Abrir menu principal

Sérvio Cornélio Maluginense

Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Sérvio Cornélio Maluginense, tribuno consular por sete vezes entre 486 e 468 a.C..
Sérvio Cornélio Maluginense
Cônsul da República Romana
Consulado 485 a.C.

Sérvio Cornélio Maluginense (em latim: Servius Cornelius Maluginensis) foi um político da gente Cornélia nos primeiros anos da República Romana eleito cônsul em 485 a.C. juntamente com Quinto Fábio Vibulano[1]. Era filho de "Públio Cornélio" e pai de Lúcio Cornélio Maluginense Uritino, cônsul em 459 a.C..

ConsuladoEditar

 
Vizinhança de Roma na época de Vibulano.

Durante o seu mandato, Espúrio Cássio Vecelino, o cônsul que, no ano anterior, havia proposto distribuir parte das terras públicas contra o desejo dos patrícios, foi condenado e executado[2]. Mas a morte de Viscelino não arrefeceu o desejo popular de uma solução para a questão agrária[3].

Os dois cônsules, temendo a irrupção de uma revolta, aproveitaram-se dos raides e invasões das cidades vizinhas ao território romano para propor um alistamento, que desviou a atenção da plebe da questão agrária[4]. Sérvio Cornélio liderou os romanos contra os veios enquanto Quinto Fábio lutou contra os volscos e os équos.

Depois de saquear o território dos veios, Sérvio Cornélio firmou um tratado de paz e estipulou uma trégua de um ano[5].

Ver tambémEditar

Referências

  1. Dionísio, Antiguidades Romanas, VIII, 77, 1.
  2. Tito Lívio, Ab urbe condita libri, II, 41, 10.
  3. Dionísio, Antiguidades Romanas, VIII, 81, 1-2.
  4. Dionísio, Antiguidades Romanas, VIII, 81, 2-4.
  5. Dionísio, Antiguidades Romanas, VIII, 82, 1.

BibliografiaEditar

  • T. Robert S., Broughton (1951). The Magistrates of the Roman Republic. Volume I, 509 B.C. - 100 B.C. (em inglês). I, número XV. Nova Iorque: The American Philological Association. 578 páginas