Abrir menu principal
Ryan O'Neal
Ryan O'Neal em 1968
Nome completo Charles Patrick Ryan O'Neal
Nascimento 20 de abril de 1941 (78 anos)
Los Angeles; estado da Califórnia; Estados Unidos
Nacionalidade norte-americano
Progenitores Mãe: Patricia Olga
Pai: Charles O'Neal
Cônjuge Joanna Moore
(c. 1963; div. 1967)
Leigh Taylor-Young
(c. 1967; div. 1973)
Farrah Fawcett
(1979–1997; 2001–2009)
Filho(s) 4, incluindo Tatum O'Neal, Griffin O'Neal e Patrick O'Neal
Ocupação ator
Período de atividade 1960–presente
Principais trabalhos Peyton Place
Love Story
What's Up, Doc?
Lua de Papel
Barry Lyndon
Uma Ponte Longe Demais
Prêmios Lista de prêmios e indicações
Página oficial
ryanoneal.com

Ryan O'Neal (nascido Charles Patrick Ryan O'Neal; 20 de abril de 1941, Los Angeles)[1] é um ator e ex-boxeador norte-americano. O'Neal treinava como boxeador amador antes de iniciar sua carreira artística em 1960. Em 1964, conseguiu o papel de Rodney Harrington na novela da ABC, Peyton Place. A série foi um sucesso instantâneo e impulsionou a carreira de O'Neal. Mais tarde, ele encontrou sucesso no cinema, mais notavelmente nos filmes Love Story (1970), pelo qual recebeu indicações ao Oscar e ao Globo de Ouro de Melhor Ator; What's Up, Doc? (1972) e Lua de Papel (1973), de Peter Bogdanovich, Barry Lyndon (1975), de Stanley Kubrick, e Uma Ponte Longe Demais (1977), de Richard Attenborough. De 2005 a 2017, O'Neal teve um papel recorrente na série de TV da FOX, Bones, como Max, pai da protagonista.

Índice

Primeiros anosEditar

O'Neal nasceu em Los Angeles, no estado da Califórnia, nos Estados Unidos, sendo o filho mais velho da atriz Patricia Ruth Olga (nascida Callaghan; 1907–2003) e o romancista e roteirista Charles O'Neal. Seu pai era descendente de irlandeses e ingleses, enquanto sua mãe era de ascendência irlandesa por parte de pai e judaica asquenazita por parte de de mãe.[2] Seu irmão, Kevin, é ator e roteirista.[3]

O'Neal frequentou a escola secundária University High School, em Los Angeles, e lá ele treinava para se tornar um boxeador da Golden Gloves. Durante o final dos anos 50, seu pai trabalhava como roteirirsta em uma série de televisão chamada Citizen Soldier, e se mudou com a família para Munique, na Alemanha, onde O'Neal frequentou a Munich American High School.

CarreiraEditar

Papéis televisivos e primeiros trabalhosEditar

Na Alemanha, O'Neal estava tendo dificuldades na escola então sua mãe pediu alguns favores e lhe conseguisse um emprego como substituto no programa Tales of the Vikings, que estava sendo filmado na área. Ali, O'Neal trabalhou como figurante e dublê e pegou gosto pela atuação.[4][5]

O'Neal voltou para os EUA e tentou fazer sucesso como ator. Ele fez sua primeira aparição na televisão estrelando como convidado em The Many Loves of Dobie Gillis, no episódio "The Hunger Strike", em 1960. Este foi seguido por participações em The Untouchables, General Electric Theater, The DuPont Show with June Allyson, Laramie, Two Faces West, Westinghouse Playhouse (diversos episódios), Bachelor Father, My Three Sons, e The Virginian. O'Neal estava sob contrato com a Universal, mas eles o deixaram caducar.[6]

1962–1963: EmpireEditar

De 1962 a 1963, O'Neal trabalhou na série da NBC, Empire, um faroeste moderno, que teve a duração de 33 episódios,[5] onde viveu "Tal Garrett", personagem de apoio ao personagem do ator Richard Egan.[7] Em 1963, a série foi relançada como Redigo, mas O'Neal recusou a chance de reviver seu papel.[6]

Quando a série terminou, O'Neal voltou a participar como convidado em programas como Perry Mason e Wagon Train.[8]

1964–1969: Peyton Place e The Big BounceEditar

Em 1964 ele foi escalado como Rodney Harrington na série dramática do horário nobre Peyton Place. O'Neal disse que conseguiu o papel porque "o estúdio estava à procura de um jovem Doug McClure".[9]

