Słubice

Município da Polônia

Loudspeaker.svg? Słubice (até 1945 em alemão: Frankfurt (Oder)-Dammvorstadt) é um município no oeste da Polônia, na voivodia da Lubúsquia, no condado de Słubice e sede da comuna urbano-rural de Słubice. Está situado no desfiladeiro do rio Óder. Estende-se por uma área de 19,2 km²,[1] com 16 510 habitantes, segundo o censo de 31 de dezembro de 2021, com uma densidade populacional de 859,9 hab./km².[1][2]

Polónia Słubice 
  cidade em uma comuna urbano-rural  
Vista aérea da região central de Słubice em 2015
Vista aérea da região central de Słubice em 2015
Símbolos
Bandeira de Słubice
Bandeira
Brasão de armas de Słubice
Brasão de armas
Localização
Słubice está localizado em: Polônia
Słubice
Słubice no mapa da Polônia
Mapa dinâmico da cidade
Coordenadas 52° 21' 15" N 14° 34' 08" E
País Polônia
Voivodia Lubúsquia
Condado Słubice
Comuna Słubice
História
Data da fundação século XIII
Elevação à cidade 1253 (1945 como uma cidade independente)
Administração
Tipo Prefeitura
Prefeito Mariusz Olejniczak (22 de novembro de 2018)
Características geográficas
Área total [1] 19,2 km²
População total (2021) [2] 16 510 hab.
Densidade 859,9 hab./km²
Fuso horário CET (UTC+1)
Horário de verão CEST (UTC+2)
Código postal de 69-100 a 69-102
Código de área (+48) 95
Cidades gêmeas
Frankfurt an der Oder  Alemanha 1975/16 de abril de 1991
Kłecko  Polônia
Lebus  Alemanha
Heilbronn  Alemanha 1998
Tijuana  México 1998
Yuma  Estados Unidos 2000
Shostka  Ucrânia 17 de outubro de 2008
Elektrėnai  Lituânia 19 de maio de 2010
Outras informações
Matrícula FSL
Slogan Cidade hanseática
Commons-logo.svg Mídia no Commons
Website Słubice na rede Internet

Com Frankfurt an der Oder, uma parte da qual foi até 1945, forma uma aglomeração transfronteiriça de cerca de 80 mil habitantes. É um centro acadêmico — sede do Collegium Polonicum. Há um histórico estádio SOSiR e outras atrações turísticas, incluindo o cemitério judaico — um dos mais antigos da Europa, a primeira menção dele vem de 1399, monumentos arquitetônicos, uma ciclovia no passeio público, roteiros turísticos, uma reserva natural e muitos outros. Parte da cidade está incluída na Zona Econômica Especial Kostrzyn-Słubice e também pertence à Eurorregião Pro Europa Viadrina. Słubice fez parte da Associação de Cidades polonesas, mas se desligou no governo do prefeito Tomasz Ciszewicz.[3][4]

GeografiaEditar

LocalizaçãoEditar

 
Vista parcial da cidade alemã de Frankfurt an der Oder. Ao fundo, panorâmica de Słubice

A cidade está localizada na fronteira com a Alemanha, no rio Óder, pelas estradas nacionais n.º 29 e n.º 31, 70 km de Berlim, 80 km de Gorzów Wielkopolski, 87 km de Zielona Góra, 150 km de Szczecin, 180 km de Poznań, 249 km de Breslávia e 490 km de Varsóvia. A autoestrada A2 passa ao sul de Słubice. A cidade está localizada entre o Vale Glacial Varsóvia-Berlim e o Vale Glacial Toruń-Eberswaldzka, no Distrito do Lago Lubúsquia e no Vale Médio do rio Óder.[5]

Słubice está situada na região histórica da Lubúsquia.[6]

Nos anos 1975–1998 a cidade pertenceu administrativamente à voivodia de Gorzowski.

Conjuntos habitacionaisEditar

Os conjuntos habitacionais de Słubice são: Folwarczne, Grzybowe, Kochanowskiego (incluindo Rolniczak), Komes, Kopernika, Krasiński, Królów Polskich, Leśne, Mała Moskwa (incluindo Świerkowe), Nadodrze, Paderewskiego, Sady, Słowiańskie, Transportowa, Witosa, Wimar, Wojska Polskiego, Zielone Wzgórza. A área suburbana inclui Kunowice e Świecko.

Estrutura de uso da terra[7].
Tipos de uso Área [ha] Proporção com a
área municipal [%]
Fazenda 1129 58,80
Área construída 485 25,26
Área florestal 168 8,75
Estéril 73 3,80
Área submersa 56 2,92
Áreas diversas 9 0,47

AldeiasEditar

As aldeias vizinhas são: Drzecin, Golice, Kunice, Lisów, Nowe Biskupice, Nowy Lubusz, Pławidło, Rybocice, Stare Biskupice, Zielony Bór.

Estrutura de uso da terraEditar

Segundo dados de 31 de dezembro de 2021, a área da cidade é de 19,2 km²[2].

SolosEditar

Na parte leste da cidade e seus arredores existem principalmente solos podzólicos, feitos de areias e lavrões, enquanto nas partes norte e sul há solos argilosos e solos pantanosos.[5].

NomeEditar

A gênese do nome Słubice causa muitas disputas. Alguns derivam seu nome da tribo eslava dos eslupianos, que ocupou a área entre os rios Spree e Óder. O documento de 992 menciona, entre outros, Zulbica. De acordo com outras fontes históricas, o assentamento de Zbiwitz, Zbirwitz ou Zliwitz estava localizado na margem direita do rio Óder na Idade Média. O nome Słubice também pode ser derivado das palavras polonesas słub, słup.

Até 1945, a cidade fazia parte da cidade alemã de Frankfurt an der Oder chamada Dammvorstadt. Este nome não é usado pelos alemães no momento. Ao descrever a parte polonesa da aglomeração transfronteiriça, eles usam o nome oficial polonês ou simplificam para Slubice (pronunciado ['slʊbɪtsə]). Este nome também é usado na língua oficial, por exemplo no site da cidade de Frankfurt an der Oder,[8] e uma de suas ruas é chamada Slubicer Straße.[9]

Em 1946, o nome oficial foi dado a Słubice.[10]

No período entre guerras e imediatamente após a Segunda Guerra Mundial, o nome Słubice ou Słubice nad Odra também poderia se referir à parte da margem esquerda ou ao todo, mas nunca foi atribuído a Frankfurt an der Oder.[11][12][13].

