Síndrome de Kessler

A síndrome de Kessler ou efeito Kessler[1][2] proposta por um consultor da NASA, Donald J. Kessler é um conjunto de características inseridas desordenadamente no meio ambiente espacial cuja tendência é resultar num efeito de colisões e reações em cadeia envolvendo os satelites e outros objetos em órbita ao redor do planeta.

Concentração de objetos espaciais conhecidos em órbita próxima à Terra

O efeitoEditar

A síndrome de Kessler propõe que o volume de detritos espaciais na órbita terrestre baixa é tão grande nos dias de hoje que os objetos colocados em órbitas são frequentemente atingidos por esses, criando assim outros detritos e um maior risco de futuros impactos. A implicação desse cenário é que a crescente quantidade de detritos em órbita pode evoluir até afetar a exploração espacial, e até mesmo o uso de satélites, inviabilizando futuros lançamentos por várias gerações.

Da concentração de objetos espaciais em órbita próxima à Terra, uma parte tem por destino o reingresso na atmosfera e outra colide entre si, aumentando progressivamente o número de objetos não catalogados.

Ver tambémEditar

Referências

  1. «Scientist: Space weapons pose debris threat – CNN». Articles.CNN.com. 3 de maio de 2002. Consultado em 17 de março de 2011. Arquivado do original em 30 de setembro de 2012 
  2. «The Danger of Space Junk – 98.07». TheAtlantic.com. Consultado em 17 de março de 2011 
  Este artigo sobre exploração espacial é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.