A série foi um grande sucesso, e tornou famosos os membros do elenco, incluindo O'Neal. Vários deles receberam ofertas de papéis no cinema, incluindo Mia Farrow, Rosemary's Baby (1968), e Barbara Parkins, O Vale das Bonecas (1967), e O'Neal estava ansioso para fazer filmes.[10]

Durante a exibição da série, O'Neal apareceu no piloto de uma possível futura série, European Eye (1968).[11] Ele também foi contratado pela ABC como artista musical.[12]

O primeiro papel principal de O'Neal em um longa-metragem veio com The Big Bounce (1969), baseado em um romance de Elmore Leonard. Em 1969, ele apareceu em uma versão para TV de Under the Yum Yum Tree (1963). A seguir, ele interpretou um atleta olímpico em The Games (1970). Nenhum dos dois filme foi particularmente bem sucedido.

1970–1973: Love Story, What's Up, Doc? e Lua de PapelEditar

Em 1970, ele interpretou um atleta olímpico em The Games. O filme fora co-escrito por Erich Segal, que recomendou O'Neal para o papel principal em Love Story (1970), baseado no romance e roteiro de Segal. Vários atores haviam recusado o papel, incluindo Beau Bridges e Jon Voight, antes dele ser oferecido a O'Neal. Seu pagamento era de US $25.000; ele disse que tinha uma oferta que pagava cinco vezes mais para aparecer em um filme de Jerry Lewis, mas O'Neal sabia que Love Story era o prospecto melhor e o escolheu.[13] O chefe do estúdio Paramount, Robert Evans, que era casado com a protagonista do filme, Ali MacGraw, disse que eles testaram outros 14 atores, mas nenhum se comparou a O'Neal; ele disse que o papel era "um papel estilo Cary Grant - um protagonista bonito e com muita emoção".[14] "Espero que os jovens gostem", disse O'Neal antes do lançamento do filme. "Eu não quero voltar para a TV. Não quero voltar àquelas convenções da Associação Nacional de Emissoras".[13] Love Story acabou tornando-se um fenômeno de bilheteria. Isso fez de O'Neal uma estrela e lhe rendeu uma indicação ao Oscar de Melhor Ator, embora O'Neal não tenha gostado de nunca ter ganho nenhuma porcentagem dos lucros, ao contrário da co-estrela Ali MacGraw.[15][16]

Entre a produção e o lançamento do filme, O'Neal apareceu em um telefilme escrito por Eric Ambler, Love Hate Love (1971), o qual recebeu boas notas. Ele também fez um faroeste, Wild Rovers (1971), com William Holden e direção de Blake Edwards. Wild Rovers, mal editado pela MGM, foi consideravelmente menos popular que Love Story. O'Neal iria fazer outro filme para a MGM, Deadly Honeymoon, baseado em um romance de Larry Block,[17] no entanto, O'Neal desistiu. Peter Bogdanovich disse mais tarde que o diretor da MGM, Jim Aubrey, foi "cruel" com O'Neal.[18]

O'Neal também foi procurado pelo diretor Nic Roeg para fazer par com Julie Christie em uma adaptação de Den afrikanske Farm, o qual nunca foi feito.[19] Em vez disso, O'Neal estrelou a comédia maluca What's Up, Doc? (1972), dirigida por Bogdanovich, fazendo par com Barbra Streisand. O filme foi a terceira maior bilheteria de 1972, e levou-o a receber uma oferta para estrelar um filme de Stanley Kubrick, Barry Lyndon (1975). Enquanto o filme estava em fase de pré-produção, O'Neal interpretou um ladrão de jóias em The Thief Who Came to Dinner (1972), contracenando com Jacqueline Bisset e Warren Oates. Em seguida, ele trabalhou novamente com Bogdanovich em Lua de Papel (1973), no qual estrelou ao lado de sua filha Tatum O'Neal. Tatum ganhou um Oscar por sua atuação no popular filme, e em 1973, Ryan O'Neal foi eleito pelos cinemas como a segunda estrela mais popular do país, atrás apenas de Clint Eastwood.[20]

