Abrir menu principal

Sítio do Quinto é um município brasileiro do estado da Bahia, localizado na região semiárida, próximo a Antas e Coronel João Sá. De acordo com o panorama das cidades do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística(IBGE), Sítio do Quinto tem uma população estimada para 2017 de 11.283 habitantes[1]. Quem nasce em Sítio do Quinto é Sítio-Quintense ou SítiodoQuntense.

Município de Sítio do Quinto
"Município da Santa Cruz do Serrote"
Do topo, em sentido horário: Praça Eliane Pimentel na entrada da cidade; Romaria da Santa Cruz do Serrote; Festa do Padroeiro Santo Antônio; Paróquia Santo Antônio de Pádua; Vista da Romaria da Santa Cruz do Serrote e Avenida Antônio Marques do Nascimento.

Do topo, em sentido horário: Praça Eliane Pimentel na entrada da cidade; Romaria da Santa Cruz do Serrote; Festa do Padroeiro Santo Antônio; Paróquia Santo Antônio de Pádua; Vista da Romaria da Santa Cruz do Serrote e Avenida Antônio Marques do Nascimento.
Bandeira de Sítio do Quinto
Brasão de Sítio do Quinto
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 13 de junho
Fundação 13 de junho de 1989 (30 anos)
Gentílico sitio-quintense
Padroeiro(a) Santo Antônio de Pádua
Prefeito(a) Jair Jesus dos Santos (PSD)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Sítio do Quinto
Localização de Sítio do Quinto na Bahia
Sítio do Quinto está localizado em: Brasil
Sítio do Quinto
Localização de Sítio do Quinto no Brasil
10° 21' 00" S 38° 13' 01" O10° 21' 00" S 38° 13' 01" O
Unidade federativa Bahia
Mesorregião Nordeste Baiano II IBGE/2008[2]
Microrregião Jeremoabo IBGE/2008[2]
Municípios limítrofes Antas, Jeremoabo, Coronel João Sá, Adustina e Novo Triunfo
Distância até a capital 405 km
Características geográficas
Área 651,958 km² [3]
População 12 592 hab. IBGE/2010[4]
Densidade 19,31 hab./km²
Clima clima_ref =Sub-úmido a seco e semiárido
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,533 baixo PNUD/2010 [5]
PIB R$ 45 086,362 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 6,890 61 IBGE/2010[6]

Índice

NomenclaturaEditar

O município de Sítio do Quinto tem o seu nome originado do seu fundador ex-escravo "Velho Quinto", que tinha uma pequena "bodega" onde ele vendia produtos variados em seu sítio. Na época, a região ficou conhecida pelos moradores como "Sítio do Velho Quinto" onde as pessoas se deslocavam para fazer compras e adquirir produtos mais baratos.

HistóriaEditar

Nossa história começa no ano de 1905, quando um ex-escravo alforriado conhecido por todos como "Velho Quinto" construiu sua primeira casa. Diante desta grande conquista, o Velho Quinto teve a ideia de criar um pequeno sítio onde ele produziria o seu sustento. Através do seu árduo trabalho, a região começou a ser conhecida por todos e doze anos depois, em 1917, outros moradores foram se aproximando e construindo novas casas. Apesar de muitos falarem que eram terras improdutivas, o sítio do Velho Quinto prosperou produzindo bastante produtos típicos da região. Devido ao grande número de clientes que começavam a chegar, Velho Quinto abriu uma "bodega" onde eram vendidos diversos produtos de primeira necessidade: sal, açúcar, café, fumo, gás, óleo, farinha, feijão e outros.

A pequena mercearia continuou a prosperar e era muito comum as donas de casa e moradores da região dizerem: "-Vou lá no Sítio do Velho Quinto comprar açúcar, farinha, gás...". Foi daí que o nosso nome surgiu: Sítio do Quinto. Devido ao grande sucesso de sua pequena "bodega" e do seu sítio, o ex-escravo devoto de Santo Antônio de Pádua, por volta do ano de 1918 convidou o Pe. Eutímio, da Paróquia de Jeremoabo, para celebrar a 1ª Santa Missa da região. Diversos moradores dos municípios circunvizinhos começaram a se deslocar para as terras de Sítio do Quinto. É neste mesmo período que a região é considerada povoado. Tradicionalmente, devido a sua fundação e seu fundador devoto do Santo Casamenteiro, a Trezena de Santo Antônio é comemorada até hoje e já virou tradição entre os moradores.

