Abrir menu principal
Ruy Furtado
Nascimento 21 de Março de 1919
Lisboa, Portugal Portugal
Nacionalidade Portugal Portugal
Morte 19 de março de 1991 (71 anos)
Ocupação Actor

Ruy Furtado (Lisboa, 21 de Março de 1919Lisboa, 19 de Março de 1991) foi um actor português.

Ruy Furtado destacou-se no teatro, dirigido por Artur Ramos em peças como A Intrusa de Maurice Maeterlinck (1960), O Ausente de Charles Spaak (1961), A Capital de Eça de Queiroz (1971), entre outras. Com Ricardo Pais e Herlander Peyroteio participou em Ninguém (1979), adaptado de Frei Luís de Sousa de Almeida Garrett.

Salienta como uma das primeiras participações no cinema Verdes Anos (1963), obra-chave do Cinema Novo português, assinada por Paulo Rocha. Seguidamente aparece em filmes de Jorge Brum do Canto, Augusto Fraga ou Henrique Campos, até que em 1972 é dirigido por Fernando Lopes em Uma Abelha na Chuva e, em 1979 por Manoel de Oliveira em Amor de Perdição. Viria a participar ainda em títulos como Oxalá (1981) e O Lugar do Morto (1984) de António-Pedro Vasconcelos, Silvestre (1982) de João César Monteiro, Dina e Django (1983) de Solveig Nordlund, Um Adeus Português (1986) de João Botelho, entre outros. Nos últimos anos salienta A Divina Comédia (M. Oliveira, 1991) e Recordações da Casa Amarela (J. C. Monteiro, 1989).

Pontual na televisão, figurou em séries como Retalhos da Vida de Um Médico (1980) ou Topaze (1988).

FilmografiaEditar

Referências

  Este artigo sobre um ator ou atriz de cinema é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.