Abrir menu principal
SS City of New York
City of new york.jpg
Carreira  Reino Unido
Operador Inman Line
Fabricante John Brown & Company
Homônimo Nova Iorque
Lançamento 15 de março de 1888
Batismo 15 de março de 1888
por Jennie Spencer-Churchill
Viagem inaugural 1 de agosto de 1888
Porto de registo Liverpool, Inglaterra
Número do casco 240
Estado Vendido para a American Line
Carreira  Estados Unidos
Nome SS New York
Operador American Line
Homônimo Nova Iorque
Aquisição 22 de fevereiro de 1893
Aposentadoria 1921
Estado Desmontado
Características gerais
Tipo de navio Transatlântico
Tonelagem 10.508 t
Maquinário 2 motores a vapor de
tripla expansão
Comprimento 170 m
Boca 19 m
Propulsão 2 hélices triplas
- 18 000 hp (13 400 kW)
Velocidade 20 nós (37 km/h)
Tripulação 362
Passageiros 1740

O SS City of New York foi um navio de passageiros britânico operado pela Inman Line e construído pelos estaleiros da John Brown & Company em Clydebank. Ele foi lançado em março de 1888 e realizou sua viagem inaugural em agosto do mesmo ano. O navio foi projetado para ser o maior e mais rápido transatlântico do mundo, sendo considerado junto com seu irmão SS City of Paris como uma das embarcações mais mais luxuosas e confortáveis da época. Em termos de propulsão, os dois foram os primeiros do mundo construídos com um sistema baseado em duas hélices.[1]

O City of New York teve uma carreira tranquila e de sucesso até 1892, quando o governo britânico retirou seus subsídios, causando temores financeiros para a Inman. Ela acabou vendendo o navio em fevereiro de 1893 para a American Line. Foi renomeado SS New York e continuou sua carreira comercial até a Guerra Hispano-Americana de 1898, quando foi requisitado em abril pela Marinha dos Estados Unidos e convertido como cruzador auxiliar sob o nome de USS Harvard, servindo em Cuba para vários objetivos até ser devolvido para a American Line em agosto.[1]

A embarcação foi reformada por três meses para voltar ao serviço comercial e teve seu nome restaurado para New York. Pouco depois passou por outra reforma que substituiu seus motores e removeu uma das chaminés. O navio quase colidiu em 10 de abril de 1912 com o RMS Titanic, quando a sucção das hélices deste soltou o New York de suas amarras em Southampton e o puxou. A colisão foi evitada devido a ações dos oficiais do Titanic e por rebocadores do porto. Uma nova reforma no ano seguinte removeu sua primeira classe, transformando-o em um navio de imigrantes.[1]

A Primeira Guerra Mundial começou em 1914 e o New York, diferentemente de muitos transatlânticos, continuou no serviço comercial por ser considerado muito velho para o serviço militar. Ele mesmo assim foi convocado pela marinha em 1918 para atuar como transporte de tropas, sendo renomeado de USS Plattsburg. Realizou sete viagens nessa funções e foi devolvido a American Line em outubro de 1919. Novamente como New York, acabou vendido em 1921 e passou por vários donos até ser definitivamente aposentado em 1922. Foi desmontado em Gênova no ano seguinte.[1]

Referências

  1. a b c d Ljungström, Henrik. «City of New York». The Great Ocean Liners. Consultado em 19 de novembro de 2018 
  Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.