SMS Szent István

SMS Szent István
Szent Istvan.jpg
Carreira  Áustria-Hungria
Operador Marinha Austro-Húngara
Fabricante Ganz–Danubius, Fiume
Custo Kr 60,6 milhões
Homônimo Estêvão I da Hungria
Batimento de quilha 29 de janeiro de 1912
Lançamento 17 de janeiro de 1914
Comissionamento 13 de dezembro de 1915
Estado Naufragado
Fatalidade Torpedeado no Mar Adriático
em 10 de junho de 1918
Características gerais
Tipo de navio Couraçado
Classe Tegetthoff
Deslocamento 21 690 t
Maquinário 2 turbinas a vapor
12 caldeiras
Comprimento 152,18 m
Boca 28 m
Calado 8,6 m
Propulsão 2 hélices
- 26 000 hp (19 400 kW)
Velocidade 20 nós (37 km/h)
Autonomia 4 200 milhas náuticas a 10 nós
(7 800 km a 19 km/h)
Armamento 12 canhões de 305 mm
12 canhões de 150 mm
18 canhões de 66 mm
3 canhões antiaéreos de 66 mm
4 tubos de torpedo de 533 mm
Blindagem Cinturão: 150 a 280 mm
Convés: 30 a 48 mm
Torres de artilharia: 60 a 280 mm
Anteparas: 120 a 180 mm
Tripulação 1094

O SMS Szent István foi um navio couraçado operado pela Marinha Austro-Húngara e a quarta e última embarcação da Classe Tegetthoff depois do SMS Viribus Unitis, SMS Tegetthoff e SMS Prinz Eugen. Nomeado em homenagem ao rei-santo Estêvão I da Hungria, sua construção começou em janeiro de 1912 nos estaleiros da Ganz–Danubius em Fiume e foi lançado ao mar em janeiro de 1914, sendo comissionado em dezembro do ano seguinte. Foi o único navio de sua classe construído na parte húngara do império, uma concessão feita ao governo húngaro em troca de apoio para os orçamentos navais que financiaram a Classe Tegetthoff. Sua construção sofreu vários atrasos por causa do tamanho reduzido dos estaleiros em Fiume e por conta do início da Primeira Guerra Mundial em julho de 1914.

O Szent István foi designado, logo depois de seu comissionamento, para fazer parte da 1ª Divisão de Couraçados. Ele ficou estacionado próximo da base naval de Pola junto com seus outros três irmãos. Sua entrada no serviço foi muito tardia para que o couraçado pudesse participar do Bombardeio de Ancona após a declaração de guerra da Itália contra a Áustria-Hungria em maio de 1915. O Szent István praticamente não participou de combates pelo resto da guerra devido à Barragem de Otranto promovida por britânicos e franceses, o que impediu que a Marinha Austro-Húngara deixasse o Mar Adriático. Isto fez com que a embarcação raramente deixasse a segurança de seu porto entre 1916 e 1918, com as únicas exceções sendo treinamentos de artilharia realizados relativamente próximos da costa.

A Marinha Austro-Húngara tentou romper a Barragem de Otranto em junho de 1918 com um grande ataque, cujo objetivo era conquistar uma passagem livre para u-boots alemães e austro-húngaros através do Estreito de Otranto. Este ataque seria liderado pelos quatro couraçados da Classe Tegetthoff, porém ele foi abortado logo depois do Szent István e do Tegetthoff terem sido atacados por lanchas torpedeiras italianas na manhã de 10 de junho. O Tegetthoff escapou ileso, porém o Szent István foi torpedeado duas vezes pela lancha MAS-15 e emborcou três horas depois perto da ilha de Premuda. Seus destroços foram localizados na década de 1970 pela Marinha Iugoslava, estando de ponta-cabeça e com a proa quebrada a 66 metros de profundidade. O local é protegido pelo governo croata.

Referências

BibliografiaEditar

  • Hötzendorf, Franz Conrad von (1925). Aus Meiner Dienstzeit, 1906–1918. Viena: Rikola Verlag. OCLC 637021337 
  • Gebhard, Louis (1968). «Austria-Hungary's Dreadnought Squadron: the Naval Outlay of 1911». Austrian History Yearbook. 4. doi:10.1017/S0067237800013230 
  • Greger, René (1976). Austro-Hungarian Warships of World War I. Londres: Ian Allan. ISBN 978-0-7110-0623-2 
  • Guérin, Ulrike; Egger, Barbara (2013). Maarleveld, Thijs J., ed. Manual for Activities Directed at Underwater Cultural Heritage: Guidelines to the Annex of the UNESCO 2001 Convention. Paris: Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. ISBN 978-92-3-001122-2 
  • Halpern, Paul G. (1971). The Mediterranean Naval Situation, 1908–1914. Cambridge: Harvard University Press. ISBN 978-0674564626 
  • Halpern, Paul G. (1987). The Naval War in the Mediterranean, 1914-1918. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 978-0870214486 
  • Koburger, Charles (2001). The Central Powers in the Adriatic, 1914–1918: War in a Narrow Sea. Westport: Praeger Publishers. ISBN 978-0-313-00272-4 
  • Preston, Anthony (2002). World's Worst Warships. Londres: Conway's Maritime Press. ISBN 978-0-85177-754-2 
  • Sieche, Erwin F. (1985). «Austria-Hungary». In: Gardiner, Robert; Gray, Randal. Conway's All the World's Fighting Ships: 1906–1921. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 978-0-85177-245-5 
  • Sieche, Erwin F. (1991). «S.M.S. Szent István: Hungaria's Only and Ill-Fated Dreadnought». Toledo: International Warship Research Organization. Warship International. XXVII. ISSN 0043-0374 
  • Sokol, Anthony (1968). The Imperial and Royal Austro-Hungarian Navy. Annapolis: Naval Institute Press. OCLC 1912 
  • Vego, Milan N. (1996). Austro-Hungarian Naval Policy: 1904–14. Londres: Routledge. ISBN 978-0714642093 

Ligações externasEditar