Abrir menu principal

Wikipédia β

Salvador Vilar Braamcamp Sobral (Lisboa, 28 de dezembro de 1989) é um cantor português.

Salvador Sobral
Informação geral
Nome completo Salvador Vilar Braamcamp Sobral
Também conhecido(a) como Benjamin Cymbra
Nascimento 28 de dezembro de 1989 (27 anos)
Local de nascimento Lisboa
Nacionalidade português
Gênero(s) Soul, jazz
Instrumento(s) voz
Período em atividade 2009 - presente
Gravadora(s) Valentim de Carvalho
Influência(s) Chet Baker, Caetano Veloso, Luísa Sobral
Página oficial Página Oficial

Venceu o Festival Eurovisão da Canção 2017, trazendo pela primeira vez o troféu da Eurovisão para Portugal, após vencer o Festival RTP da Canção 2017 com a música Amar pelos Dois, da autoria de sua irmã Luísa Sobral.

Índice

Carreira artísticaEditar

Salvador Sobral habituou-se a ouvir música desde criança e, segundo revelou em entrevistas, cantar surgiu como entretém durante as viagens de automóvel em família.[1] Por volta dos dez anos participou no concurso Bravo, Bravíssimo, transmitido pela SIC. Em 2009 voltou a participar num concurso televisivo, ao concorrer na terceira edição de Ídolos, da mesma estação, onde foi finalista.[2] O vencedor dessa edição foi Filipe Pinto.[3]

Estudante de psicologia, depois da experiência do Ídolos resolveu concorrer ao programa de bolsas Erasmus, que o levou para uma universidade em Maiorca. Será por essa altura que Salvador decide dedicar-se exclusivamente, e de forma profissional, à música. No final do ano de Erasmus, só tinha feito uma cadeira, a de Psicologia da Arte — que concluiu graças à música, com um trabalho de análise da canção Blowin in the Wind, de Bob Dylan. O resto do tempo era passado a cantar em bares, restaurantes, hotéis. Percebendo que poderia sustentar-se com a música, decidiu deixar os estudos[4]. De novo em Lisboa, decide concorrer à prestigiada escola Taller de Músics, em Barcelona.[5]

Em Barcelona, no início de 2014, colaborou com a banda de pop-indie Noko Woi, formada por venezuelanos radicados em Barcelona, com a qual atuou no festival Sónar.[6]

Em 2015 foi incluído na programação do Vodafone Mexefest[7] e do EDP Cool Jazz.[8]

Em março de 2016 foi editado o seu disco de estreia, Excuse Me, com coprodução musical do pianista Júlio Resende, do venezuelano Leonardo Aldrey e do próprio Salvador Sobral.[9]

Tem atuado também em cooperação artística com a sua irmã Luísa Sobral[10].

Em 2017 Salvador Sobral é o vencedor do Festival RTP da Canção 2017, com o tema Amar pelos Dois, com letra e música de Luísa Sobral. Em Kiev, na final do Festival Eurovisão 2017, atingiu a votação histórica de 758 pontos, liderando tanto o televoto como a votação de júri dos 42 países votantes. Deste modo, Portugal conquistou a sua primeira vitória neste festival, batendo em quase 200 votos o recorde de votação de uma canção ganhadora da Eurovisão.[11]

No dia 19 de Maio de 2017, lançou o primeiro single, "A Day of Sun", do seu novo projeto com Júlio Resende, Alexander Search, dedicado a poesia do poeta português Fernando Pessoa e ao seu heterónimo Alexander Search. Nesse projeto, Salvador usa o heterónimo Benjamin Cymbra.

É fã assumido de Chet Baker.[12]

Resultados em competições musicaisEditar

Os eventos encontram-se apresentados por ordem cronológica:

III Edição dos ÍdolosEditar

Fase: Semifinal Wildcard 10 Finalistas
Gala: 6/12 13/12 20/12 27/12 3/1 10/1 17/1 24/1 31/1 14/2
Lugar Concorrentes Resultados
1 Filipe Pinto SPP 1.º lugar
2 Diana Piedade SPJ MV MV 2.º Lugar
3 Carlos Costa SPP MV Eliminado
4/5 Inês Laranjeira SPP MV MV Eliminadas
Solange Hilário SPP MV Salva
6 Carolina Torres SPJ MV Eliminada
7 Salvador Sobral SPP Eliminado
8 Catarina Boto SPJ MV Eliminada
9 Mariana Tavares SPJ Eliminada
10 Mel Pires W SPJ Eliminada
11 Mariline Hortigueira1 W Eliminada
12-15 André Cruz Eliminados
Diogo Alvarenga
Márcio Costa
Marta Silva


Raparigas Rapazes Vencedor(a) Salvo Pelo Público - Semifinal Salvo Pelo Júri - Semifinal
Apurado(a) para a fase Wildcard Mais votados pelo público Menos votados pelo público Eliminado(a) Salvo(a) pelo Júri


  • 1 Apesar da Mariline Hortigueira ter sido eliminada na primeira gala do Top 15, antes de a ter eliminado, o júri quis ouvi-la e a Melina Pires que seria a concorrente que continuou.