HistóriaEditar

 
Słubice em 1964
 
21 de dezembro de 2007 — alegria da multidão na ponte fronteiriça depois que a Polônia aderiu ao Acordo de Schengen
 
Passeio Unidade dos Trabalhadores — a chamada "Cidade Velha"

Frankfurt an der Oder com Słubice remonta ao século XIII, a primeira menção é feita a um acordo comercial no rio Óder, concedido em 1225 por Henrique I, o Barbudo, com um privilégio comercial e supostamente o direito de armazenar. Em 1253, ao assentamento foi concedido o direito de cidade, e o documento menciona Vrankenvorde, mais tarde Frankfurt an der Oder.[14] A partir desse momento até 1945, a margem direita fazia parte de Frankfurt an der Oder sob o nome de Dammvorstadt (lit. subúrbio da barragem). Após a eclosão da guerra pelo domínio da região, em 1319, a cidade e a região foram tomadas pelo Duque de Wołogoszcz, Vartislau IV da Pomerânia,[15] e em 1324 foi finalmente entregue aos Wittelsbachs, fazendo parte da Marca de Brandemburgo. Em 1326, uma invasão polaco-lituana atingiu as proximidades da cidade.[16]

Após o domínio da dinastia Wittelsbach, em 1373, o eleitorado de Brandemburgo e sua área de Frankfurt an der Oder (incluindo a área da atual Słubice), graças aos esforços do imperador romano-germânico e rei tcheco Carlos IV, tornaram-se parte da Coroa do Reino da Boêmia. O período de domínio tcheco durou 42 anos e terminou em 1415, quando o imperador romano-germânico, rei húngaro e governante do reino tcheco, Sigismundo de Luxemburgo, deu Brandemburgo à dinastia Hohenzollern, que o governou até o final da Primeira Guerra Mundial.[17] A primeira menção escrita de um cemitério judeu local vem de 1399, o que o torna o mais antigo cemitério judaico ainda existente na Europa Central e Oriental. De acordo com suposições, o cemitério poderia ter sido inaugurado até 100 anos antes de sua menção mais antiga e preservada.

Em 1749, em Słubice pré-guerra, foi fundada a empresa industrial mais antiga de Frankfurt an der Oder, ou seja, uma fábrica de produtos de cera de abelha e uma fábrica de branqueamento de cera. Nos anos de 1777–1945 a empresa foi dirigida pela família Harttung.[18] Em 1769 entrou em funcionamento uma fábrica de seda, posteriormente reconstruída em edifício residencial. Entre os inquilinos do edifício estavam, entre outros o presidente posterior do Reichstag e o primeiro presidente do Reichsgericht (Tribunal Supremo) em Leipzig, Eduard von Simson.[19]

Em 1785, a maioria da área de Słubice de hoje estava sob a água como resultado de uma inundação de neve de primavera. A única vítima fatal daqueles dias foi o sobrinho do rei Frederico, o Grande e comandante da guarnição de Frankfurt an der Oder, o príncipe Leopoldo von Braunschweig-Wolfenbüttel, comumente conhecido como Leopoldo Brunswick. A 1 de agosto de 1787 foi inaugurado um monumento ao príncipe Leopoldo, o monumento mais antigo da história de toda a Frankfurt an der Oder.[20]

Em 1811 foi inaugurado o cemitério municipal chamado Colinas Judaicas (Frankfurter Dammvorstadt-Friedhof), que tem sido usado como cemitério municipal em Słubice desde o fim da guerra. A segunda metade do século XIX viu o grande crescimento da indústria. Foi então que suas atividades se desenvolveram, entre outras a fábrica de armas de Wilhelm Collath e Georg Teschner (hoje sede da loja Biedronka na rua Kościuszki), e a fundição de ferro de A. Guttmann (hoje sede da Galeria Prima).

Em 23 de janeiro de 1898, foi lançada uma rede de bondes em Frankfurt an der Oder, que, através da ponte sobre o rio Óder, também chegava à margem direita, ou seja, Słubice de hoje.[21] Nos anos 1914–1927 sob a direção de Otto Morgenschweis, o Estádio SOSiR (na época Ostmarkstadion) foi construído pelos prisioneiros de guerra russos capturados durante a Primeira Guerra Mundial,[22] erguido com base no Grunewaldstadion de Berlim. De 4 a 7 de julho de 1930, a 24.ª Competição de Ginástica de Brandenburgo (24. Brandenburgisches Kreisturnfest) ocorreu no estádio e trouxe um público recorde nas instalações.

Em 9 de janeiro de 1919, os insurgentes da Grande Polônia realizaram um ataque de retaliação do aeroporto de Ławica no aeroporto militar na margem direita de Frankfurt an der Oder (segundo o livro de Kazimierz Sławiński “Ławica - poznańskie lotnisko” de 1975 e publicações referentes a este livro). Esta informação nunca foi confirmada pelo Arquivo Militar Central ou pelo Instituto da Memória Nacional. O mito sobre o suposto ataque aéreo já foi desmentido pelo Museu da Revolta da Grande Polônia em Poznań e pela Sociedade Histórica de Frankfurt an der Oder. Conforme as últimas descobertas científicas, Mariusz Niezrawski (autor do livro “Polskie wojska lotnicze w okresie walk o granice Państwa Polskiego (1918-1921)” de 2017) e Marek Rezler (coautor da “Enciclopédia da Revolta da Grande Polônia” de 2018), é apenas uma lenda e o suposto ataque nunca aconteceu. O piloto Wiktor Pniewski foi de fato um dos conquistadores do aeródromo militar de Ławica perto de Poznań e ameaçou os alemães com um ataque de retaliação a Frankfurt an der Oder. No entanto, ao contrário das palavras de Sławiński, a ameaça de um ataque de retaliação nunca foi cumprida, relatórios não militares poloneses ou alemães sobreviventes de 1919 não contêm uma única menção ao suposto ataque aéreo ao aeroporto militar de Frankfurt an der Oder, nem qualquer jornal polonês ou alemão antes de 1975 mencionou tal evento. Fontes da República Popular da Polônia escreveram sobre a suposta retirada de seis bombas de 25 quilos (ou seja, 150 kg no total), apesar da capacidade de carga das aeronaves multiúso alemãs, LVG C.V, ser metade disso.[23][24] [25].

Em 26 de janeiro de 1945, Frankfurt an der Oder foi proclamada fortaleza (Festung Frankfurt (Oder)), mas a área de Słubice de hoje praticamente não foi danificada durante a guerra. Em fevereiro de 1945, a população civil foi evacuada e, em 19 de abril de 1945, soldados alemães explodiram uma ponte de pedra sobre o rio Oder. Os combates na cidade duraram até 20 de abril. Mais de 100 soldados do 11.º Corpo Blindado da 1.ª Frente Bielorrussa e do 7.º Exército Polonês foram mortos lá (em sua homenagem, em 22 de julho de 1949, o Monumento da Vitória e da Irmandade de Armas foi inaugurado na Praça Bohaterów)[25]

 
Brasão de armas de Słubice em vigor de 1945 a 2006

Desde 1945 como cidade independente sob administração polonesa. O primeiro prefeito foi Henryk Jastrzębski, e o primeiro padre foi Maximilian Loboda — um padre alemão de origem polonesa da paróquia de Santa Cruz em Frankfurt an der Oder.[26] De agosto de 1945 a janeiro de 1946, o comandante de guerra da cidade foi o 2.º tenente Józef Krupa.[27] Em 1950 Słubice tornou-se a sede do condado de Rzepin, transformado em 1959 no condado de Słubice.

Em 1972 Słubice iniciou a cooperação com Frankfurt an der Oder, então a passagem de fronteira foi aberta. Três anos depois, em 1975, como parte da reforma administrativa do país, introduzindo uma divisão administrativa em dois níveis, o condado foi abolido e o Escritório da Cidade e Comuna (UMiG) foi criado. Em 1981, a “Galeria Provincial” foi inaugurada no edifício do Centro Cultural Municipal de Słubice (SMOK), cujo criador e curador em 1980–2002 foi o vencedor do prêmio cultural Passaporte "Polityka", Ryszard Górecki.[28] Atualmente, é substituída pela galeria "OKNO" dirigida por Anna Panek-Kusz.[29] Em 1987, a cidade conquistou o título de Mestre em Economia.

