Abrir menu principal

Sancho de Noronha, 1.º conde de Odemira

Nobre de Portugal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde abril de 2015). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Sancho de Noronha, 1.º conde de Odemira
Morte 1471
Cidadania Coroa de Castela
Progenitores Mãe:Isabel de Portugal, senhora de Viseu
Pai:Afonso Henriques, conde de Gijón e Noronha
Irmão(s) Pedro de Noronha, Fernando de Noronha, 2.º Conde de Vila Real, Constança de Noronha
Ocupação militar, aristocrata
Prêmios Cavaleiro da Ordem da Torre e Espada, Comendador da Ordem de Santiago da Espada
Título Conde de Odemira
Brasão da familia Noronha, portugal.jpg

Sancho de Noronha (? - 6 de maio de 1471), D., foi um fidalgo e cavaleiro do Reino de Portugal.

Terá sido um dos primeiros vinte e sete cavaleiros a receber a Ordem da Torre e Espada[1][2].

BiografiaEditar

Foi adiantado do Reino do Algarve, por carta, emitida em Évora, de 12 de Março de 1459, do Conselho real, Governador e capitão-general de Ceuta, por Carta de El-Rei D. Afonso V de Portugal, passada em 30 de Maio de 1451, lugar que exerceu até 30 de Junho de 1460, ano em que voltou a Portugal. Acompanhou o rei D. Afonso V a África, no ano de 1463, para a Conquista de Tânger, onde foi agraciado, pelo Infante D. Fernando, com a Comenda maior da Ordem de Santiago. Foi senhor da cidade de Portalegre e do Castelo de Portalegre por mercê real feita em Lisboa, a 21 de Novembro de 1448, senhor de Vimieiro, Aveiro, Mortágua e outras terras, Exerceu duas alcaidarias, tendo sido Alcaide-Mor de Elvas e de Estremoz. Foi Comendador-Mor na Ordem de Santiago.

Foi armado cavaleiro por D. Duarte de Meneses, em Ceuta, onde se bateu nas lutas contra os mouros.

Foi o 1º conde de Odemira e já o era no ano de 1449, como consta da doação que El-Rei lhe fez da Vila de Aveiro, passada em Lisboa, a 13 de Junho do dito ano.

Relações familiaresEditar

Foi filho de Afonso Henriques, conde de Gijón e Noronha e de Isabel de Portugal, senhora de Viseu. Casou com Mécia de Sousa, 4ª senhora de Mortágua, que morreu por 1497, filha de Gonçalo Eanes de Sousa, terceiro-neto do rei D. Afonso III de Portugal, 3.° senhor de Mortágua que esteve na tomada de Ceuta, e morreu, em 1415, durante a viagem de regresso ao Reino de Portugal, e de D. Filipa de Ataíde, irmã do 1º conde de Atouguia.

Foram confirmados os dotes a c Sancho e a c Mécia, por cartas reais com datas de 17 e 25 de Janeiro de 1434 e o senhorio de Mortágua por Carta de 25 do mesmo mês e ano.

A condessa Mécia sobreviveu ao marido, mas já tinha falecido em 10 de Novembro de 1497, data em que as suas tenças foram confirmadas a sua filha, a condessa de Faro.

Sancho de Noronha e D. Mécia de Sousa foram pais de:

Fora o casamento D. Sancho de Noronha teve:

ReferênciasEditar

  • Gen. Luz., de Faria e Castro. vol. 22, 429 e Hist. Gen., de Sousa, IX, 202.
  • Hist. e Gen., de Dornelas, IV, 47 e 73 e Hist. da Cidade de Ceuta., de Mascarenhas, 235.
  • Hist. Gen., de Sousa, III, 24 e Místicos,. Liv.° III, fi. 118.
  • Brasões, de Braamcamp, III, 273.
  • Chancelaria de D. Afonso V, Liv. 11, lis. 69 e Liv.° 16, lis. 89.
  • História Genealógica da Casa Real Portuguesa, D. António Caetano de Sousa, Atlântida-Livraria Editora, Lda, 2ª Edição, Coimbra, 1946, Tomo XII-P. II-pg. 36.
  • Nobiliário das Famílias de Portugal, Felgueiras Gayo, Carvalhos de Basto, 2ª Edição,

Braga, 1989, vol. X-pg. 370 (Sousas).

Precedido por
Fernando I, Duque de Bragança
Governador de Ceuta
14501456
Sucedido por
Fernando de Portugal, Duque de Viseu
Precedido por
Fernando de Portugal, Duque de Viseu
Governador de Ceuta
14561460
Sucedido por
Pedro de Meneses, 1.º Marquês de Vila Real
  1. Sousa, António Caetano, História Genealógica da Casa Real Portuguesa, Tomo III, pág. 7
  2. A Torre e Espada para o piloto Nascimento Costa, por António do Valle-Domingues, A Voz, 18 de Março de 1961