
Fiorentina
Milan
Benfica
{{{jogos(golos)}}}
Seleção nacional
1990
1991
1992–1994
1993–2004
Portugal Sub-18
Portugal Sub-20
Portugal Sub-21
Portugal
{{{partidasselecao}}}

InícioEditar

Nascido em Damaia, antiga freguesia da Amadora, aos cinco anos entrou para as categorias de base do Damaia Ginásio Clube. Quatro anos depois, com nove anos de idade, tentou a sua sorte nos treinos de captação do Benfica. Passados dez minutos de treino, Eusébio, que estava observando os futuros craques, ficou impressionado com a habilidade do jovem jogador. Durante oito anos aprimorou a qualidade nas categorias de base do Sport Lisboa e Benfica, até 1990, onde esteve emprestado por uma temporada ao Fafe. Retornou ao Benfica e conquistou uma Taça de Portugal (1992–93) e uma Primeira Liga (1993–94).

FiorentinaEditar

A Fiorentina interessou-se pelo meio-campista e desembolsou 1,2 milhões de contos (cerca de 6 milhões de euros). A transferência, da responsabilidade do empresário Manuel Barbosa, serviu como um balão de oxigênio para as finanças do clube, que na época vivia grandes problemas financeiros.

Rui Costa jogou sete temporadas na Fiorentina, onde conquistou duas Copas da Itália e uma Supercopa. Apesar das dificuldades, conseguiu ser eleito em algumas temporadas o melhor camisa 10 do futebol italiano, desbancando grandes jogadores como Zinédine Zidane, da Juventus. Rui Costa era companheiro do centroavante Gabriel Batistuta, e quando se falava da possível saída do argentino para outro clube, o português afirmou: "Para onde eu for, o meu par vai comigo". Muitas foram as vezes em que se falou da sua saída, mas Rui Costa manteve-se até a entrada em falência do clube de Florença.[2]

No dia 13 de agosto de 1996, a Fiorentina foi a equipe convidada pelo Benfica para o jogo de abertura da temporada. Rui Costa marcou o único gol da Viola na partida, e ao marcar contra o seu clube do coração, não conseguiu segurar o choro.[3]

MilanEditar

No ano de 2001, o treinador turco Fatih Terim (que havia comandado a equipe de Florença uma temporada antes) foi contratado pelo Milan e levou Rui Costa consigo por 36,6 milhões de euros.[4] O português jogou cinco temporadas no clube rossonero, onde no total conquistou uma Copa da Itália, uma Liga dos Campeões da UEFA, uma Supercopa da Itália, um Campeonato Italiano e uma Supercopa da UEFA.

Retorno ao BenficaEditar

Acertou seu retorno ao Benfica em maio de 2006, sendo apresentado no dia 25 de maio.[5] A transferência, desta vez, foi a custo zero e só foi possível porque Rui Costa e Milan rescindiram o acordo que os ligava por mais uma época.

Rui Costa assinou em branco com o Benfica, deixando a Luís Filipe Vieira a opção do seu vencimento como jogador. Ficou com 500 mil euros anuais, o teto salarial do clube na altura.

Encerrou a sua carreira futebolística na temporada de 2007–08.[6] Seu último jogo foi contra o Vitória de Setúbal, no qual foi substituído aos 86 minutos para receber uma enorme ovação do público.[7][8]

Seleção NacionalEditar

Pela Seleção Portuguesa Sub-20, sagrou-se campeão do Mundial Sub-20 de 1991, vencendo na final o Brasil na disputa por pênaltis. A final foi realizada no antigo Estádio da Luz, e Rui Costa converteu a penalidade que definiu a vitória.

Já pela Seleção Portuguesa principal, estreou em 1993 e disputou sua última partida em 2004, contra a Grécia, na final da Eurocopa. Na ocasião, a Seleção Grega venceu por 1–0 e sagrou-se campeã do torneio.[9]

Carreira como dirigenteEditar

Foi anunciado como diretor desportivo do Sport Lisboa e Benfica no dia 14 de maio de 2008, deixando para trás uma carreira respeitável e iniciando um novo ciclo no clube.[10]

Durante a janela de transferências desse verão, Rui Costa contratou alguns jogadores de renome, como o meio-campista argentino Pablo Aimar, o ponta-esquerda espanhol José Antonio Reyes e o atacante hondurenho David Suazo por empréstimo, recebendo imensos elogios da administração e dos adeptos.

No verão seguinte, após uma campanha decepcionante na liga, Rui Costa aumentou ainda mais os seus esforços para fortalecer a equipa do Benfica. Nesse sentido, fez várias contratações importantes, como o avançado argentino Javier Saviola, o volante brasileiro Ramires e o volante espanhol Javi García, juntamente com o experiente treinador português Jorge Jesus. As suas principais contratações acabariam por se revelar bem sucedidas, o Benfica acabou por conquistar a Primeira Liga na temporada 2009–10 pela primeira vez em cinco anos. O Benfica também venceria a Taça da Liga na mesma temporada derrotando o Porto na final por 3 a 0.

Assumiu provisoriamente a presidência do Benfica em 9 de julho de 2021, após a suspensão do então presidente Luís Filipe Vieira, anunciando que seriam convocadas eleições antecipadas assim que possível.[11] Já no dia 21 de setembro, anunciou a sua candidatura à presidência do clube, anunciando que concorreria nas eleições de 9 de outubro desse ano.[12] Com 84,48% dos votos, no dia 9 de outubro foi eleito presidente do clube.[13]

TítulosEditar

Benfica
Fiorentina
Milan
Seleção Portuguesa

Prêmios individuaisEditar

Referências

  1. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Rui Manuel César Costa". Consultado em 8 de agosto de 2021 
  2. Anderson Moura. «O português Rui Costa esbanjou criatividade por Fiorentina e Milan». Calciopédia. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  3. «O dia em que Rui chorou na Luz». Record. 24 de janeiro de 2003. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  4. «As 25 maiores vendas de jogador da história do futebol». Terra. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  5. «Rui Costa deixa o Milan e volta ao Benfica». Portal A TARDE. 25 de maio de 2006. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  6. «Rui Costa anuncia aposentadoria». O Globo. 31 de dezembro de 2007. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  7. «Rui Costa se despede do futebol em vitória do Benfica». Trivela. 11 de maio de 2008. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  8. «Hora do adeus para Rui Costa». Trivela. 12 de maio de 2008. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  9. «Grécia desbanca Portugal e é campeã da Euro 2004». UOL. 4 de julho de 2004. Consultado em 8 de agosto de 2021 
  10. «Rui Costa vira dirigente do Benfica». GloboEsporte.com. 14 de maio de 2008. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  11. «Rui Costa torna-se presidente do Benfica após ter sido jogador e dirigente». Rádio e Televisão de Portugal. 9 de julho de 2021 
  12. Jornal de Notícias (21 de setembro de 2021). «Rui Costa anuncia candidatura à presidência do Benfica». Consultado em 7 de outubro de 2021 
  13. «Ex-jogador Rui Costa é eleito presidente do Benfica na maior eleição da história do clube». GloboEsporte.com. 10 de outubro de 2021 
  14. «Lista de craques de Pelé para Fifa tem maioria brasileira». BBC Brasil. 4 de março de 2004. Consultado em 6 de agosto de 2021 

Ligações externasEditar