Abrir menu principal

O saco do Mamanguá é um saco localizado no município de Paraty, no estado do Rio de Janeiro, no Brasil. Possui 8 quilômetros de comprimento e 2 quilômetros de largura.[1] Comumente, é confundido com um fiorde tropical, porém é uma área de proteção ambiental, com a presença de algumas casas de caiçaras e de veranistas construídas antes da criação da reserva.

Saco do Mamanguá
Vista do saco a partir do pico do Pão de Açúcar
Localização Paraty, no Rio de Janeiro, no  Brasil
Oceanos Atlântico
Países  Brasil
Comprimento máximo 8 km
Largura máxima 2 km
Referências e notas de rodapé

A população local vive da pesca, turismo e artesanato em madeira (miniaturas de canoas, barcos de pesca, tartarugas etc.) A água é mais clara na entrada do saco e fica mais turva e rasa à medida que se avança em direção ao manguezal.[2]

EtimologiaEditar

"Mamanguá" deriva do termo tupi mamangûá, que significa "enseada dos mamangás" (mamangá, mamangá + kûá, enseada).[3] "Mamangá" é um termo que se refere a três espécies de arbustos da família das Fabaceae: Cassia medica, Senna occidentalis e Senna quinquangulata.[4]

Referências

  1. Paraty.com.br. Disponível em http://www.paraty.com.br/saco_mamangua.asp. Acesso em 19 de dezembro de 2015.
  2. Refúgio Mamanguá. Disponível em http://www.refugiomamangua.com/index.php/lazer/. Acesso em 17 de fevereiro de 2017.
  3. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 584.
  4. FERREIRA, A. B. H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 073.
  Este artigo sobre Geografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.