Saint Kilda

O arquipélago de St Kilda (gaélico escocês: Hiort), no Atlântico Norte perto das Hébridas, fica no limite exterior das Ilhas Britânicas. O arquipélago pertence na sua totalidade ao National Trust for Scotland. O sítio Património Mundial de St Kilda cobre uma área terrestre de 8 km², para um total de 225 km² incluindo ambiente marinho.

Pix.gif Saint Kilda *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

St Kilda Village Bay.jpg
Village Bay, Hirta
País Reino Unido
Critérios N (ii) (iii) (iv) C (iii) (v)
Referência 387 en fr es
Coordenadas 57º 49' 2" N 8º 34' 36" W
Histórico de inscrição
Inscrição 1986, 2004, 2005  (? sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

Origem do nomeEditar

Crê-se que o nome St Kilda derive da palavra norueguesa antiga skildir, que significa "escudos". Uma marca num mapa antigo teria transformado "Skilda" em "S.kilda", e assim nasceu um santo.

GeografiaEditar

Hirta é a maior ilha do grupo, seguida de Soay (2 km a noroeste de Hirta) e Boreray (6 km a nordeste de Hirta); existem algumas ilhotas bem mais pequenas como Dun, Levinish, Stac Lee e Stac an Armin. A única povoação em St Kilda localizava-se em Hirta e chamava-se Village Bay (gaélico escocês: Bàgh a' Bhaile).

 
Stac Lee

O arquipélago de St Kilda é o local com os mais espectaculares penhascos marítimos das ilhas Britânicas. O ponto mais alto do arquipélago é Conachair (430 m). A face norte de Conachair é um rochedo vertical de mais de 300 metros, caindo a pique até ao mar. Boreray atinge 384 m; Soay 378 m; Stac An Armin 196 m; Stac Lee 172 m.

HistóriaEditar

St Kilda tem sido habitada de forma contínua desde tempos pré-históricos, mas a população diminuiu devido à emigração para os Estados Unidos e Austrália. As doenças também tiveram o seu papel: entre 1830 e 1843 a mortalidade infantil elevou-se a 80% por tétano devido a negligência das parteiras, e um grande surto de gripe em 1913. A 29 de Agosto de 1930, os últimos 36 habitantes foram evacuados, a seu pedido, para a parte escocesa da Grã-Bretanha.

Hoje em dia não existem habitantes permanentes, mas Hirta encontra-se ocupada durante todo o ano por funcionários da base militar (praticamente todos civis), e por cientistas que investigam a população selvagem de Ovelhas de Soay.

O arquipélago constitui território de nidificação para muitas espécies de aves marinhas como o Ganso-patola (Morus bassanus) (a maior colónia do mundo), o Papagaio-do-mar Fratercula arctica e o Painho-de-cauda-forcada Oceanodroma leucorhoa. A pequena ilha de Dun possui a maior colónia de Fulmares Fulmarus glacialis das ilhas Britânicas. Para além disso, existe uma subespécie de Carriça (Troglodytes troglodytes hirtensis) endémica de St Kilda.

Veja tambémEditar

Outros sítios Património Mundial da UNESCO na Escócia:

Ligações externasEditar