Abrir menu principal
Sabaúna
  Distrito do Brasil  
Localização
Estado  São Paulo
Município Mogi das Cruzes
História
Criado em 1920
Características geográficas
População total (2010) 14 511 hab.
Estação Ferroviária de Sabaúna.

Sabaúna é um distrito do município de Mogi das Cruzes, no estado de São Paulo.

HistóriaEditar

 
Praça central e Igreja de Nossa Senhora do Carmo.
 
Área central de Sabaúna.

O distrito foi fundado por Álvaro Luiz do Valle, Capitão-mór da Capitania de São Vicente, procurador e sesmeiro do Conde de Monsanto. Donatário da capitania, doou ao Convento do Carmo de Mogi as terras que mais tarde abrigariam Sabaúna. Essa Sesmaria constava de légua e meia de testada (frente) e uma légua de sertão. Muitos anos depois, em 1768, Frei Thomé Alves de Christo comprou mais uma gleba junto à anterior. A nova área tinha trezentas braças de testada e meia légua de sertão e o frade em questão pagou por ela aos seus proprietários (Ignácio Pedroso e sua mulher Antonia do Rosário) certa quantia em dinheiro.

A partir de então, a propriedade passou a ser beneficiada pelos Frades do Carmo e dela vinham todos os mantimentos para o sustento dos religiosos e dos escravos que viviam no Convento de Mogi. Além de gêneros, a fazenda rendia ao Carmo, da mesma forma, boa quantia em dinheiro. Em 1826, por exemplo, ela produziu milho, feijão, arroz, amendoim, cana e algodão.

Em fins do século 19, no entanto, o governo estadual resolveu adquirir aos frades do Carmo a sua fazenda de Sabaúna. E o fez - segundo o Relatório de 14 de Abril de 1893, do então Secretário da Agricultura, Doutor Jorge Tibiriçá - mediante permuta por Dez Apólices da Dívida Pública.

A 23 de Abril de 1893 uma comissão nomeada pelo Governo do Estado dava início aos trabalhos de medição da fazenda e em 12 de Dezembro daquele ano tinha início o serviço de colonização, com uma família de tiroleses, de quatro pessoas.

Nascia, assim, o Núcleo Colonial de Sabaúna, que já em 1900 tinha 1.111 habitantes, dos quais 597 homens e 514 mulheres. Das famílias ali estabelecidas nesse ano, setenta e cinco eram brasileiras, oitenta espanholas, vinte e oito italianas, nove alemãs, duas francesas, uma belga, duas austríacas, uma africana e três portuguesas, num total de duzentas e uma famílias.[1]

Pedido de emancipaçãoEditar

O distrito tentou emancipar-se e ser transformado em município no ano de 1963[2], mas não obteve êxito.

AtualidadeEditar

Sabaúna é distrito da cidade de Mogi das Cruzes desde 27 de Dezembro de 1920. Segundo o Censo de 2010, o Distrito possui 14.511 habitantes, e está sendo estruturado para se tornar um pólo turístico. Possui uma excelente infra-estrutura, que proporciona qualidade de vida aos seus habitantes, baixa densidade demográfica e pouco tráfego de veículos,fator que tem atraído moradores da Capital Paulista para residirem no distrito. O distrito possui ainda diversas propriedades rurais e um setor industrial. O bairro do Botujuru, que durante muitos anos foi conhecido por ser um tradicional produtor de cogumelos, também pertence ao distrito.[3]

Origem do NomeEditar

Sabaúna vem da palavra Tamba Una em tupi-guarani e significa Concha Preta, tipo de concha muito comum no Ribeirão Guararema, que corta o distrito.

Trem turísticoEditar

 
Rodovia Mogi-Guararema (SP-66), a principal via de ligação de Sabaúna ao centro de Mogi das Cruzes.

O Trem Turístico, que ligará os distritos de Sabaúna e César de Souza, faz parte de um projeto da ANPF - Associação Nacional de Preservação Ferroviária https://web.archive.org/web/20180315054203/http://anpf.com.br/. Esta instituição possui um departamento de Ferromodelismo, que promove encontros mensais, com o intuito de promover a preservação da história das ferrovias através do hobby.

ComunicaçõesEditar

O distrito foi atendido pela Companhia Telefônica da Borda do Campo (CTBC)[4] até 1998, quando esta empresa foi privatizada e vendida juntamente com a Telecomunicações de São Paulo (TELESP) para a Telefônica[5], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[6] para suas operações de telefonia fixa.

Ver tambémEditar

Referências

  1. GRINBERG, Isaac; Mogi das Cruzes de antigamente. São Paulo, 1964.
  2. «Comissão de Divisão Administrativa e Judiciária - Relação Geral de Processos - 1963» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  3. Diário de Mogi - Distrito quer ser pólo turístico[ligação inativa]
  4. «História da CTBC». Companhia Telefônica da Borda do Campo 
  5. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  6. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 
  Este artigo sobre Mogi das Cruzes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.