Salmanaser III

Salmanaser ou Salmeneser III (em acádio: Šulmānu-ašarēdu , lit. "Sulmanu é preeminente") foi rei de Assíria de 859 a.C. a 824 a.C.. Era filho de Assurnasirpal II. O seu longo reinado foi marcado por uma série constante de campanhas militares contra as tribos dos povos orientais seus vizinhos.

Salmanaser III
Rei da Assíria
Rei dos Quatro Cantos do Mundo
Glorioso Rei das Terras
Estátua de Salmanaser III nos Museus Arqueológicos de Istambul.
Rei do Império Neoassírio
Reinado 858 - 824 a.C.
Antecessor(a) Assurnasirpal II
Sucessor(a) Samsiadade V
 
Nascimento Século IX a.C.
Morte 824 a.C.
Ocupação Soberano
Filho(s) Samsiadade V, Assurdaninpal
Pai Assurnasirpal II

Lista de reisEditar

Segundo a lista dos reis da Assíria, ele reinou por quinze anos, sendo precedido por seu pai Assurnasirpal II e sucedido por seu filho Samsiadade V.[1]

ReinadoEditar

CampanhasEditar

No sexto ano de seu reinado, em 853 a.C., defrontou-se na Síria uma coalizão dos sírios sob a liderança de Damasco, cujas tropas o enfrentaram junto à Carcar na Batalha de Carcar no Baixo Orontes. Salmanaser III mandou relatar a respeito da batalha junto à Carcar em diversas inscrições, de maneira mais detalhada no Monólito de Curque, na coluna II, linha 79 até 102. Segundo esta inscrição, faziam-se parte desta coalizão 12 dinastias, cujas foram lideradas por Adadidri (Benadade II) (r. 860–843/842 a.C.) de Arã-Damasco, Iruleni de Hamate e Ahabu (Acabe) (r. 873–852 a.C.) de Israel. A força militar de Acabe tinha 2 mil carros de combate e 10 mil soldados, mas obviamente Salmanaser venceu a batalha, mesmo que as unidades de tropas assírias fossem muito sangradas. Nos anos seguintes, Salmanaser apareceu mais de três vezes na Síria (849, 848 e 845 a.C.) e teve que se defrontar repetidamente numa coalizão muito tenaz. A coalizão antiassíria foi se rompendo quando Hazael (r. 843/842–796 a.C.) assumiu o poder sobre Arã-Damasco, deixando apenas os sírios enfrentarem os assírios.[2]

Alguns anos depois, Salmanaser fez acordo com o reino de Urartu, primeiramente sobre o comando de Sardur I (r. 832–825 a.C.), em franca ascensão, na qual no período seguinte se tornou um dos rivais da Assíria. Nos anos finais de seu reinado gerou um distúrbio político interno: uma revolta de seu filho Assurdaninpal, na qual criou uma guerra civil e apenas seu outro filho e sucessor Samsiadade V podia detê-la.[3]

Obelisco Negro de Salmanaser IIIEditar

 Ver artigo principal: Obelisco Negro
 
Obelisco Negro de Salmanaser III criado no século IX a.C. trazido de Ninrude no Museu Britânico. A inscrição de quatro lados contém os reis dos gilzanitas, de Israel, de Musri e Suhi e o tributo que eles levavam ao rei assírio.[4]

O Obelisco Negro, encontrada pelo escavador Sir Henry Layard em Ninrude, contém uma imagem de Jeú (r. 842–814 a.C.) de Israel inclinando-se para Salmanaser III oferecendo prata, chumbo, ouro, caneca de ouro, taças de ouro, vasilhas de ouro, proteção para a mão do rei e dardos. Isso aconteceu quando o rei assírio, já ocupado durante alguns anos, decidiu fazer uma visita ao ocidente.[4]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Assyrian King List, site www.livius.org
  2. Donner 1997, p. 304.
  3. Donner 1997, pp. 340-341.
  4. a b Thompson 2007, p. 155.

BibliografiaEditar

  • Donner, Herbert (1997). História de Israel e dos povos vizinhos. 2. São Leopoldo: Sinodal. ISBN 978-8562865244 
  • Thompson, John A. (2007). A Bíblia e a Arqueologia. [S.l.]: Arte Editorial. ISBN 978-8598172125