Abrir menu principal

Wikipédia β

São Sebastião (Setúbal)

freguesia de Setúbal

São Sebastião é uma freguesia portuguesa do concelho de Setúbal, com 19,64 km² de área, é uma das mais populosas do país com 52 542 habitantes (2011) e tem a densidade populacional de: 2 675,3 hab/km².Fica na cidade de Setúbal e engloba os bairros de S. Domingos, Bairro Conceição, Bairro Santos Nicolau, Bairro Humberto Delgado, Terroa, Bairro do Peixe Frito, Manteigadas, Bairro Fonte do Lavra, Monte Belo Norte e Sul, Azeda e Nova Azeda, Tebaida, Baptista, Pinheirinhos, Camarinha, Palhais, Dias, Fontainhas, Fumeiros, Hortas e Bela Vista.

 Portugal São Sebastião  
—  Freguesia  —
Brasão de armas de São Sebastião
Brasão de armas
Localização no concelho de Setúbal
Localização no concelho de Setúbal
São Sebastião está localizado em: Portugal Continental
São Sebastião
Localização de São Sebastião em Portugal
Coordenadas 38° 31' 47" N 8° 52' 08" O
País  Portugal
Concelho STB.png Setúbal
Administração
 - Tipo Junta de freguesia
 - Presidente Nuno Miguel Rodrigues Costa (PCP-PEV)
Área
 - Total 19,64 km²
População (2011)
 - Total 52 542
    • Densidade 2 675,3 hab./km²
Sítio http://www.jfss.pt/

Índice

PopulaçãoEditar

População da freguesia de Setúbal (São Sebastião) [1]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
3 482 4 833 5 669 6 577 9 611 14 222 18 398 18 424 23 832 24 664 31 539 48 912 47 058 52 814 52 542
Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 9 212 8 053 29 216 6 333 17,4% 15,2% 55,3% 12,0%
2011 9 134 5 752 29 600 8 056 17,4% 10,9% 56,3% 15,3%

Média do País no censo de 2001: 0/14 Anos-16,0%; 15/24 Anos-14,3%; 25/64 Anos-53,4%; 65 e mais Anos-16,4%

Média do País no censo de 2011: 0/14 Anos-14,9%; 15/24 Anos-10,9%; 25/64 Anos-55,2%; 65 e mais Anos-19,0%

HistóriaEditar

A história da freguesia de S. Sebastião começa a 14 de Março de 1553 por uma «Carta de Desmembração e Separação e Nova Criação de Igrejas Matrizes», que foi dada pelo Arcebispo de Lisboa, D. Fernando, sendo composta por trezentos e sessenta e um fogos disseminados pelos lugares de Palhais, Fontainhas, Fumeiros e Hortas e por diversas ruas situadas no recinto amuralhado medievo, entre o postigo do Ouvidor e a Porta da Vila.

A divisão então realizada com a paróquia de Santa Maria passava mais a ocidente do que a linha divisória actual.

A criação desta freguesia constitui a consagração do crescimento de Setúbal para Este da linha de muralhas e é subsequente à ordem real de abertura da Porta de S. Sebastião, de modo a que melhor se servisse a população.

O nome de Porta de S. Sebastião provém da Ermida de S. Sebastião, que existia defronte à nova porta, e que tinha sido fundada em 1490, no centro do actual Largo do Miradouro.

Neste templo ficou instituída a paróquia que aí esteve até 1821, data em que foi mudada para a Igreja dos Grilos e em 1835 transitou para a Igreja do Convento de S. Domingos, entretanto extinto, onde ainda se encontra na actualidade.

A primitiva Ermida de S. Sebastião que havia tido grandes remodelações no século XVII e remodelada no século XVIII, ficou muito abalada com o terramoto de 1755, não conseguindo, após esse fatídico acontecimento e apesar das obras feitas, escapar à ruína, vindo a ser demolida entre 1849 e 1857, por ordem da Câmara Municipal.

Entre a segunda metade do século XVI e finais do século XVIII, a freguesia recebeu instituições religiosas de grande importância. O primeiro foi o Convento de S. Domingos, fundado em 1563, de que se mantém a igreja de estrutura quinhentista, reconstituída após 1755 e algumas das estruturas conventuais.

O Colégio dos Jesuítas, que foi criado em 1655 e ampliado em 1703, e que se encostou ao lado exterior da muralha, levando ao entaipamento da Porta dos Apóstolos. Foi ocupado, depois da expulsão da Ordem dos Jesuítas, por Freiras Bernardas e adaptado a palácio burguês no século XIX.

Do século XVIII data o Convento de Santa Teresa, da Ordem de Santo Agostinho, edifício que depois da extinção das ordens religiosas foi ocupado pelo primeiro liceu municipal do País e onde se encontra, actualmente, o tribunal.

Foi numa casa da Rua de S. Domingos, desta freguesia, que nasceu em 1765 o genial poeta Manuel Maria Barbosa du Bocage.

No final do século XIX foi construído o Bairro Baptista, que beneficiou da inauguração da via ferroviária que ligava Setúbal ao Barreiro.

O século XX trouxe à Cidade de Setúbal, mas muito marcadamente à freguesia de S. Sebastião, um enorme crescimento populacional a acompanhar o desenvolvimento da indústria conserveira que, nos anos vinte, surgem nos bairros da Monarquina e de S. Nicolau, que consolidam o crescimento para a zona ribeirinha.

A freguesia continua a crescer com a criação dos bairros da Conceição e Carmona, criados nos anos quarenta.

A freguesia de S. Sebastião possui um importante património naval histórico, ressaltando os galeões, que vieram para o Sado cerca de 1890, desde Huelva no sul de Espanha. A razão da sua vinda relaciona-se, directamente, com a indústria conserveira que gerava a necessidade de grandes quantidades de pescado.

FigurasEditar

PatrimónioEditar

Referências

  1. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes