Abrir menu principal

Sítio Paleontológico Arroio Cancela

Sítio Paleontológico
Arroio Cancela
Crânio do filhote de exaeretodon.
Localização Santa Maria,
 Rio Grande do Sul
Coordenadas 29° 41' 42" S 53° 47' 43" O
Figura 1: Sítio Cancela, esta no circulo.

Sítio Paleontológico Arroio Cancela é um sítio arqueológico brasileiro situado na cidade de Santa Maria, Rio Grande do Sul, no bairro Nossa Senhora de Lourdes, e pertence a Formação Santa Maria, Membro Alemoa e esta a uma altitude de 107 metros acima do nível do mar. Neste Sítio são encontrados fósseis de vertebrados do triássico, com aproximadamente 225 milhões de anos.

O sítio está localizado 600 metros da Estação Rodoviária de Santa Maria. Na esquina da rua Irmão Donato com a rua Otavio Alves de Oliveira, a cem metros do sítio, está a escola Estadual General Edson de Figueiredo, e próximo de um shopping center.

Trinta e cinco metros acima do Sítio Cancela, estão os Sítios paleontológicos Padre Daniel Cargnin e Sítio Paleontológico Bela Vista. No Sítio Paleontológico Largo Padre Daniel Cargnin (Ponto 1, da figura 1) é de onde foi coletado um Therioherpeton cargnini e no Sítio Paleontológico Bela Vista (Ponto 2, Figura 1) foram encontrados fragmentos de crânios não identificados. Ambos os sítios estão localizados próximo ao lado Cerrito, e pertencem a Formação Caturrita.

Área em estudoEditar

A área que está no círculo, possui 9 hectares e é transpassada pelo Arroio Cancela e começa o início da Rua Osvaldo Aranha e segue em direção à Av. Fernando Ferrari. Neste trecho são encontrados fósseis de animais do triássico, e há uma grande quantidade Lamito exposto. Os principais pontos de estudos e coletas estão enumerados como 1, 2 e 3, na figura 2. O trecho que vai do ponto 1 ao ponto 3, mede 185 metros. O trecho que vai do ponto 3 até a rua Otavio Alves de Oliveira, mede 142 metros.

Descrição dos PontosEditar

 
Figura 2: Principais pontos de estudos do Sítio.
  1. É onde foi coletado um filhote de saurisquiano, espécie indefinida. O corpo do animal media aproximadamente 70 centímetros da cabeça até a ponta da cauda. Este animal estava com aproximadamente 70% do seu corpo preservado, e tinha 50% do crânio. As vértebras estavam articuladas, e possuía todas as vértebras da cabeça até a cauda. O animal tinha a cabeça muito pequena em relação ao corpo, possuía uma cauda fina e comprida e os dentes tinham o formato de serra e não eram tão pontiagudos como os de um carnívoro. Provavelmente era um herbívoro. Coletado em 1974. (Este fóssil foi perdido).
  2. Neste local foi coletado um Rincossauro com aproximadamente 30% do corpo, que não possuia crânio, e as vértebras estavam articuladas. Foi escavado no ano de 1975. (Este fóssil também foi perdido). Recentemente em 2005, foi coletado parte de um jovem Rincossauro neste local, com vértebras desarticuladas.
  3. Neste local foi coletado quatro filhotes de Exaeretodons, no ano de 2004, com muito material pós-craniano e com vértebras desarticuladas, o que significa que os animais passaram por um avançado estado de decomposição antes de serem totalmente cobertos pelos sedimentos. Também foi encontrado um Rincossauro, no ano de 2002, com aproximadamente 60% do corpo, e vértebras articuladas. Estes fósseis foram doados à UFRGS.

Concentração de fósseisEditar

A área que vai do ponto 1 ao ponto 3 (Figura 2), tem 185 metros de extensão e na largura, são 5 metros em média, com lamito exposto. No total são 925 de lamito exposto. Foram realizadas cinco escavações, onde foram entrados um fóssil a cada 185 , sendo assim, deve haver 50 fósseis por hectare, neste local.

No círculo, tendo como ponto central o ponto três, o diâmetro é de 340 metros, com um raio de 170 metros e uma área de 90.792 , ou 9 hectares. Dividindo esta área por 185 , teremos provavelmente 490 fósseis dentro desta área do círculo que está no mapa. Nesta estimativa foram consideração, apenas a área exposta, como se estivesse em duas dimensões, sem levar em consideração a profundidade.

Há um desnível de mais de 3 metros entre o ponto 1 e o ponto 3. Tudo isso indica que fósseis, foram depositados neste local por muito tempo, e pode haver mais fósseis abaixo do arroio.

Supondo que a cada metro de profundidade haja quatro camadas de fósseis, significa que o número estimado de 490 pode ser multiplicado por quatro o que daria 1960 fósseis a cada metro de profundidade escavada. Sendo assim, é provável que haja entre 500 a 2.000 fósseis nesta área em estudo. Mas este número pode ser maior, pois existem outros dois sítios nas proximidades e a 30 metros acima, do local. Isso significa que esta área pode extrapolar em extensão e profundidade.

Ver tambémEditar

 
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
  Sítios Paleontológicos de Santa Maria:

1)Arroio Cancela. 2)Cabeceira do Raimundo. 3)Arroio Passo das Tropas. 4)Olaria Campus UFSM. 5)Colégio Militar. 6)Largo Padre Cargnin. 7)Cerrito I. 8)Cerrito II. 9)Cerrito III. 10)Sanga da Alemoa. 11)Jazigo 5. 12)Sanga do Armário. 13)Vila dos Sargentos. 14)Cidade dos Meninos. 15)Vila Kennedy. 16)Vila Caturrita. 17)Bela Vista. 18)Jardim Berleze. 19)Esc. Xavier da Rocha. 20)Silva Jardim.

  A Wikipédia possui o

Portal Santa Maria
da Boca do Monte


Leitor, participe do projeto

"Vamos todos wikificar Santa Maria."

Ligações externasEditar