Em 1993, foi convocada pela primeira vez uma sessão das duas cidades — Frankfurt an der Oder e Słubice. No mesmo ano, um aterro municipal de resíduos foi inaugurado próximo de Kunowice.

Em 1994, foi iniciada a construção de casas para estudantes ("Amicus", "Arcadia", "Gaudium", "Juventa", "Sapientia", uma casa de estudantes de doutorado), e em 1995 foi iniciada a construção do Collegium Polonicum. Em 1996 foi inaugurada uma estação de tratamento de esgoto. Em 1997, foi criada a Zona Econômica Especial Kostrzyn-Słubice (K-SSSE). No mesmo ano, Frankfurt e Słubice defenderam-se contra a inundação do milênio.[30] Em 1998, o Collegium Polonicum foi inaugurado, enquanto em 1999, como parte da reforma administrativa do país, restaurando a estrutura de três níveis de divisão territorial, o condado de Słubice foi restabelecido. Em 2006, começou a construção do dormitório “Fórum” e em 2008 uma nova sala de cinema foi inaugurada no SMOK.

Monumentos históricosEditar

 
Igreja da Bem-Aventurada Virgem Maria, Rainha da Polônia de 1775
 
Palácio na rua Mickiewicza 3
 
Novo Monumento aos Heróis em Słubice

De acordo com a lista do Instituto do Patrimônio Nacional, estão inscritos no registro de monumentos:[31]

  • Escola primária n.º 1 na rua Wojska Polskiego 1, o edifício é de 1893;
  • Fachada do antigo cinema “Piast” na rua Jedności Robotnicza 9-10, erguido em 1924 no estilo expressionista com elementos art déco[32]sob o nome Filmpalast Friedrichstraße, agora abandonado;
  • Cemitério judaico em Słubice na rua Transportowa, mencionado a partir de 1399;[33] [35];
  • Estádio SOSiR na rua Sportowa 1, erguido nos anos 1914-1927 como Ostmarkstadion, erroneamente referido como “estádio olímpico” ou “estádio da marca ocidental”;[34]

Outros monumentos, cronologicamente, de acordo com a data da sua criação:

  • Igreja da Bem-Aventurada Virgem Maria, Rainha da Polônia na rua 1 Maja, construída em 1775 como casa de tiro (Schützenhaus);
  • Edifício residencial do século XIX e início do século XX;
  • Edifício do “Czerwony Folwark” do século XVIII na rua Folwarczna, até 1945 sob o nome de Rotvorwerk;
  • Palácio na rua Mickiewicza 3, erguido por volta de 1900 para o proprietário de bens de cavalaria, M. Herrguth; sede do Gabinete do Trabalho do Condado
  • Mansão neoclássica do século XIX na rua 1 Maja 12, construída como uma mansão Decker, sede do Banco Pekao de 1951 a 2014 (abandonada);
  • “Jedynka” coloquialmente conhecido como a “prefeitura” do final do século XVIII na rua Seelowska (anteriormente Gospoda pod Siedmioma Szwabami, então escola, atual centro comercial Galeria Jedynka);
  • Edifício do cassino dos ex-oficiais na rua Mickiewicza 11, erguido por volta de 1890;
  • Edifício do Centro Estudantil Católico na praça Jana Pawła II 1, erguido nos anos 1912-1913 como banho municipal Marienbad III;
  • Edifício pós-quartel de aproximadamente 1912 — antigo quartel-general da Guarda de Fronteiras na rua Konstytucji 3 Maja; atualmente um edifício residencial;
  • Mansão do início do século XX na rua 1. Maja 24;
  • Mansão da década de 1920 na rua Mickiewicza 7 (abandonada).

Monumentos históricos (não existentes) que estavam localizados na margem direita de Frankfurt an der Oder e não sobreviveram à Segunda Guerra Mundial:

  • Monumento ao Príncipe Leopoldo inaugurado em 1 de agosto de 1787 (desmontado em 1945)
  • Torre Kleist construída em 1891-1892 (explodida pelos alemães em 20 de fevereiro de 1945)
  • Ponte de pedra sobre o rio Óder de 1895 (explodida pelos alemães em 19 de abril de 1945)
  • Torre Bismarck erguida em 1901 (explodida pelos alemães em 20 de fevereiro de 1945)

Edifícios históricos que sobreviveram à Segunda Guerra Mundial em Słubice e foram demolidos após 1945:

  • Farmácia Vitória do início do século XX (parcialmente incendiada em 1945 e finalmente demolida após a guerra)
  • Fábrica de seda de 1769 (demolida em 1952)
  • Casa residencial na rua 1 Maja 14, construída por volta de 1830 (demolida em dezembro de 2012)
  • Mansão da década de 1920 na rua 1 Maja 15; antiga sede do jardim de infância “Pinóquio” (demolida em fevereiro de 2020);[35]

A seção polonesa dos Caminhos de Santiago, ou Camino Polaco.

Em 30 de maio de 2012, foi oficialmente inaugurada a “Trilha educativa pelos lugares históricos de Słubice”, uma rede de 12 painéis de informação polaco-alemães. As placas foram penduradas em alguns lugares, ou seja:

  • Casa do estudante de doutorado na rua Akademicka 2 (antiga fábrica de cera e acampamento especial NKVD n.º 6);
  • DS “Fórum” na rua Piłsudskiego 18 (antigo quartel militar);
  • Centro de Estudantes Católicos na Praça 1 Jana Pawła II (antiga casa de banhos Marienbad III);
  • Biblioteca municipal na rua Jedności Robotnicza 18 (história das ruas);
  • Edifício do tribunal na rua Mickiewicza 3 (história da rua e o antigo monumento do príncipe Leopoldo Brunswick);
  • Collegium Polonicum na rua Kościuszki 1 (incluindo a antiga fábrica de seda);
  • Galeria "Prima" na rua Daszyńskiego 1 (antiga fundição de ferro de A. Gutmann, hotel Polonia);
  • Estádio SOSiR na ul. Sportowa 1, construído nos anos 1914-1927;
  • Cemitério municipal na rua Sportowa 2, inaugurado em maio de 1814.

O primeiro monumento à Wikipédia do mundo foi inaugurado na Praça Frankfurt em outubro de 2014.

DemografiaEditar

De acordo com os dados do Escritório Central de Estatística da Polônia (GUS) de 31 de dezembro de 2021, Słubice tinha 16 510 habitantes, uma área de 19,2 km² e uma densidade populacional de 859,9 hab./km².[2] A comuna de Słubice tinha 20 061 habitantes.[36] O número de estrangeiros na cidade é de 668 pessoas, principalmente alemães e ucranianos.[37]

Fonte:[38][39]

Descrição Total Mulheres Homens
unidade hab. % hab. % hab. %
população 16 510 100 8 701 52,7 7 809 47,3
densidade populacional

(hab./km²)

859,9 453,1 406,8
  • Pirâmide etária dos habitantes de Słubice.[2]
Panorama de Słubice

EconomiaEditar

 
Centro comercial "Jedynka" chamado de “Prefeitura” na praça Przyjaźni (anteriormente o prédio da Escola primária n.º 1)
 
Hotel Cargo em Słubice

IndústriaEditar

Ainda no final da década de 1990, existiam fábricas em Słubice, como a Fábrica de Móveis Słubice (a chamada “Terenówka”), que produzia móveis (agora o centro comercial AXA) e uma das maiores do país produzindo jeans, Zakłady Przemysłu Materiałowego “Komes”, fundada em 1957, desativada em 1998 e finalmente demolida em 2008. No seu melhor período, empregou cerca de 2 mil funcionários.[40]

Atualmente, Słubice é um centro comercial e de serviços. Existem empresas que atuam nos setores automotivo, metalúrgico, calçadista, maquinário, eletroeletrônico, construção civil, alimentos, concreto e madeira. Em 1997, a Zona Econômica Especial Kostrzyn-Słubice foi criada aqui, onde 747 pessoas foram empregadas em 2011, a maioria das quais — 173 pessoas — são empregadas pela empresa de transporte Transhand. Há também muitas empresas de transporte e logística na cidade.

