Saho (povo)

O Saho (às vezes chamado Soho) é um grupo étnico cuxita que habita o Corno da África. Concentram-se principalmente na Eritreia, com alguns também vivendo em partes adjacentes da Etiópia. Eles falam o Saho como língua materna, que pertence ao ramo cuxita da família afro-asiática [2] e está intimamente relacionada com a língua afar.

Saho
ሳሆ
Flag of the Saho People's Democratic Movement.png
Bandeira do Movimento Democrático do Povo Saho
Eritrean Women.jpeg
Mulheres da Etnia Saho
População total
166.759
Regiões com população significativa
Eritreia 144.000 [1]
 Etiópia 22.759 [1]
Línguas
Saho
Religiões
Star and Crescent.svg Islão
Grupos étnicos relacionados
Afares, Bejas, Beta Israel, Oromas,
Somalis, Tigrínios, Tigrés

Dados demográficosEditar

Segundo dados de 2003 afirmam que existiam aproximadamente 166.759 falantes do Saho, destes 144.000 na Eritreia, com o restante na Etiópia (22.759). [1] Na Eritreia, o Saho está presente principalmente nas regiões (Zoba) do Mar Vermelho Meridional e Setentrional. [3]

Os Saho têm um sistema de clãs (11 atualmente), que por sua vez são divididos em grupos de parentesco. A lealdade ao clã é um fator importante na política dos Saho. [4]

LínguaEditar

O povo Saho fala a língua saho como língua materna. Esta pertence ao agrupamento de dialetos Saho-Afar das línguas cuxitas do planalto oriental, que fazem parte do ramo cuchítico da família afro-asiática. A língua Saho é bastante semelhante à Afar. [5]

Na Etiópia é utilizado apenas o dialeto Irob, e apenas na região do Tigré. [1]

ReligiãoEditar

Os Saho são predominantemente muçulmanos. [6] Alguns cristãos, que também são conhecidos como Irob, vivem na região do Tigré, na Etiópia, e na região de Debub (Sul), na Eritreia. [7]

Direito consuetudinárioEditar

Com relação à lei costumeira dos Saho, quando existe algum problema convoca-se uma reunião ou conferência que eles chamam de "Rakhbe". Nessa reunião, se discute como resolver as questões, que podem estar relacionadas a disputas de água, pasto ou terra, além de disputas entre clãs e como tentam entrar em consenso para atenuar esses problemas. Isso também pode ser discutido com tribos vizinhas ou grupos étnicos e sub-clãs. [8]

Um representante qualificado é escolhido para esta reunião, esse representante é chamado de "Maddare". Este representante então apresenta os argumentos para sua audiência: membros das famílias , sub-clãs ou tribos envolvidos e tenta conquistá-los. Isto é discutido nos clãs ou tribos pelos sábios e anciãos ("Uqal"). [8]

Em conflitos de menor escala entre dois indivíduos, um dos dois leva suas queixas para o Uqal, e por sua vez nomeia um ou mais "Shimagille" (mediadores) para a ajudar a resolver a disputa. [8]

Sub-divisõesEditar

1. Dabri-Mela (Dabrimela) [9] [10]

  • Alades Are
  • Labhalet Are

2. Assa-Awurta (Asaworta) [9]

  • Fokroti Are
  • Lelish Are
  • Assa-Kare
  • Asa-Lesan
  • Sarma Are
  • Faqih Dik
  • Urus Abusa

3. Gaaso (em árabe: قعسو , também conhecido como Ga'so, Hazo, Hazu) [9] [10] [11]

  • Shum Abdalla Gaisha
  • Yofish Gaisha
  • Shum Ahmad Gaisha
  • Hassan Gaisha
  • Silyan Gaisha
  • Asa-Ushmaal
  • Oni-Maal
  • Salmunta
  • Gadafur (dizem ter origens somalis, descendentes do Clã Gadabursi) [12]

4. Dasamo [10]

  • Abdallah Harak
  • Naefie Harak
  • Mosat Harak
  • Subakum Are
  • Daili Are
  • Kundes
  • Illaishe
  • Asa Bora

5. Faqat Harak [10]

  • Faqih Abubakar
  • Faqih Omar
  • Faqih Ahmad

6. Silaita [11]

  • Hakatti Are
  • Qomma Are
  • Zella Are
  • Halato
  • Abbarior

7. Idda (em Gueês እዳ, em árabe: إِدًّا, alternativamente ادة ou ادى), uma das primeiras comunidades Saho conhecidas na Eritreia, também conhecida como "Bado Ambalish"(em Gueês: ባዶ አምባልሽ, em árabe: اصحاب الأرض), "proprietários da terra" ou "portadores da terra". [13]

8. Irob (em Gueês: ኢሮብ, translit.:irōb, também soletrado Erob), uma comunidade cristã nas terras altas do Tigré. [10]

9. Torra (em árabe:طروعه, também conhecido como Taro'a) [9] [10]

  • Serrah Aria (em árabe:سرح عرى)
  • Mussa Aria (em árabe:موسى عرى)

Referências

  1. a b c d Frawley, William (2003). International Encyclopedia of Linguistics (em inglês). [S.l.]: Oxford University Press, p. 409. ISBN 978-0-19-513977-8 
  2. Mohammed, Abdul Kader Saleh (2013). The Saho of Eritrea:. Ethnic Identity and National Consciousness (em inglês). [S.l.]: LIT Verlag Münster, p. 162. ISBN 978-3-643-90332-7 
  3. Mohammed, Abdul Kader Saleh (2009). The Customary Law of the Akele Guzai Muslins. (the Saho) (em inglês). [S.l.]: LIT Verlag Münster, p. 13. ISBN 978-3-8258-1980-4 }}
  4. Minahan, James B. (2016). Encyclopedia of Stateless Nations:. Ethnic and National Groups around the World, 2nd Edition (em inglês). [S.l.]: ABC-CLIO, p. 362. ISBN 978-1-61069-954-9 
  5. «Saho-Afar languages». Encyclopedia Britannica (em inglês). Consultado em 6 de março de 2020 
  6. Mohammed (2013). The Saho of Eritrea:. [S.l.]: , p. 52 
  7. Mohammed (2013). The Saho of Eritrea:. [S.l.]: , p. 180 
  8. a b c Mohammed (2009). The Customary Law of... [S.l.]: , pp. 24-25 
  9. a b c d Miran, Jonathan (2009). Red Sea Citizens:. Cosmopolitan Society and Cultural Change in Massawa (em inglês). [S.l.]: Indiana University Press, p. 30. ISBN 978-0-253-22079-0 
  10. a b c d e f Omar, Musa Mohammad (2002). Ethnien und Nationalstaaten am Horn von Afrika:. Somalia und Eritrea (em alemão). [S.l.]: LIT Verlag Münster, p. 156. ISBN 978-3-8258-5905-3 
  11. a b Ph.D, Mussie Tesfagiorgis G. (2010). Eritrea (em inglês). [S.l.]: ABC-CLIO, p.172. ISBN 978-1-59884-232-6 
  12. Mohammed (2013). The Saho of Eritrea:. [S.l.]: , p. 109 
  13. Mohammed (2013). The Saho of Eritrea:. [S.l.]: , p. 120