FilmografiaEditar

CinemaEditar

Ano Título Título em português Personagem Notas
1969 The Big Bounce br: Cartada para o Inferno
pt: A Perversa
Jack Ryan
1970 The Games br: Os Jogos
pt: Sonhos de Glória
Scott Reynolds
Love Story br: Love Story: Uma História de Amor
pt: Love Story
Oliver Barrett IV Indicado ao Oscar de Melhor ator e ao Globo de Ouro de Melhor Ator em Filme Dramático
1971 Love Hate Love br: Amor Feito de Ódio Russ Emery Telefilme
Wild Rovers br: Os Dois Indomáveis
pt: Vagabundos Selvagens
Frank Post
1972 What's Up, Doc? br: Essa Pequena é uma Parada
pt: Que Se Passa Doutor?
Howard Bannister
1973 The Thief Who Came to Dinner br: O Ladrão que Veio Jantar
pt: O ladrão que Veio para Jantar
Webster McGee
Paper Moon br/pt: 'Lua de Papel Moses Pray Indicado ao Globo de Ouro de Melhor Ator em Comédia ou Musical
1975 Barry Lyndon br/pt: Barry Lyndon Barry Lyndon
1976 Nickelodeon br: No Mundo do Cinema
pt: O Vendedor de Sonhos
Leo Harrigan
1977 A Bridge Too Far br/pt: Uma Ponte Longe Demais Brigadeiro General James M. Gavin
1978 The Driver br: Caçador de Morte
pt: O Profissional
O Motorista
Oliver's Story br: A História de Oliver
pt: Oliver's Story
Oliver Barrett IV
1979 The Main Event br: Meu Lutador Favorito
pt: Treinador de Saias
Eddie 'Kid Natural' Scanlon
1981 So Fine br: Amor na Medida Certa
pt: Os Buracos Estão na Moda
Joseph Wiley
Circle of Two br: Círculo de Dois Amantes Financiador do teatro Não creditado
Green Ice br: Inferno Verde
pt: Esmeraldas Sangrentas
Bobby Fine
1982 Partners br: Dois Tiras Meio Suspeitos
pt: Sócios
Sgt. Benson
1984 Irreconcilable Differences br: Diferenças Irreconciliáveis
pt: Divórcio em Hollywood
Albert Brodsky
1985 Fever Pitch pt: A Febre do Jogo Steve Taggart
1987 Tough Guys Don't Dance br: 'A Marca do Passado
pt:
Os duros Não Brincam
Tim Madden Indicado ao Framboesa de Ouro de Pior Ator
1989 Chances Are br: O Céu se Enganou
pt: Como o Céu Se Enganou
Philip Train
Small Sacrifices br: O Sacrificio Final Lew Lewiston Telefilme
1992 The Man Upstairs Mooney Polaski Telefilme
1995 Man of the House br: O Homem da Casa
pt: O Homem Lá de Casa
Homem com a faca Não creditado
1996 Faithful br: Fiel, mas nem Tanto
pt: Fielmente Teu
Jack Connor
1997 Hacks br: Assassinato em Hollywood Dr. Applefield Títulos alternativos: Sink or Swim e The Big Twist
An Alan Smithee Film: Burn Hollywood Burn br: Hollywood - Muito Além das Câmeras
pt: Um Realizador de Respeito
James Edmunds Indicado ao Framboesa de Ouro de Pior Ator
1998 Zero Effect br: Efeito Zero
pt: Zero - O Superdetective
Gregory Stark
1999 Coming Soon br: Quase Lá
pt: Uma Época de Mudança
Dick
2000 The List br: A Lista Richard Miller
2001 Epoch br: Portal da Morte Allen Lynsdar Telefilme
2002 People I Know br: O Articulador
pt: Gente Conhecida
Cary Launer
2003 People I Know Phil (Gerente de banco) Título alternativo: The Gentleman Bandit
Malibu's Most Wanted br: Seqüestro em Malibu
pt: O Mais Procurado
Bill Gluckman
2012 Slumber Party Slaughter William O'Toole Filme slasher
2015 Knight of Cups br/pt: Cavaleiro de Copas Ryan
Unity Narrador

TelevisãoEditar

Ano Título Papel Notas
1960 The Many Loves of Dobie Gillis Herm Episódio: "The Hunger Strike"
The Untouchables Porteiro (Não creditado) Episódio: "Jack 'Legs' Diamonds"
General Electric Theater Art Anderson Episódio: "The Playoff"
1961 The DuPont Show with June Allyson Cadete Wade Farrell Episódio: "Without Fear"
Bachelor Father Marty Braden Episódio: "Bentley and the Great Debate"
Laramie Johnny Jacobs Episódio: "Bitter Glory"
Leave It to Beaver Tom Henderson Episódio: "Wally Goes Steady"
1962 My Three Sons Chug Williams Episódio: "Chug and Robbie"
1962-63 Empire Tal Garrett 31 episódios
1963 The Virginian Ben Anders Episódio: "It Takes a Big Man"
1964 Perry Mason John Carew Episódio: "The Case of the Bountiful Beauty"
1964-69 Peyton Place Rodney Harrington 422 episódios
1991 Good Sports Bobby Tannen 15 episódios
1992 1775 Jeremy Proctor Episódio piloto
1995 The Larry Sanders Show Ele mesmo 2 episódios
2000–01 Bull Robert Roberts, Jr. 6 episódios
2003 Miss Match Jerry Fox 18 episódios
2005 Desperate Housewives Rodney Scavo Episódio: "Your Fault"
2010 90210 Spence Montgomery 3 episódios
2006–17 Bones Max Brennan 24 episódios