1.ª Semifinal do Festival RTP da Canção 2017Editar

Na primeira semifinal participaram oito canções, e destas oito, quatro avançaram para a Final. Os qualificados foram determinados pelo televoto e os votos de um júri selecionado pela RTP. A primeira semifinal teve lugar em 19 de fevereiro de 2017.

Ordem Artista Canção Júri Televoto Total Lugar Resultado
Percentagem Pontos
1 Márcia "Agora" 5 - 3 8 8 Eliminada
2 Golden Slumbers "Para Perto" 6 - 5 11 5 Eliminado
3 Fernando Daniel "Poema A Dois" 7 - 10 17 3 Finalista
4 Deolinda Kinzimba "O Que Eu Vi Nos Meus Sonhos" 8 - 4 12 4 Finalista
5 Rui Drumond "O Teu Melhor" 3 - 6 9 7 Eliminado
6 Lisa Garden "Without You" 4 - 7 11 6 Eliminada
7 Salvador Sobral "Amar Pelos Dois" 12 - 8 20 2 Finalista
8 Viva La Diva "Nova Glória" 10 - 12 22 1 Finalista

Legenda :

  •      Qualificação para a Final

Final do Festival RTP da Canção 2017Editar

Ordem Artista Canção Júri Televoto Total Lugar Resultado
Percentagem Pontos
1 Jorge Benvinda "Gente bestial" 10 5 15 4
2 Pedro Gonçalves "Don't Walk Away" 5 8 13 6
3 Lena d'Água "Nunca me fui embora" 5 3 8 7
4 Salvador Sobral "Amar pelos dois" 12 10 22 1 Vencedor
5 Fernando Daniel "Poema a dois" 7 7 14 5
6 Celina da Piedade "Primavera" 10 6 16 3
7 Deolinda Kinzimba "O que eu vi nos meus sonhos" 3 4 7 8 Último lugar
8 Viva La Diva "Nova glória" 6 12 18 2 2.° lugar

Legenda :

  •      Vencedor
  •      2.° lugar
  •      Último lugar
  •      Pontuação nula (''"Null Points"'') / Desclassificação

Representação de Portugal no Festival Eurovisão da Canção 2017Editar

 
Votos dados pelo público a Portugal no Festival da Eurovisão da Canção de 2017
 
Votos dados pelo júri a Portugal no Festival da Eurovisão da Canção de 2017

A canção Amar pelos Dois, interpretada por Salvador Sobral e composta por Luísa Sobral, venceu o Festival RTP da Canção 2017 e representou Portugal no Festival Eurovisão da Canção 2017, a 13 de maio de 2017, na Ucrânia. A canção vencedora reuniu o maior número de pontos dos júris nacionais e foi a mais votada pelo público tendo sido a que mais reuniu pontos em toda a história do festival.[13]

Em declarações ao jornal Público, Sobral afirmou que a canção tem uma «(...) harmonia (...) e (...) melodia que remetem um pouco para o cancioneiro americano e ao mesmo tempo para a bossa-nova», acrescentando que, para si o «(...) mais importante é transmitir emoções. Sejam elas quais forem».[14]

A prestação do cantor teve uma grande repercussão nos meios de comunicação social. A estação pública espanhola TVE e o diário El País entrevistaram Salvador e jornais como os britânicos Daily Express, Metro e The Sun ou o espanhol El Mundo deram destaque ao cantor e à canção portuguesa.[15] A 3 de maio o site esctoday, que reúne informação sobre o concurso, deu conta da subida de Portugal nas apostas: «A subida de Salvador Sobral coloca Portugal como terceiro favorito numa média das várias casas de apostas», lê-se, acrescentando que Portugal, tal como a Bulgária e a Suécia têm probabilidades entre seis a 12 para um.[16]

Ao atuar a 9 de maio em Kiev, Salvador foi o único intérprete que não cantou em inglês.[17] Foi também o único que não cantou no palco principal mas sim num palco secundário, mais à frente, rodeado pelo público.[18]