Comércio e serviçosEditar

No final de 1987, a Cooperativa Universal de Alimentos “Społem” em Słubice tinha 34 instalações e um centro de férias em Mrzeżyno, a Associação de Comércio Privado tinha 42 lojas, a Empresa de Imprensa e Promoção de Livros “Ruch” 14 quiosques, a Gmina Spółdzielnia “Samopomoc Chłopska” em Słubice 12 lojas, a Empresa Provincial de Comércio Interno 8 lojas, a Zakład Rolny Białe em Słubice 3 lojas, Empresa de Exportação Interna “Pewex” 2 lojas, Centro Comercial Militar 2 lojas, Central Folclórica e Indústria Artística “Cepelia” 1 loja, Przedsiębiorstwo Techniczno-Handlowe Motoryzacji "Polmozbyt" 1 loja, e a Cooperativa de Trabalho “Przyjaźń” tinha 1 loja.[41]

O Mercado Municipal (bazar) no cruzamento das ruas Kupiecka e Sportowo.

AgriculturaEditar

Havia duas fazendas estatais em Słubice: a Fazenda Agrícola Bialy em Słubice, que fazia parte da Colheitadeira Agrícola da Lubúsquia em Rzepin, localizada na cidade de Przedmieście Północne, e a Escola Fazenda Vermelha em Słubice, pertencente à Escola Técnica Agropecuária em Słubice, localizada em parte na cidade de Śliwice (conjunto habitacional Folwarczne).

TransportesEditar

 
Estrada de duas pistas no centro de Słubice (avenida Młodzieży Polskiej) ao longo da estrada nacional n.º 31

Devido à sua localização na fronteira com a Alemanha, Słubice cumpre a função de um entroncamento de comunicação fronteiriça. Há estradas importantes e um cruzamento ferroviário aqui.

Transporte rodoviárioEditar

Na década de 1970, uma estrada de duas pistas de 1,5 km de comprimento foi aberta em Słubice, atravessando o centro da cidade ao longo das ruas Kościuszki, 1 Maja, Konopnicka, avenida Młodzieży Polskiej e praça Przyjaźni. Durante vários anos, foi também planejado um desvio da cidade, que começaria no cruzamento com a estrada nacional n.º 29 nas proximidades da zona industrial e terminaria no cruzamento com a estrada nacional n.º 31 perto da aldeia de Drzecin.[42]

Transporte ferroviárioEditar

Existe a paragem ferroviária em Słubice, localizada na linha ferroviária n.º 3 Słubice-Poznań-Varsóvia,[43] que por sua vez faz parte da linha ferroviária internacional E20 que liga Berlim a Moscou. Nas proximidades de Kunowice existe também a estação ferroviária de Kunowice, que também está localizada na linha ferroviária n.º 3. Em 2005, como resultado da modernização da linha ferroviária, Kunowice deixou de ser uma estação. De 1949 a 2007, aqui ocorreu o desembaraço aduaneiro e de passaporte. A parada tinha um desvio na linha férrea n.º 386, que foi demolida em 2013, passando por Urad até Cybinka.[44] Os habitantes de Słubice também usam as estações ferroviárias de Frankfurt an der Oder e Rzepin, que são entroncamentos ferroviários.[45]

Transporte fluvialEditar

 
Porto fluvial gerido pela Autoridade da Água de Słubice

Słubice é a sede da Autoridade das Águas de Słubice, que desde 2018 faz parte da Autoridade Regional de Gestão da Água em Breslávia, operando como parte da Autoridade polonesa de Gestão da Água. Antes da reforma, que ocorreu na virada de 2017 e 2018, a Autoridade da Água em Słubice estava sob a gestão do RZGW em Szczecin. A autoridade administra o porto fluvial, que é um dos mais importantes do rio Óder, e controla o trecho do rio desde o estuário do rio Nysa Łużycka até ao estuário do rio Varta em Kostrzyn nad Odrą. Os navios de cruzeiro fluvial também chegam ao porto de Słubice.[46][47]

Transporte urbano e extra-urbanoEditar

Em 23 de janeiro de 1898, a rede de bondes em Frankfurt an der Oder foi lançada oficialmente, inicialmente os bondes funcionavam em duas linhas — uma das quais passava pela ponte sobre o rio Óder e hoje a rua 1 Maja até a Igreja de Nossa Senhora Rainha da Polônia (depois uma casa de tiro). Em 1927, a linha foi estendida até o estádio, e o terminal do bonde foi localizado no local do atual bazar da cidade. Em 1945, a margem direita da cidade como Słubice tornou-se parte da Polônia e, assim, o funcionamento da comunicação do bonde tornou-se impossível. Os trilhos do bonde ainda foram usados após a guerra para demolir edifícios danificados e, em 28 de setembro de 1945, a comunicação do bonde foi fechada.[48]

Em 1929, a comunicação do bonde na margem direita de Frankfurt an der Oder (hoje Słubice) foi complementada pelo lançamento de uma linha de ônibus, que das proximidades da ponte passava pela atual rua Jedności Robotnicza, praça Przyjaźni, rua Wojska Polskiego, rua Piłsudskiego (quartel), praça Bohaterów e praça Wolności e voltava para a ponte novamente. Em 1936, foi criada uma linha de serviço adicional, que ía do estádio ao aeroporto militar (hoje zona industrial). O transporte de ônibus foi liquidado como resultado das hostilidades e da união da margem direita como Słubice à Polônia.[48]

Desde 9 de dezembro de 2012, os ônibus urbanos circulam na primeira linha de ônibus públicos transfronteiriços polaco-alemã (n.º 983), ligando Słubice a Frankfurt an der Oder. A sua operação baseia-se num acordo entre a Câmara Municipal de Słubice e a Empresa Municipal de Transportes de Frankfurt an der Oder (SVF). O preço do bilhete é pago em euros.[49][50]

Em fevereiro de 2013, a Câmara Municipal de Słubice anunciou o início do processo de licitação para o lançamento de uma linha de ônibus municipal. O concurso para a exploração da linha foi ganho pela empresa “TransHand” Słubice e a 18 de março do mesmo ano foi lançado o primeiro serviço público de ônibus próprios em Słubice.[51][52] Em 1 de maio de 2015, a cidade de Kunowice também foi coberta por comunicação de ônibus.[53] Em 2 de janeiro de 2019, o transporte público foi retirado de Kunowice.[54] Em janeiro de 2019, existiam 7 linhas:[55]

  • 1: Słubice, rua Grzybowa – Świecko, Terminal,
  • 2: Świecko, Terminal – Słubice, rua Grzybowa,
  • 3: Słubice, rua Grzybowa – Świecko, Terminal,
  • 4: Słubice, rua Chopina – Słubice, rua Grzybowa,
  • 5: Słubice, rua Grzybowa – Słubice, rua Boh. Warszawy (Sąd),
  • 6: Słubice, rua Chopina – Słubice, rua Grzybowa,
  • 7: Słubice, rua Boh. Warszawy (Sąd) – Słubice, rua Grzybowa.

