Ruy Castro

Ruy Castro (Caratinga, 26 de fevereiro de 1948) é um jornalista, biógrafo e escritor brasileiro.

Ruy Castro
Castro em 2009
Nascimento 26 de fevereiro de 1948 (74 anos)
Caratinga, Minas Gerais
Nacionalidade brasileiro
Ocupação jornalista, biógrafo e escritor
Prémios Prêmio Jabuti (1996)
Prêmio Machado de Assis (2021)[1]
Magnum opus Chega de Saudade: A História e as Histórias da Bossa Nova

BiografiaEditar

Nascido em Caratinga, no interior de Minas Gerais, mudou-se ainda em seus primeiros anos de vida com seus pais para a cidade do Rio de Janeiro.[2] Formou-se no curso de Ciências Sociais, na então Faculdade Nacional de Filosofia (FNFi) - atual Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), porém, nunca atuou na área.[2]

Castro tem passagem por importantes veículos da imprensa do Rio e de São Paulo a partir de 1967, e escritor, a partir de 1988. É reconhecido pela produção de biografias como O Anjo Pornográfico (a vida de Nelson Rodrigues), Estrela Solitária (sobre Garrincha), Carmen (sobre Carmen Miranda) e de livros de reconstituição histórica, noção como Chega de Saudade (sobre a Bossa nova), Ela é Carioca (sobre o bairro de Ipanema, no Rio) e A Noite do Meu Bem (sobre o samba-canção).

Parte de sua produção jornalística foi reunida em livros como Um Filme é para Sempre (sobre cinema), Tempestade de Ritmos (sobre música popular) e O Leitor Apaixonado (sobre literatura). Escreveu também um ensaio sobre o Rio, Carnaval no Fogo: Crônica de uma Cidade Excitante Demais. Seus livros têm edições nos Estados Unidos, Japão, Inglaterra, Alemanha, Portugal, Espanha, Itália, Polônia, Rússia e Turquia. Em ficção, é autor do romance Era no Tempo do Rei, das novelas Bilac Vê Estrelas e O Pai Que Era Mãe, e de condensações de clássicos como Frankenstein, de Mary Shelley, e Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll.

A seu respeito foi publicado o livro Álbum de Retratos: Ruy Castro, uma minifotobiografia, pela editora Folha Seca. Vencedor do Prêmio Esso de Literatura, do Prêmio Nestlé de Literatura Brasileira e de quatro Jabutis.

Em 18 de setembro de 2006, Castro foi internado no Hospital Cardiotrauma, em Ipanema, após sofrer um infarto agudo do miocárdio. Ali foi submetido a uma angioplastia coronariana e à colocação de um stent. Foi liberado após três dias.[3]

Em julho de 2022, inscreveu sua candidatura à cadeira 13 da Academia Brasileira de Letras (ABL) por ocasião da morte de Sérgio Paulo Rouanet. Sua inscrição foi entregue a Merval Pereira, e ele disputará a cadeira com Raquel Naveira e Jackeson dos Santos Lacerda. Considerado o favorito para assumir a posição, foi eleito para a cadeira no dia 6 de outubro de 2022, após conquistar 32 do 35 votantes.[4][5][6]

Academia Brasileira de LetrasEditar

Em 6 de outubro de 2022, foi eleito para a cadeira 13 da Academia Brasileira de Letras (ABL), na vaga antes ocupada por Sérgio Paulo Rouanet.[7]

Obras publicadasEditar

Participações, adaptações e antologiasEditar

  • Mau-Humor: Uma antologia definitiva de citações venenosas;
  • Contos de Estimação;
  • Querido Poeta: Correspondência de Vinicius de Moraes;
  • Frankenstein;

PrêmiosEditar

Em 2021, ganhou o prêmio Machado de Assis pelo conjunto de sua obra.[10]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Academia Brasileira de Letras retoma Prêmio Machado de Assis e premia o escritor Ruy Castro
  2. a b «O escritor e jornalista Ruy Castro é o sexto entrevistado da série Depoimentos Cariocas». Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro. Consultado em 4 de novembro de 2021 
  3. «Internado após infarto, Ruy Castro tem alta». Folha Online. 22 de setembro de 2006. Consultado em 30 de janeiro de 2019 
  4. Pennafort, Roberta (6 de outubro de 2022). «Ruy Castro é eleito para a Academia Brasileira de Letras». G1. Consultado em 6 de outubro de 2022 
  5. Walter Porto (22 de julho de 2022). «Walter Porto: Ruy Castro se candidata à Academia Brasileira de Letras com status de favorito». Folha de S.Paulo. Consultado em 22 de julho de 2022. Cópia arquivada em 22 de julho de 2022 
  6. «Ruy Castro é eleito para a Academia Brasileira de Letras». O Globo. 6 de outubro de 2022. Consultado em 6 de outubro de 2022 
  7. «Ruy Castro é eleito para a Academia Brasileira de Letras». O Globo. 6 de outubro de 2022. Consultado em 6 de outubro de 2022 
  8. Máximo, João (25 de julho de 2016). «'Chega de saudade', de Ruy Castro, ganha edição ampliada, revista e definitiva». O Globo. Consultado em 23 de setembro de 2018 
  9. «Prêmio Jabuti - 1996». cbl.org.br. 2011. Consultado em 12 de julho de 2011. Arquivado do original em 24 de agosto de 2011 
  10. «Ruy Castro ganha o prêmio Machado de Assis, da ABL, pelo conjunto da obra». Folha de S.Paulo. 28 de outubro de 2021. Consultado em 22 de julho de 2022. Cópia arquivada em 22 de julho de 2022 

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Citações no Wikiquote
  Categoria no Commons

Precedido por
Sérgio Paulo Rouanet
  ABL - novo acadêmico da cadeira 13
(posse pendente)
Sucedido por