O cantor garantiu o apuramento de Portugal para a final, tendo sido o mais votado da semifinal.[19]

A prestação do português em Kiev foi de objeto de novos comentários favoráveis. No site da TVE leu-se que «uma semi-final bastou para que [Salvador Sobral] se tornasse o favorito da Eurovisão». Sendo «(...) mais simples, menos ambicioso e mais delicado, já se colocou como adversário a Francesco Gabbani, de Itália, até agora primeiro classificado nas apostas (...)», acrescentou o canal público espanhol. A britânica BBC descreveu Salvador como «altamente apostado», referindo que a sua atuação «recebeu uma das mais calorosas receções». No jornal The Telegraph, a jornalista Charlotte Runcie, escreveu Portugal, não vamos esquecer, nunca ganhou a competição, mas este ano eles são verdadeiros concorrentes.[20] No The Sun lê-se que o «representante português no Festival Eurovisão da Canção 2017 tem a «voz de um anjo»».[21] Em 12 de maio, o diretor da revista Blitz escreve no Expresso, sobre as razões que podem levar Portugal, pela voz de Salvador Sobral, a ganhar, pela primeira vez, o Festival da Eurovisão.[22]

Desde 2010, ano em que Portugal foi representado por Filipa Azevedo com a canção Há Dias Assim (quarta classificada na semifinal), o país não chegava à final da Eurovisão.[23]

Vitória de Portugal na Eurovisão 2017Editar

A canção Amar pelos Dois venceu o Festival da Eurovisão, tendo recebido a pontuação máxima do júri de vários países: Suécia, San Marino, Letónia, Israel, Espanha, França, Arménia, Islândia, Geórgia, Lituânia, Sérvia, Suíça, Hungria, Holanda, República Checa e Reino Unido.[24]

Salvador sagrou-se em primeiro lugar entre o júri de cada país e em primeiro lugar também nas no televoto da grande final — a canção terminou com 758 pontos, 376 do televoto e 382 do júri. A segunda canção mais votada foi a Bulgária que terminou o concurso com 615 pontos, 337 do televoto e 278 do júri.[25]

Na sequência da sua vitória inédita por Portugal no Festival da Eurovisão, recebeu junto com a sua irmã Luisa um voto de saudação por unanimidade no parlamento nacional português, após o que se seguiu um almoço com o Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa.

A canção Amar Pelos Dois entrou para o primeiro lugar da tabela portuguesa de singles, tendo sido o tema mais ouvido nas plataformas de streaming em Portugal na semana seguinte à final do festival[26] e o tema mais comprado no país nas duas semanas seguintes ao mesmo evento.[27] A vitória de Salvador no concurso levou também a que o seu álbum de estreia, Excuse Me, lançado em 2016, chegasse ao n.º 1 da tabela portuguesa de álbuns.

FamíliaEditar

Filho de Salvador Luís Cabral Braamcamp Sobral (Lisboa, Santos-o-Velho, 21 de Maio de 1955), neto paterno do 4.º Conde de Sobral, e de sua mulher e prima-sobrinha em 2.º grau e prima em 3.º grau (5 de Maio de 1984) Luísa Maria Cabral Posser Vilar (Setúbal, Nossa Senhora da Anunciada, 25 de Agosto de 1960), irmã de Bernardo Vilar.[28] Tem uma irmã mais velha, Luísa Sobral (18 de setembro de 1987), que também participou nos Ídolos e escreveu a música Amar pelos Dois, que venceu o Festival Eurovisão da Canção.

De facto, Luísa Sobral, aquando da vitória de Salvador no Festival RTP da Canção em Portugal e no Festival Eurovisão da Canção em Kiev, cantou com o irmão a música no fim, no momento da consagração como vencedor.

ControvérsiasEditar

Salvador é tido como uma pessoa irreverente, tendo já levantado polémicas entre o público com certas acções ou palavras.

A seguir à sua classificação para a final do Festival Eurovisão da Canção, Salvador usou uma camisola com as palavras "S.O.S. refugees" ("S.O.S. refugiados" ou "ajudem os refugiados"), numa referência à crise de refugiados vindos do Médio Oriente e África para a Europa.[29] Certas fontes referem que Salvador foi proibido pela UER de usar a mesma camisola de novo durante o evento eurovisivo, pois a mensagem contida no vestuário do cantor iria contra as normas do Festival Eurovisão que proibem referências políticas durante o mesmo.[30]