A cidade também tem conexões fora da cidade operadas por empresas PKS em Słubice, Myślibórz e Zielona Góra. Da estação rodoviária localizada perto da Prefeitura, você pode chegar às cidades vizinhas: Cybinka, Dębno Lubuskie, Gorzów Wielkopolski, Kostrzyn nad Odrą, Myślibórz, Ośno Lubuskie, Rzepin, Zielona Góra. Além disso, existem 9 linhas para algumas aldeias do condado (transporte escolar aberto). Todas as chamadas são atendidas apenas em dias letivos ou dias úteis, de segunda a sexta-feira.[56] A exceção é a conexão operada pela “FlixBus” Polska (antiga Eurolines Polska) para Gorzów Wielkopolski, que não parte da estação rodoviária e opera todos os dias.[57]

Clima (1979–2013)Editar

Dados climatológicos para Słubice
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 14,7 17,5 22,9 30,7 32,2 36,1 37,8 37,7 31,0 26,4 18,2 14,8 37,8
Temperatura máxima média (°C) 1,8 3,1 7,8 14,1 19,6 22,0 24,2 23,9 18,9 13,4 6,6 3,0 13,2
Temperatura média (°C) −0,5 0,2 3,9 8,7 13,8 16,6 18,7 18,2 13,9 9,1 4,1 0,9 9,0
Temperatura mínima média (°C) −3,5 −3,2 −0,1 3,4 8,0 11,1 13,1 12,7 9,2 5,0 1,1 −1,8 4,6
Temperatura mínima recorde (°C) −26,5 −22,0 −15,7 −6,6 −1,7 1,7 5,8 5,0 1,2 −6,3 −11,3 −19,2 −26,5
Precipitação (mm) 35 29 36 30 50 56 78 57 44 33 36 40 523
Dias com precipitação 9 8 9 7 9 10 11 10 8 8 8 10 107
Fonte: Baseado nos anos de 1979-2013[58] 2022-04-30

SaúdeEditar

Na cidade, os serviços de saúde oferecem:

  • Hospital Municipal Multidisciplinar Professor Ludwik Rydygier de 1964, no qual há um serviço de ambulância e um pronto-socorro hospitalar. O edifício de três andares do hospital distrital na rua Nadodrzańska 6 foi construído no formato de um paralelepípedo no eixo norte-sul. Possui departamentos ginecológicos, infantis e internamentos. Desde a década de 1970, o patrono oficialmente aceito não foi usado na prática na nomenclatura, mas nenhuma resolução foi adotada para renunciar ao patrocínio. O hospital é atualmente administrado pela empresa NZOZ "Szpital Powiatowy" em Słubice Sp. z o.o., 100% do qual é propriedade do condado de Słubice.[59]
  • Unidade de saúde não pública “Galmed”
  • Clínica distrital
  • Centro de cirurgia plástica “Unidade de saúde não pública Chirurgia Plastyczna E.A.Barańscy s.c.”
  • Farmácias (12)

EducaçãoEditar

 
Collegium Polonicum em Słubice, rua Kościuszki 1 (visto da rua Maja 1)

Existem 6 escolas primárias em Słubice (incluindo uma especial e uma particular), 3 escolas secundárias, 2 escolas secundárias gerais e a escola estatal de música de 1.º nível.

Em 1992, o Collegium Polonicum foi fundado em Słubice como um centro de ensino e pesquisa conjunto de duas universidades parceiras: a Universidade de Adam Mickiewicz em Poznań (AMU) e a Universidade Europeia Viadrina (EUV) em Frankfurt an der Oder.

Há uma creche e 8 jardins de infância (incluindo 3 não públicos) na cidade.[60] Há também um internato e seis casas de estudantes (Arcadia, Forum, Gaudium, Iuventa, Sapientia).[61]

CulturaEditar

 
Biblioteca municipal construída nos anos 1970-1975, até 1945 funcionava como sala de máquinas de Franz Richter
 
Antigo monumento siberiano. No passado, um busto de Lenin costumava ficar neste lugar
 
Fonte localizada na praça Przyjaźni em Słubice

Centros culturaisEditar

Havia vários centros culturais em Słubice:

  • Centro Comunitário do Condado (1957-1975): Stanisław Stefański (1957-1960), Tadeusz Zdon (1960-1971), Jadwiga Oberleitner (após 1971);
  • Fábrica da Cultura da ZO "Komes" (1961-1977): Stanisław Stefański (1961-1962), Henryk Weiser (após 1962);
  • Centro Cultural de Słubice (1975-1977);
  • Centro Cultural Interempresarial de Słubice (de 1977, a partir da fusão da PDK e ZDK na ZO "Komes"): Henryk Weiser (1977-1979), Zygmunt Walkowiak (1979-1983), Anna Mikos (1983-1984), Henryk Sterma (1984-1987) e novamente Henryk Weiser (1987-1989);
  • Centro Cultural Militar: tenente Ryszard Patkowski, capitão Juliusz Pałka, capitão Józef Jurek, major Mieczysław Ratajczak, sargento Ryszard Koryciński, major Franciszek Czarnik e capitão Andrzej Jesikiewicz.[62]

Em 25 de novembro de 1962, a Sociedade Cultural Słubice (STK) foi fundada no PDK em Słubice, cujo primeiro presidente foi Jan Krompiewski e seu secretário, Zygmunt Walkowiak. Em 1987 foi transformada na Sociedade dos Amantes de Słubice.[62]

A principal instituição cultural da cidade hoje é o Centro Cultural Municipal de Słubice (SMOK), que abriga a Galeria “Okno”, um centro comunitário juvenil, um cinema e um auditório. As aulas de dança de salão são realizadas em Słubice no Estúdio de Dança “Bohema”, também há aulas de dança moderna (break dance, street dance). A cidade também abriga o grupo de dança moderna “Frajda”, o grupo vocal “Rytmos” e o grupo de cinema “Wolf”.

Eventos culturais cíclicosEditar

Nos anos de 1989-2008, um total de 17 edições do Festival do Odra organizados pela SMOK foram realizadas em Słubice, substituídas pelo Festival da Cidade Hanseática (alemão: HanseStadtFest), nos anos de 2004–2008 realizado exclusivamente em Frankfurt an der Oder), e desde 2009 coorganizado por ambas as cidades. Em 2020–2021, as celebrações do feriado foram canceladas devido aos alertas contra a pandemia de COVID-19.[63] Nos anos 2012-2014 a comuna acolheu o festival de hip hop Break The Border, e nos anos 2013–2016 Słubice e a Fundação EDM+ de Gdynia organizaram o Festival Internacional de Arte Most/ Die Brücke.[64]

Ao mesmo tempo, desde 1997, o Festival de Teatro UNITHEA realiza-se em Słubice e Frankfurt an der Oder, desde 2004, o Festival de Canção de Autor e Música do Mundo, transVocale,[65] e desde 2010, o Festival de Arte Nova “lAbiRynT”.

Outras instituições culturaisEditar

Além disso, a cidade tem o seguinte: Biblioteca Municipal na rua Jedności Robotnicza 18, que tem uma filial na rua Słubicka 18 em Kunowice,[66] bem como a Biblioteca Collegium Polonicum na rua Kościuszki 1. A Biblioteca Pedagógica estava localizada em um prédio residencial na rua Chopin 19, mas foi fechada.

