Abrir menu principal

São Cristóvão (Salvador)

bairro em Salvador, Brasil
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2012). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Localização de São Cristóvão


São Cristóvão
  Bairro do Brasil  
Unidade federativa Bahia
Região administrativa Região Itapuã, RA X[1]
Município Salvador
Limites Mussurunga, Cassange, Itapuã, Jardim das Margaridas, Stella Maris[2]
Fonte: Projeto de Lei municipal (PL) (363/17)/2017[3]

São Cristóvão é um subdistrito de Salvador.[4]

Índice

LocalizaçãoEditar

Faz divisa com Lauro de Freitas, sendo um dos terminais de acesso ao Litoral Norte através da BA-099.[carece de fontes?]

Tem como principais pontos de acesso à cidade de Salvador o Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães (também conhecido como Aeroporto 2 de Julho), o Sistema Viário 2 de Julho, a Estrada CIA-Aeroporto e a Avenida Aliomar Baleeiro (Estrada Velha do Aeroporto); todos eles são importantes pontos de integração entre o Acesso Norte, o Subúrbio Ferroviário e o Centro da cidade e os demais municípios da Bahia.[carece de fontes?]

DemografiaEditar

PopulaçãoEditar

Segundo o Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010 São Cristóvão é o sexto bairro com a maior população de negros em Salvador, com 84,42% (45 505 habitantes).[5] Sua população total em 2010 somando todas as etnias era de 53 906 residentes.[5]

SegurançaEditar

Devido ao problema com supostas lideranças rivais de tráfico de drogas, em 1998 foi construído no bairro o "Muro da Vergonha", de dois metros e meio de altura feito em placas de concreto e ferro. O muro divide duas favelas da Avenida Caribé, que liga a Avenida Paralela ao Aeroporto. Este muro dificultou o acesso de crianças à escola.[6]

Foi listado como um dos bairros mais perigosos de Salvador, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e da Secretaria de Segurança Pública (SSP) divulgados no mapa da violência de bairro em bairro pelo jornal Correio em 2012.[2] Ficou entre os mais violentos em consequência da taxa de homicídios para cada cem mil habitantes por ano (com referência da ONU) ter alcançado o nível mais negativo, com o indicativo "mais que 90", sendo um dos piores bairros na lista.[2]

Entre 2011 e 2016 ficou consecutivamente entre os três bairros (dos vinte) mais perigosos de Salvador, devido ao número elevado de assassinatos.[7] Em maio de 2018 ficou entre os bairros com maior índice de roubo de carros em Salvador.[8]

Referências

Ligações externasEditar