Prêmios e indicaçõesEditar

Ano Prêmio Filme Categoria Resultado
1971 Globo de Ouro Love Story Melhor Ator em Filme Dramático Indicado
Oscar Love Story Melhor Ator Indicado
Prêmio David Love Story Melhor Ator Estrangeiro Venceu
1974 Globo de Ouro Lua de Papel Melhor Ator em Comédia ou Musical Indicado
1988 Framboesa de Ouro Tough Guys Don't Dance Pior Ator Indicado
1990 Framboesa de Ouro Pior Ator da Década de 80 Indicado
1998 Framboesa de Ouro An Alan Smithee Film: Burn Hollywood Burn Pior Ator Indicado
2005 Framboesa de Ouro Pior Perdedor do Framboesa nos Nossos 25 Primeiros Anos Indicado

Referências

  1. «The Birth of Charles Oneal». californiabirthindex.org (em inglês). Consultado em 19 de maio de 2019 
  2. Nate Bloom (3 de janeiro de 2014). «Celebrity jews». jweekly.com (em inglês). Consultado em 19 de maio de 2019 
  3. «Charles O'Neal Biography (1904-1996)». filmreference.com (em inglês). Consultado em 19 de maio de 2019 
  4. «Empire Co-star an Ex-Stunt Man». Los Angeles Times (em inglês): B7. 31 de dezembro de 1962 
  5. a b Marion Purcelli (9 de março de 1963). «The Character Finds the Actor». Chicago Tribune (em inglês): c3 
  6. a b Marion Purcelli (6 de março de 1966). «A Big Town Boy Finds Success in a Small Town». Chicago Tribune (em inglês): h15 
  7. Hank Chapman (9 de setembro de 1962). «Terry Bawls With the Best». Chicago Tribune (em inglês): n_a13 
  8. «O'Neal Will Guest». Los Angeles Times (em inglês): C11. 9 de junho de 1964 
  9. «Ryan O'Neal-Iron Man of Television». Los Angeles Times (em inglês): c15. 18 de março de 1966 
  10. Linda Crawford (10 de julho de 1966). «'Who Wants to See Happiness?' Asks Ryan O'Neal of Peyton Place». Chicago Tribune (em inglês): j13 
  11. Florabel Muir (20 de dezembro de 1967). «Maggie Smith Captures Two Prized Movie Roles». The Washington Post (em inglês): C15 
  12. «Ryan O'Neal Signs». Los Angeles Times (em inglês): c17. 18 de janeiro de 1965 
  13. a b Joyce Haber (6 de dezembro de 1970). «Ryan O'Neal Has Plenty of Stories». Los Angeles Times (em inglês): v31 
  14. «Ryan O'Neal, Ali to Play 'Love Story'». Los Angeles Times (em inglês): e12. 4 de novembro de 1969 
  15. Gene Siskel (30 de setembro de 1984). «Movies: Ryan revives--what happened to this guy, anyway?». Chicago Tribune (em inglês): l5 
  16. «Ryan O'Neal: Does Father Know Best?: Ryan O'Neal». Los Angeles Times (em inglês): v24. 23 de julho de 1978 
  17. «Dalton's 'Darling Girl': Dalton's 'Darling Girl' By A. H. Weiler». The New York Times (em inglês): D13. 11 de julho de 1971 
  18. Joyce Haber (16 de setembro de 1973). «Bogdanovich Touch Turns Coincidence into Success: Turning Coincidence Into Success». Los Angeles Times (em inglês): o21 
  19. Janet Maslin (15 de dezembro de 1985). «The Pollack Touch». The New York Times (em inglês): A.54 
  20. Cobbett Steinberg (1980). Film Facts (em inglês). Universidade de Michigan: Facts on File. p. 60. ISBN 9780871963130 

Ligações externasEditar