Słubice é a sede da Sociedade de Música de Słubice, que organiza os cíclicos Concertos de Ano Novo e os Encontros Internacionais “Musica Autumna”, que se tornaram uma presença permanente no calendário de eventos culturais da cidade. O Coro de Câmara “Adoramus” opera em Słubice sob o patrocínio da sociedade.

A vida cultural da cidade é também criada por algumas associações locais (a Associação dos Amantes da Região de Słubice, a Associação dos Siberianos em Słubice, a Associação Nossa Pátria).

TurismoEditar

Rotas turísticas nas proximidades

  •   estação ferroviária de Rzepin – Dąb „Piast” (assentamento de Liszki) – Grodno – lago Supno – lago Głębokie – Sądów – Drzeniów (mais para Krosno Odrzańskie)
  •   estação ferroviária de Pliszka – lago Ratno – Pliszka – Debrznica – lago Karasienko – Torzym
  •   estação ferroviária de Gądków Wielki – lago Wielickie – estação ferroviária de Pliszka
  •   parte da trilha europeia de longa distância E11, Słubice – Drzecin – Stare Biskupice – Reserva “Torfowiska Sułowskie” – Sułów – Kowalów – Drzeńsko – Lubiechnia Wielka – Lubiechnia Mała – lago Czyste Wielkie – lago Czyste Małe – Ośno Lubuskie – Radachów – Trzebów (mais na direção de Lubniewice)

Ciclovias nas proximidades

  •   Słubice – Drzecin – Stare Biskupice – Nowe Biskupice – Gajec – Rzepin – Rzepinek – Nowy Młyn – Jerzmanice – Radzikówek – Radzików – Sądów – Cybinka – Baiłków – Reserva “Młodno” – Krzesin
  •   Gajec – Nowy Młyn – Maczków – Urad – Koziczyn – Sądów – Drzeniów
  •   Bobrówko – Pniów – Garbicz – lago Wielkie – lado Karasienko – estação ferroviária de Torzym
  •   parte da trilha internacional R1 (Kostrzyn nad Odrą) – Chyrzyno – Żabczyn – Czarnów – Stańsk – |Gronów – Ośno Lubuskie – Rosławice – Grabno – Lubień – Brzeźno (Sulęcin)
  •   ciclovia “Óder-Nysa” – Kłopot – Urad – Kunice – Rybocice – Świecko – Słubice – Nowy Lubusz – Łazy Lubuskie – Pławidło (colônia) – Górzyca – Kostrzyn nad Odrą
  •   “Ciclovia planejada” – Kostrzyn nad Odrą – Chyrzyno – Górzyca – Owczary – Laski Lubuskie – Golice – Drzecin – Słubice (Smogórze) – Słubice – Słubice (Osada Świecko) – Świecko – Rybocice – Kunice – Urad – Rybojedzko – Kłopot – Rąpice – Krzesin

Meios de comunicaçãoEditar

Em Słubice são publicados o boletim do governo local “Gazeta Słubicka” e jornais locais: “Przekrój Lokalny” e “Pogranicze Lubuskie” (os títulos anteriores incluem “Echo Słubickie”, “Kurier Słubicki” e “Tylko Kostrzyn-Słubice”). A “Gazeta Lubuska” regional tem seu escritório de representação em Słubice.

A operadora de TV a cabo “Vectra” está localizada na cidade. O canal de TV local é “Horyzont TV Słubice” (HTS), que está disponível na TV a cabo Vectra e na Internet.[67] Além do site oficial da Secretaria Municipal,[68] existem também portais de informação local, como I Love Słubice, Nasze Słubice.pl e Słubice24.pl.[69]

EntretenimentoEditar

 
Árvores antigas e uma lagoa nos campos laterais do estádio em Słubice
  • Áreas de lazer:
    • Parque “Odra”
    • Parque “Pionierów Słubice”
    • Reserva Natural de Łęgi
  • Cinemas::
    • Cinema SMOK
    • anteriormente Cinema Piast

Comunidades religiosasEditar

 
Igreja do Espírito Santo na rua Wojska Polskiego
  • Igreja Católica na Polônia — a cidade pertence à metrópole de Szczecin-Kamień, diocese de Zielona Góra-Gorzów, forania de Rzepin.
    • Paróquia do Espírito Santo em Słubice (Igreja do Espírito Santo, Centro de Estudantes Católicos)
    • Igreja de Nossa Senhora, Rainha da Polônia
    • Capela de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa
  • Igreja Ortodoxa Polonesa (diocese de Breslávia-Szczecin, forania de Zielona Góra)
    • Paróquia da Proteção da Mãe de Deus (igreja dedicada à Proteção da Mãe de Deus)
  • Igreja Evangélica-Augsburg
    • Filial em Słubice
  • Igreja pentecostal
    • Igreja em Słubice
  • Testemunhas de Jeová:
    • Igreja em Słubice, Salão do Reino
  • Outras
    • Igreja de Deus em Cristo, igreja protestante da Dom Wolności
    • Cemitério Judaico na rua Transportowej
    • Totemismo “Totem Pole”

Esporte e lazerEditar

 
Estádio SOSiR em Słubice
 
Campo de futebol do Complexo de Escolas Econômicas e Agrícolas da avenida Niepodległości em 2009, construído em 1974
 
Pavilhão Desportivo Municipal
 
Complexo de piscinas externas do Estádio SOSiR
 
Prefeitura municipal na rua Academicka 1

A principal instalação esportiva da cidade é o Centro Esportivo e Recreativo de Słubice, localizado na rua Sportowa 1, que administra a maior base esportiva do condado de Słubice. SOSiR tem um estádio construído em 1914-1927, 4 campos de treino (incluindo 1 com relva artificial e iluminação de 4 mastros), ginásio, complexo de piscinas externas, quadras de tênis, campo de golfe e instalações para alimentação.[70]

O Centro Desportivo e Recreativo de Słubice envolve o Parque de Diversões e Recreação, também conhecido como Parque “Odra”, com percursos pedestres, de corrida, de ciclismo, um tobogã e as ruínas da torre Kleist.

Existe um Pavilhão Municipal de Esportes na cidade localizado na rua Piłsudski, pertencente ao SOSiR. Em 2010, foi inaugurado o Centro Desportivo Escolar, que localizado na Escola primária n.º 1 e Escola secundária n.º 1. Como resultado da implementação do projeto, entre outros, um salão multifuncional de esportes e entretenimento com uma área de 1059 por 39 m.[71]

O clube desportivo mais antigo de Słubice é o Clube Desportivo Municipal “Polonia” Słubice, que é o herdeiro do primeiro clube de futebol da cidade “Kotwica”, fundado em agosto de 1945. As conquistas do “Polonia” Słubice incluem as finais 1/16 da Copa da Polônia, conquistou a Copa da Polônia a nível provincial e o quarto lugar alcançado duas vezes no terceiro nível de jogos de futebol na temporada 1997/1998 e 2006/2007. Este clube joga na quarta liga da Lubúsquia.[72]

Em 2002 e 2006, a cidade sediou o Campeonato Polonês de ciclismo cross-country para mulheres e homens.

Existem instalações desportivas em Słubice, tais como:

  • Estádio SOSiR,
  • 4 campos de treinamento SOSiR,
  • Complexo de piscinas ao ar livre,
  • Quadras de tênis do Hotel Sports,
  • Ginásio de esportes municipal na rua Piłsudskiego,
  • Estádio ZSE-R,
  • Campos de golfe,
  • Estante de tiro municipal,
  • Centro esportivo escolar com pavilhão esportivo próprio,
  • 5 campos desportivos polivalentes renovados no âmbito do programa Orlik 2012.

