Abrir menu principal

Sacelo[1] (em latim: Sacellum; forma diminutiva de sacer, lit. "pertencente a um deus"),[2] na religião da Roma Antiga, era um termo empregado para designar um pequeno recinto com altar dedicado a um deus, ou, às vezes, a própria estátua do deus[3] Seu significado pode sobrepor-se ao do sacrário, um lugar onde objetos sagrados (sacra) foram guardados ou depositados para salvaguardá-los.[4] Num manuscrito da Abadia de São Galo, o sacelo é glossado como o irlandês antigo nemed e o gaulês nemeto, originalmente um bosque sagrado ou espaço definido para propósitos religiosos, e depois um edifício.[5]

Os sacelos eram numerosos e podiam localizar-se em espaços públicos ou nas propriedades de particulares.[3] Cada cúria tinha seu próprio sacelo assistido pelos celeres, originalmente os guardas do rei romano, que preservaram uma função religiosa em tempos posteriores.[6] Os sacelos podiam ser circulares ou quadrados e possuíam uma cerca ou muro circundante. Segundo Festo e Vérrio Flaco não possuíam telhado,[3] e segundo Varrão equivaliam a uma cela.[7] Em casas privadas, o sacrário era a parte da casa onde as imagens das penates, deuses protetores do lar, eram mantidas; o larário era uma forma de sacrário para os lares.[8] Tanto o sacelo como o sacrário mais tarde foram incorporados pelo cristianismo.[9] Na arquitetura eclesiástica, sem teto deixa de ser uma característica definidora e a palavra pode ser aplicada para uma pequena capela marcada por uma tela do corpo principal de uma igreja.[10]

Índice

Lista de sacelos/sacrários públicosEditar

NotasEditar

[a] ^ Apesar da afirmação de Cícero, Rutledge 2007, p. 182 sugere que pudesse ser não mais que um santuário compital.

Referências

  1. «Sacelo». Consultado em 26 de fevereiro de 2015 
  2. Aulo Gélio século II, VII.12.5.
  3. a b c d e Smith 1870, p. 843.
  4. Ulpiano século VI, I.8.9.2.
  5. Maier 1997, p. 207.
  6. Dionísio de Halicarnasso século I a.C., II.64.3.
  7. Varrão século I a.C., frg. 62.
  8. Ulrich 2008, p. 228.
  9. Balch 2008, p. 178.
  10. Curl 2000, cap. sacellum.
  11. Ovídio & 8, 1.275.
  12. Woodard 2013, p. 82.
  13. Tácito século I, 12.24..
  14. Forsythe 2005, p. 87.
  15. Plínio, o Velho século I, 10.29.
  16. Sérvio século V, 8.190..
  17. Eden 1975, p. 77-78.
  18. Gradel 2002, p. 10.
  19. Varrão século I a.C., 5.54.
  20. Dyer 1864, p. 99.
  21. Schilling 1992, p. 137.
  22. Woodard 2006, p. 254.
  23. Tito Lívio século I a.C., 10.23..

BibliografiaEditar

  • Aulo Gélio (século II). Noites Áticas. [S.l.: s.n.] 
  • Balch, David L. (2008). Roman Domestic Art and Early House Churches. [S.l.]: Mohr Siebeck. ISBN 3161493834 
  • Curl, James Stevens (2000). A Dictionary of Architecture and Landscape Architecture. Oxford: Oxford University Press 
  • Dyer, Thomas Henry (1864). Ancient Rome: With a map of ancient Rome and numerous illustrations. [S.l.]: Walton and Maberly 
  • Eden, P. T. (1975). A Commentary on Virgil: Aeneid VIII. [S.l.]: BRILL. ISBN 9004042253 
  • Forsythe, Gary (2005). A Critical History of Earlier Rome. Berkeley, LA: University of California Press 
  • Gradel, Ittai (2002). Emperor Worship and Roman Religion. [S.l.]: Oxford University Press 
  • Maier, Bernhard (1997). Dictionary of Celtic Religion and Culture. [S.l.]: Boydell Press 
  • Rutledge, Steven H. (2007). «The Roman Destruction of Sacred Sites». Historia. 56 (2) 
  • Schilling, Robert (1992). Roman and European Mythologies. [S.l.]: University of Chicago Press 
  • Sérvio (século IV). Comentário sobre a Eneida de Virgílio. [S.l.: s.n.] 
  • Smith, William (1870). Dictionary of Greek and Roman Antiquities. [S.l.]: Little, Brown and Company 
  • Ulrich, Roger B. (2008). Roman Woodworking. [S.l.]: Yale University Press. ISBN 0300134606 
  • Varrão (século I a.C.b). Sobre a língua latina. [S.l.: s.n.] 
  • Varrão (século I a.C.b). Res Divinae. [S.l.: s.n.] 
  • Woodard, Roger D. (2013). Myth, Ritual, and the Warrior in Roman and Indo-European Antiquity. [S.l.]: Cambridge University Press. ISBN 1107022401 
  • Woodard, Roger D. (2006). Indo-European Sacred Space: Vedic and Roman Cult. [S.l.]: University of Illinois Press