Depois de ter sido anunciado como o vencedor do Festival da Eurovisão, Salvador manifestou-se, falando abertamente no palco principal, contra a música "descartável" (nas suas palavras), em geral e particularmente à apresentada durante a maiorias da edições do Festival Eurovisão da Canção;[31] como muitas vezes tem sido criticado pela sua ênfase na imagem e no espectáculo. Estes comentários do vencedor da Eurovisão suscitaram críticas por parte do participante sueco da Eurovisão do mesmo ano, Robin Bengtsson.[32]

Em junho de 2017, Salvador, em entrevista a Fátima Lopes, confessou o seu desejo de ser pai, revelando que não usa preservativo. O cantor usou mesmo as seguintes palavras: "Não uso preservativo, sou contra essas coisas".[33]

No concerto solidário para com as vítimas e afectados dos incêndios que assolaram Pedrógão Grande, Sobral referiu durante a sua actuação: "Vou dar um peido a ver se continuam a bater palmas." Não obstante o tom predominantemente jocoso e sarcástico do comentário, este valeu-lhe reparo e repúdio, em particular nas redes sociais.

SaúdeEditar

A 8 de dezembro de 2017, Salvador Sobral fez finalmente o transplante de coração que aguardava.

O médico que o operou, Miguel Abecasis, contou que Salvador lhe disse três coisas, ao receber a notícia de que o transplante iria acontecer. Perguntou se o médico "estava em boa forma", pediu para "ouvir música clássica" e, por fim, desejou "boa sorte" ao cirurgião.

Quando acordou da cirurgia, que demorou cerca de quatro horas, agradeceu a toda a equipa.[34]

Referências

  1. i
  2. i
  3. JN
  4. Obseervador
  5. i
  6. Ideas de Babel
  7. http://xmusic.pt/entrevista/2027-salvador-sobral
  8. http://www.valentim.pt/conteudo/noticias/salvador-sobral-excuse-me-18-marco
  9. Salvador Sobral já editou o seu álbum de estreia, Blitz, 20.02.2017
  10. O Tivoli foi a casa de Luísa Sobral, Comunidade Cultura e Arte, 20.02.2017
  11. Observador
  12. Salvador Sobral|Excuse Me, Ticketline, 20.02.2017
  13. Salvador Sobral vai “amar pelos dois” e cantar por Portugal na Eurovisão, Público, 06.03.2017
  14. Os talent shows dominaram a primeira semi-final do Festival da Canção, Público, 20.02.2017
  15. Expresso
  16. Expresso
  17. DN
  18. JN
  19. DN
  20. SAPO MAG
  21. SAPO MAG
  22. Expresso
  23. JN
  24. Rádio Renascença. Acesso em 29-08-2017
  25. Público. Acesso em 29-08-2017
  26. «Salvador Sobral lidera tops de álbuns e streaming». Blitz. 22 de maio de 2017. Consultado em 29 de maio de 2017 
  27. «Portugal Digital Song Sales - June 3, 2017». Billboard. 26 de maio de 2017. Consultado em 29 de maio de 2017 
  28. Sobrinha-trineta do 1.º Conde de Alvelos, tetraneta do 2.º Visconde da Azenha e 1.º Conde da Azenha, sobrinha-tetraneta do 1.º Conde de Almarjão e do 2.º Conde da Folgosa, 6.ª neta da 1.ª Condessa de Geraz do Lima, trineta do 1.º Visconde de Moçâmedes e 1.º Conde de Moçâmedes, tetraneta da 2.ª Condessa de Sobral, bisneta do 4.º Conde de Mafra e trineta do 1.º Conde de Burnay, de ascendência Alemã, Holandesa, Italiana e Francesa
  29. «"S.O.S. Refugiados". Salvador Sobral deixou uma mensagem à Europa». Sapo24. 10 de maio de 2017. Consultado em 1 de julho de 2017 
  30. Carrilho, Nuno (12 de maio de 2017). «ESC17: EBU/UER proíbe Salvador Sobral de usar a camisola de apelo aos refugiados». ESC Portugal. Consultado em 1 de julho de 2017 
  31. «Salvador Sobral critica "mundo de música descartável" em que vivemos». Diário de Notícias. 14 de maio de 2017. Consultado em 1 de janeiro de 2017 
  32. Vieira, Mário Rui (17 de maio de 2017). «Concorrente sueco critica discurso de vitória de Salvador Sobral na Eurovisão: "Há espaço para todos"». Blitz. Consultado em 1 de julho de 2017 
  33. «SALVADOR SOBRAL - "SOU CONTRA PRESERVATIVOS"». VIP. 3 de junho de 2017. Consultado em 1 de julho de 2017 
  34. «"Boa sorte", disse Salvador Sobral ao cirurgião antes da operação»