Em 1954, Sítio do Quinto passou de povoado para 1º Distrito de Jeremoabo. No mesmo ano é criado o 1º Cartório de Registro Civil, tendo como tabelião o Srº Antônio Ramiro de Carvalho, conhecido entre os populares como "Tonhão". É neste mesmo período que foi criada a 1ª Sub-Delegacia de Polícia Civil, sendo o 1º Sub-Delegado o Srº João Francisco da Silva, conhecido na época como "João de Dona".

Em 1958, o agora Distrito elege os seus primeiros vereadores: João José do Nascimento, representando o Partido Político União Democrática Nacional (UDN) e José Januário, conhecido como "Zeca de Nel", representando o Partido do Desenvolvimento Social (PDS). Em 1990, é empossado o 1º Presidente da Câmara de Vereadores, o Srº José Amâncio de Carvalho.

EmancipaçãoEditar

Em 1978, João José do Nascimento, junto com os seus colegas, iniciaram a luta em busca da Independência de Sítio do Quinto do Município de Jeremoabo. Por motivo de saúde, João José se afastou da política e ingressando em seu lugar o seu filho Erivaldo José do Nascimento; Antônio Marques do Nascimento, conhecido como "Tonho Tabaqueiro" e José Oliveira Souza, conhecido como "Magalhães".

Empenhados em conseguir a emancipação política de Sítio do Quinto, os três foram ao Gabinete do Deputado Faustino Lima, em Salvador, solicitar o andamento do processo de Emancipação Política do Distrito de Sítio do Quinto. O projeto foi criado e aprovado pela Assembléia, através do Chefe do Executivo Estadual, o Srº João Durval Carneiro, mas por motivo logístico não foi executado o plebiscito.

No dia 14 de maio de 1989 é realizado o tão esperado plebiscito, onde mais de 95% do eleitorado voltou a favor da Emancipação Política de Sítio Quinto. Em 13 de Junho de 1989, Sítio do Quinto é publicado no Diário Oficial, através da Lei Nº 5001/89[7] tendo a garantia promocional da localidade como município. A lei foi sancionada pelo então Governador da BA, Nilo Coelho do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB). A emancipação coincidiu com a data do Padroeiro Santo Antônio de Pádua.

É interessante mencionar de passagem, que existem informações que o Coronel João Sá seria filho de Cícero Dantas - outro político da área -, que teve seu nome atribuído a um município portador do título nobiliárquico de Barão de Geremoabo, de onde originou a denominação de Jeremoabo, agora iniciada com J, dada ao município do qual Sítio do Quinto se emancipou.

Atual administraçãoEditar

  • Poder Executivo
  1. Prefeito: Jair Jesus dos Santos - Jair do Correios (PSD)
  2. Vice-Prefeito: Laudigelson José dos Santos - Gelson da Jibóia (PTN)
  • Poder Legislativo
  1. Presidente da Câmara: Carleon Oliveira Souza - Carlé do Sindicato (PMDB)
  2. Cleidivaldo Carvalho Santa Rosa - Bado (PSDB)
  3. Morgana Nascimento Silva - Morgana de Naná (PP)
  4. Rodrigo Dias Santa Rosa - Rodrigo de Gilson (PDT)
  5. José Manoel de Carvalho - Ní do Planalto (PSD)
  6. Egnaldo dos Santos - Mota da Farofa (PR)
  7. Ancelmo dos Santos - Ancelmo do Rasinho (DEM)
  8. José João Batista Andrade - Zé Miúdo (PSDB)
  9. Jose Virgilio de Carvalho - Zé de Miranda (PSD)
Ex-prefeitos
Ano Prefeito
De 01 de Janeiro de 1990 a 31 de Dezembro de 1992 Antônio Marques do Nascimento
De 01 de Janeiro de 1993 a 31 de Dezembro de 1996 Erivaldo José do Nascimento
De 01 de Janeiro de 1997 a 31 de Dezembro de 2004 (reeleito em 2000) Antônio Marques do Nascimento
De 01 de Janeiro de 2005 a 31 de Dezembro de 2008 José Oliveira Santos
De 01 de Janeiro de 2009 a 31 de Dezembro de 2016 (reeleito em 2012) Cleigivaldo Carvalho Santa Rosa

