Sacra virginitas

Sacra virginitas, (a sagrada virgindade, em latim), é uma Encíclica do Papa Pio XII, de 25 de março de 1954, em que faz o elogio da virgindade consagrada ao serviço de Deus.

Roteiro da Encíclica:

  • Introdução: Virgindade e castidade perfeita são o mais belo florão da Igreja.
  • A virgindade floresceu entre os fiéis de todas as condições.
  • Virgindade cristã no ensinamento dos padres de Doutores da Igreja.
  • Só a caridade inspira e anima a virgindade cristã para servir a Deus mais livre e facilmente.
  • Facilita a elevação da vida espiritual e fecunda o apostolado.
  • Sua excelência sobre o matrimônio.
  • Multidões de virgens foram sempre a honra e a glória da Igreja.
  • A virtude angélica atesta o amor ardente da Igreja por seu divino Esposo.
  • A castidade não é nociva ao organismo humano.
  • A santificação não é mais fácil no matrimônio que na virgindade.
  • O apostolado não é mais eficaz no matrimônio do que na virgindade.
  • A castidade é consequência duma escolha livre e prudente.
  • A castidade é uma virtude difícil mas possível com a graça de Deus, a vigilância e a mortificação, a fuga das tentações e das ocasiões de pecado.
  • Do pudor cristão.
  • O socorro da oração e dos sacramentos.
  • A devoção a Nossa Senhora.
  • Conclusão: Os que sofrem perseguição.

VideEditar

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre religião é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.