Clubes como:

AdministraçãoEditar

Os habitantes de Słubice elegem 13 vereadores para o Conselho da cidade (9 em 15). Os restantes 2 vereadores são eleitos pelos habitantes das zonas rurais da comuna de Słubice.[74] O órgão executivo das autoridades é o prefeito. A sede das autoridades municipais é o edifício pós-militar na rua Akademicka 1.

A cidade é a sede do Gabinete do Condado de Słubice.

Os parlamentares são eleitos pelo círculo eleitoral de Zielona Góra e os membros do Parlamento Europeu pelo círculo eleitoral de Gorzów Wielkopolski.

Notas e referências

  1. a b c «Położenie i historia - Gmina Słubice». slubice.pl (em polonês). Consultado em 28 de abril de 2022 
  2. a b c d e «Słubice (Lubúsquia) mapas, imóveis, Escritório Central de Estatística, acomodações, escolas, região, atrações, códigos postais, salário, desemprego, ganhos, tabelas, educação, jardins de infância, demografia». Polska w liczbach (em polonês). Consultado em 28 de abril de 2022 
  3. «Związek Miast Polskich». www.miasta.pl. Consultado em 28 de abril de 2022 
  4. «Kto i dlaczego opuszcza Związek Miast Polskich?». www.portalsamorzadowy.pl (em polonês). Consultado em 28 de abril de 2022 
  5. a b «Strona główna - Gmina Słubice». slubice.pl (em polonês). Consultado em 29 de abril de 2022 
  6. Władysław Jan Grabski, 300 miast wróciło do Polski. Informator historyczny 960–1960, Instytut Wydawniczy „Pax”, Varsóvia 1960, p. 392.
  7. slubice.pl. «Atrakcje turystyczne» (PDF) (em polonês). Consultado em 28 de abril de 2022 
  8. «Wussten Sie...». web.archive.org. 3 de janeiro de 2014. Consultado em 29 de abril de 2022 
  9. «Stadt sucht Konzept für Slubicer Straße | Transodra Online». www.transodra-online.net. Consultado em 29 de abril de 2022 
  10. «Rozporządzenie Ministrów: Administracji Publicznej i Ziem Odzyskanych z dnia 12 listopada 1946 r. o przywróceniu i ustaleniu urzędowych nazw miejscowości.». isap.sejm.gov.pl. Consultado em 29 de abril de 2022 
  11. Ks. Stanisław Kozierowski, Atlas nazw geograficznych słowiańszczyzny zachodniej, zeszyt I, Poznań 1934 http://maps.mapywig.org/m/m_documents/PL/ATLAS_NAZW_GEOGRAFICZNYCH_SLOWIANSZCZYZNY_ZACHODNIEJ_ZESZYT_I.pdf.
  12. Mapa Polski 1:500 000 Wojskowy Instytut Geograficzny Sztabu Generalnego WP, Warszawa 1947, [1].
  13. Koleje Pomorza 1:1 100 000, marzec 1946 [2].
  14. Märkische Oderzeitung/Frankfurter Stadtbote, 7. Juli 2006, p. 15.
  15. Edward Rymar, Rywalizacja o ziemię lubuską i kasztelanię międzyrzecką, w: Śląski Kwartalnik Historyczny Sobótka, nr 4/1979, p. 481.
  16. Ibid., p. 494.
  17. Jan P. Kučera; Jiří Kaše; Pavel Bělina: České země v evropských dějinách – 3. 1. vyd. Praha: Paseka, 2006.
  18. «Bielnik wosku – historia firmy i osobisty apel Udo Harttunga». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 29 de abril de 2022 
  19. «Fabryka jedwabiu - historia miejsca, w którym stoi teraz biblioteka CP». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 29 de abril de 2022 
  20. Redakcja (25 de junho de 2010). «Pomnik Leopolda Brunszwickiego w Słubicach». Gazeta Lubuska (em polonês). Consultado em 29 de abril de 2022 
  21. «Komunikacja miejska w Słubicach wczoraj i dziś». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 29 de abril de 2022 
  22. «Stadion w Słubicach. Historia uwieczniona na starych fotografiach». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 29 de abril de 2022 
  23. «Wyborcza.pl». poznan.wyborcza.pl. Consultado em 29 de abril de 2022 
  24. «Bombardowanie Frankfurtu nad Odrą. Nalot, którego nie było?». PolskieRadio.pl. Consultado em 29 de abril de 2022 
  25. «Nie było nalotu powstańców wielkopolskich na lotnisko we Frankfurcie w 1919 roku». Słubice24.pl (em polaco). Consultado em 29 de abril de 2022 
  26. «Parafia Najświętszej Maryi Panny Królowej Polski w Słubicach - Fisharmonia na starej szafie czyli historia parafii NMP Królowej Polski w Słubicach». web.archive.org. 10 de abril de 2017. Consultado em 29 de abril de 2022 
  27. «Józef Krupa – komendant wojenny Słubic 1945-1946». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 29 de abril de 2022 
  28. «Ryszard Górecki | Życie i twórczość | Artysta». Culture.pl (em polonês). Consultado em 29 de abril de 2022 
  29. «okno – Galeria OKNO». galeriaokno.pl. Consultado em 29 de abril de 2022 
  30. Na verdade, a enchente de 1785 causou muito mais danos, pois inundou a maior parte do território da cidade de hoje e resultou em uma morte.
  31. «Rejestr zabytków nieruchomych woj. lubuskiego – stan na 31.12.2012 r.» (PDF). Narodowy Instytut Dziedzictwa. p. 57. Consultado em 5 de fevereiro de 2013 
  32. o.o, Sputnik Software Sp z. «BIP - Gmina Słubice: Uchwała Nr LVII/541/10 Rady Miejskie...». BIP - Gmina Słubice (em polonês). Consultado em 29 de abril de 2022 
  33. «SŁUBICE: Cmentarz żydowski w Słubicach w rejestrze zabytków - 5 lutego 2014». web.archive.org. 11 de julho de 2014. Consultado em 29 de abril de 2022 
  34. «Słubicki stadion został wpisany do rejestru zabytków. Co z tego wyniknie? - gazetalubuska.pl». web.archive.org. 8 de outubro de 2018. Consultado em 29 de abril de 2022 
  35. «Ruszyła rozbiórka budynku po Pinokiu (foto/wideo)». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 29 de abril de 2022 
  36. «Gmina Słubice (lubuskie) » mapy, nieruchomości, GUS, noclegi, szkoły, regon, kody pocztowe, wypadki drogowe, bezrobocie, zarobki, wynagrodzenie, edukacja, tabele, demografia, przedszkola». Polska w liczbach (em polonês). Consultado em 29 de abril de 2022 
  37. «Wiadomości samorządowe - Gmina Słubice». slubice.pl (em polonês). Consultado em 29 de abril de 2022 
  38. «Studium uwarunkowań i kierunków zagospodarowania przestrzennego - Gmina Słubice». slubice.pl (em polonês). Consultado em 29 de abril de 2022 
  39. S. Szulc, ed. (1947). Powszechny Sumaryczny Spis Ludności z dn. 14.II 1946 r. zeszyt.II. Varsóvia: Główny Urząd Statystyczny. p. 50 
  40. «Zakłady Przemysłu Odzieżowego „Komes" w Słubicach». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  41. «Historia PSS "Społem" w Słubicach». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  42. «Czy jesteśmy o krok bliżej obwodnicy Słubic?». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  43. Formalnie Kunowice-Warszawa.
  44. «Ogólnopolska Baza Kolejowa». www.bazakolejowa.pl (em polonês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  45. «Wraca połączenie kolejowe Poznań-Słubice-Frankfurt». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  46. «Nadzory Wodne - Regionalny Zarząd Gospodarki Wodnej we Wrocławiu». wroclaw.rzgw.gov.pl. Consultado em 30 de abril de 2022 
  47. «Znamy plan rejsów Zefira na rok 2017». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  48. a b Ralf-Rüdiger et al.: 100 Jahre Strom und Straßenbahn für Frankfurt (Oder). Stadtwerke Frankfurt (Oder) 1998 (1500 Exemplare).
  49. «Frankfurt-Słubice Kooperationszentum». web.archive.org. 24 de abril de 2013. Consultado em 30 de abril de 2022 
  50. «Znamy plan rejsów Zefira na rok 2017». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  51. «Będzie komunikacja miejska w Słubicach». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  52. «W Słubicach ruszyła miejska komunikacja». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  53. «Będzie miejski autobus do Kunowic - zobacz rozkład jazdy». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  54. «Zmiana rozkładu jazdy. Zniknie kurs do Kunowic». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  55. «Komunikacja miejska». Transhand (em inglês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  56. «Linie międzymiastowe». Transhand (em inglês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  57. flixbus.pl. «Rozkład jazdy dla linii 144 Gorzów Wielkopolski - Emden ważny od 07.10.2021» (PDF) (em polonês). Consultado em 29 de abril de 2022 
  58. «Home European Climate Assessment & Dataset». www.ecad.eu. Consultado em 30 de abril de 2022 
  59. «Szpital Powiatowy w Słubicach». www.szpitalslubice.pl. Consultado em 30 de abril de 2022 
  60. «W Słubicach powstanie polsko-niemieckie przedszkole». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  61. Joanna, Pak. «Domy studenckie • Collegium Polonicum». cp.edu.pl (em polonês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  62. a b «Stowarzyszenia kulturalne Słubic w latach 1945-1989». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  63. «Miejskie Święto Hanzy odwołane. Jest szansa na kilka mniejszych imprez». Słubice24.pl (em polonês). Consultado em 11 de junho de 2022 
  64. «Słubice bez Mostu. Ten festiwal się u nas nie przyjął - wyjaśnia burmistrz». Serwis Samorządowy PAP (em polonês). Consultado em 11 de junho de 2022 
  65. «Historia • transVOCALE. Festiwal Piosenki Autorskiej i Muzyki Świata.». transVOCALE (em polonês). Consultado em 11 de junho de 2022 
  66. «Filia Kunowice - Biblioteka Publiczna Miasta i Gminy w Słubicach». biblioteka.slubice.pl. Consultado em 30 de abril de 2022 
  67. «HTS Słubice». Słubice (em polonês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  68. «Strona główna - Gmina Słubice». slubice.pl (em polonês). Consultado em 30 de abril de 2022 
  69. «Kontakt - Słubice | Slubice24.pl». web.archive.org. 4 de janeiro de 2010. Consultado em 30 de abril de 2022 
  70. «Informacje o bazie sportowej i zapleczu». web.archive.org. 17 de abril de 2012. Consultado em 30 de abril de 2022 
  71. «Unia da pieniądze na budowę Szkolnego Centrum Sportowego - Słubice | Slubice24.pl». web.archive.org. 28 de fevereiro de 2009. Consultado em 30 de abril de 2022 
  72. «MKS Polonia Słubice». poloniaslubice.futbolowo.pl. Consultado em 30 de abril de 2022 
  73. «Zostań koszykarzem - ruszają zapisy do zespołu UKS Lotnik Słubice - Słubice | Slubice24.pl». web.archive.org. 14 de abril de 2010. Consultado em 30 de abril de 2022 
  74. «Geografia wyborcza - Wybory samorządowe - Państwowa Komisja Wyborcza». wybory2006.pkw.gov.pl. Consultado em 30 de abril de 2022 