GeografiaEditar

Município baiano localizado na Mesorregião Geográfica do Semiárido Nordeste Baiano II, Sítio do Quinto encontra-se no limite norte-nordeste, através do Rio Vaza Barris com Coronel João Sá, ao sul com Adustina, a sudoeste com Antas e a oeste com Jeremoabo. Cortado pela BA 084, rodovia BR 110 e início da BA 390 fica aproximadamente 405 km de sua capital Salvador. Sua região administrativa é a cidade de Paulo Afonso/BA. De acordo com a Estatística dos Municípios Baianos, Sítio do Quinto encontra-se entre os limites intermunicipais de Adustina, Antas, Coronel João Sá, Jeremoabo e Novo Triunfo. Com uma população estimada pelo IBGE (2017) de 11.283 habitantes, quem nasce em Sítio do Quinto é Sítio-Quintense.

Povoados e regiões interioranas de Sítio do QuintoEditar

Alagoinhas / Assentamento Tingui / Barreiro / Belém / Boqueirão de baixo / Camaratuba / Caraíba / Cascalheira (povoado / Estaleiro / Flamengo / Jardim (povoado) / Lagoa do Limoeiro (povoado) / Lagoa do Raso / Meladinho / Mucambo / Planalto (povoado) / Porteira / Queimada de Dentro / Rasinho (povoado) / Saco do Tingui / Serrinha / Suturno / Tauazeiro / Tingui Gonçalves / Tingui (povoado) e Fazenda Capitão (Povoado) Varjada.

 
Prédio da Prefeitura de Sítio do Quinto localizado em frente a Praça João José do Nascimento (Praça do Mercado Municipal)

ClimaEditar

O município está inserido no "Polígono das Secas", apresentando um clima do tipo sub-úmido a seco e semiárido, com grandes riscos de seca extrema, como ocorreu no início do ano de 2017 onde diversos açudes secaram e o município inteiro sofreu com um verão escaldante. Sua temperatura média anual de 23,2 ºC (máxima) e 19.5 ºC (mínima). Os períodos mais chuvosos estão entre março e agosto, com pluviosidade anual de 893,9 mm. Área total de 702,10 km2. Possui uma vegetação de predominância seca, como a Caatinga-Floresta Estacional, Contato Cerrado-Caatinga e Contato Cerrado-Caatinga-Floresta Estacional.

Geomorfologia: Tabuleiro Dissecado do Vaza Barris e Tabuleiros do Itapicuru.

Geologia: Arenitos, Conglomerados/Brechas, Folhelhos, Grauvacas e Paraconglomerados

Ocorrências minerais: Manganês e Calcário

HidrologiaEditar

A rede de drenagem local é relativamente escassa, possuindo regiões ainda sem acesso a água potável em suas casas. A área do município está inserida na bacia hidrográfica do rio Vaza-Barris, tendo como rios principais: Rio Vaza-Barris e Rio Caraíbas.

RelevoEditar

Apesar de ser quase totalmente plano, existe em Sitio do Quinto, um interessante conjunto de grutas afastadas a cerca de 20km da cidade, em área não cercada, onde Lampião se escondeu com seu bando para escapar de seus perseguidores e de onde fugiu em direção à Alagoas. Este local é conhecido como "Gruta Maria Bonita". Complementando a paisagem, existe a Serra da Santa Cruz do Serrote, ponto turístico religioso altamente visitado em dias de romaria e datas comemorativas católicas.

EconomiaEditar

A economia desenvolvida no semi-árido baiano se mantém com um perfil essencialmente agropecuário, dando destaque para a agricultura e lavouras tradicionais temporárias de milho, feijão e mandioca que são bastante resistentes à seca. A fruticultura de lavoura permanente (castanha de caju), caprinocultura, ovinocultura, apícola (mel), aviária (criação de galinhas poedeiras) e lácteo (leite e derivados), também são formas de produção econômica em Sítio do Quinto.

Referências

  1. «cidades.ibge.gov.br/brasil/ba/sitio-do-quinto/panorama». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 23 de abril de 2018 
  2. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 [ligação inativa]
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 25 de agosto de 2013 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  7. «Lei 5001/89 | Lei nº 5.001 de 13 de junho de 1989, Governo do Estado da Bahia». Jusbrasil. Consultado em 18 de abril de 2018 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre um município da Bahia é um esboço relacionado ao WikiProjeto Nordeste do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.