Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: "Salak" redireciona para este artigo. Para o vulcão e montanha, veja Monte Salak.
Question book-4.svg
Este artigo cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Como ler uma infocaixa de taxonomiaSalacca zalacca
Salak (Salacca zalacca), 2015-05-17.jpg
Classificação científica
Ordem: Arecales
Família: Arecaceae
Nome binomial
Salacca zalacca
Sinónimos
  • Calamus zalacca Gaertn.
  • Salacca edulis Reinw.
  • Salacca rumphii Wall.
  • Salacca blumeana Mart.
  • Calamus salakka Willd. ex Steud.
  • Salacca edulis var. amboinensis Becc.
  • Salacca zalacca var. amboinensis (Becc.) Mogea

Salak (Salacca zalacca) é uma espéce de palmeira (família Arecaceae) nativa de Java e Sumatra na Indonésia. É cultivada em outras regiões como alimento, tendo sido implantada em Bali, Lombok, Timor, Malásia, Molucas e Celebes.[1][2]

Salak exportado da Indonésia

É uma palmeira de curto porte, como folhas com mais de 6 metros (20 pé) de comprimento. Cada folha tem 2 metros petiole com spines de mais de 15 centímetros (5 9 in) de comprimento, e numerosas folhas. As frutas crescem em clusters na base da palmeira e são também conhecidas por fruta da serpente em função das escalas de marrom avermelhado de sua casca. Elas se assemelham no formato e tamanho ao figo (ficus). De polpa comestível, pode ser descascada apertando a ponta, o que deve fazer com que a casca se desprenda para que possa ser afastada. O interior da fruta consiste em três lóbulos com os dois maiores, ou mesmo os três, contendo uma grande semente. Os lóbulos se assemelham e têm a consistência de grandes dentes de alho descascados. O sabor é geralmente doce e ácido, com uma forte propriedade adstringente, mas sua textura semelhante a uma maçã pode variar de muito seco ( salak pondoh de Yogyakarta) para úmido e crocante (salak Bali).<ref> Mogea, Johanis P. 1982. Salacca zalacca var. amboinensis. Principes 26: 71. </ Ref>

Índice

CultivoEditar

A árvore de salak foi cultivada em toda a Indonésia, e existem pelo menos 30 culturas, a maioria das quais gera fruto de sabor adstringente e doce. Duas populares áreas de cultivo são salak pondoh da província Yogyakarta (encontrado na década de 1980) e salak Bali da ilha de Bali.

Salak pondohEditar

Salak pondoh é uma fruta importante na província de [[Yogyakarta] na ilha de Java. Nos cinco anos até 1999, a produção anual em Yogyakarta duplicou para 28.666 toneladas. Sua popularidade (em comparação com outras áreas de cultivo) entre os consumidores indonésios locais deve-se principalmente à intensidade do seu aroma e ao seu sabor doce mesmo antes de atingir a maturidade total.

Salak pondoh tem mais três variações superiores, a saber, pondoh super , 'pondoh hitam' '(pondoh preto) e' 'pondoh gading' '(pondoh de marfim / pele amarela).

Salak BaliEditar

Salak Bali é comumente vendido em toda a ilha de Bali, e é uma fruta popular com os habitantes locais e turistas. A espécie gera uma sensação de amido na boca, com um sabor que lembra o abacaxi diluído e o suco de limão.

Salak gula pasirEditar

A cultura mais cara do salak de Bali é o gula pasir (literalmente "açúcar de areia" ou "açúcar de grão", referente ao seu grau fino), que é menor do que o salak normal e é o mais doce de todos os salak . O preço em Bali é RU da Indonésia 15,000-30,000 (US $ 1,50-3,00) por quilograma, dependendo da época do ano.

Salak gula pasir ou também conhecido como Sugar Salak, é célebre por sua suculenta suavidade às vezes fermentado em vinho Salak, que tem um teor alcoólico de 13,5 por cento, semelhante ao vinho tradicional feito de uvas.

Referências

  1. Kew World Checklist of Selected Plant Families
  2. Govaerts, R. & Dransfield, J. (2005). World Checklist of Palms: 1-223. The Board of Trustees of the Royal Botanic Gardens, Kew.

Bibliografia complementarEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Salacca zalacca
  • Supriyadi; Suhardi; M. Suzuki; K. Yoshida; T. Muto; A. Fujita & N. Watanabe (2002). «Changes in the Volatile Compounds and in the Chemical and Physical Properties of Snake Fruit (Salacca edulis Reinw) Cv. Pondoh during Maturation». J. Agric. Food Chem. 50 (26): 7627–7633. PMID 12475281. doi:10.1021/jf020620e