BibliografiaEditar

  • Frankfurt (Oder) und Słubice topographischer Stadtplan ; Straßenregister, Hausnummern, Rad- und Wanderwege. Potsdam: [s.n.] 2007. OCLC 213515790 
  • Marian Eckert/ Tadeusz Umiński: Ziemia słubicko-rzepińska, Lubuskie Towarzystwo Kultury, Zielona Góra 1965.
  • Walter Hausdorf/ Siegrid Noack: Słubice – Ulice, drogi i place a ich rozwój historyczny we: Frankfurter Jahrbuch 2005, pp. 95–191, ISBN 3-933416-61-2.
  • Thomas Jäger: Die Seidenfabrik in der Frankfurter Dammvorstadt, Frankfurt (Oder) 2001.
  • Andrzej Jermaczek (red.): Wstępna inwentaryzacja przyrodnicza gminy Słubice (mscr.). Projekt WWF „Zielona wstęga Odra – Nysa”. Lubuski Klub Przyrodników. Świebodzin 1993.
  • Andrzej Jermaczek/ Paweł Pawlaczyk: Koncepcja ochrony przyrody obszaru objętego projektem WWF „Zielona wstęga Odra – Nysa” – synteza (mscr.). Lubuski Klub Przyrodników, Świebodzin 1996.
  • Frankfurt Oder Słubice sieben Spaziergänge durch die Stadtgeschichte. Berlim: [s.n.] 2003. OCLC 76717866 
  • Ulrich Knefelkamp/ Siegfried Griesa (red.): Frankfurt an der Oder 1253-2003, Verlag für Wissenschaft und Forschung, Berlim 2003.
  • Jörg Kotterba/ Frank Mangelsdorf (wyd.): Einst und jetzt. Frankfurt (Oder) / Slubice, Culturcon Medien, 2010.
  • Jan Krajniak: Pojezierze Lubuskie. Międzyrzecz – Świebodzin – Sulęcin – Słubice, Wyd. Poznańskie, Poznań 1982.
  • Sebastian Preiss/ Uta Hengelhaupt/ Sylwia Groblica/ Almut Wille/ Dominik Oramus: Słubice. Historia – topografia – rozwój, Słubice 2003.
  • Eckard Reiß/ Magdalena Abraham-Diefenbach (red.): Makom tow – dobre miejsce. O cmentarzu żydowskim w Słubicach i Frankfurcie nad Odrą, Vergangenheits Verlag, Berlim 2012.
  • Maria Rutowska (red.): Słubice 1945-1995, Słubice 1996.
  • Robert Stańko/ Andrzej Jermaczek: Inwentaryzacja i waloryzacja przyrodnicza oraz projekt ochrony przyrody obszarów zalewowych doliny Odry w rejonie Słubic (mscr.) Projekt WWF „Zielona wstęga Odra – Nysa”. Lubuski Klub Przyrodników. Świebodzin 1998.
  • Michał Szczaniecki/ Stanisława Zajchowska (red.): Ziemia Lubuska, Instytut Zachodni, Poznań 1950.
  • Ralf-Rüdiger Targiel, Frankfurt (Oder), so wie es war. Fotografierte Zeitgeschichte, Drooste 1994.

Ligações externasEditar