Abrir menu principal
Sandra Milo
Sandra Milo (1956)
Nome completo Salvatrice Elena Greco
Nascimento 11 de março de 1933
Tunes, Tunísia
Nacionalidade  Itália
Ocupação Atriz
Outros prêmios
Nastro d'Argento

Sandra Milo (Tunes, 11 de Março de 1933) é uma atriz e apresentadora da televisão italiana.

BiografiaEditar

Nascida na Tunísia de pai siciliano, debuta no cinema em 1955 ao lado de Alberto Sordi, no filme Lo scapolo, começando a ser conhecida pelo seu aspecto exuberante e vistoso e pela sua voz ingénua e infantil, o que atrai a atenção do público e do mundo do cinema. O seu primeiro papel importante chega no ano de 1959 pela mão do produtor Moris Ergas, com quem posteriormente contrairá matrimónio. O filme Il generale della Rovere era dirigido por Roberto Rossellini e Sandra Milo interpretava o papel de uma prostituta. Em 1961 a sua carreira sofre uma súbita interrupção, depois da apresentação no Festival de Veneza do filme Vanina Vanini de Rossellini, baseado num conto de Stendhal, pessimamente recebido pela crítica e que lhe vale a alcunha de Canina Canini (mais cadela que as cadelas).

Fundamental é o seu encontro com Federico Fellini, que relança a sua carreira em filmes como , de 1963 e Giulietta degli spiriti, de 1965. Pela sua interpretação neste filme recebe o prémio de melhor atriz secundária no Nastro d'Argento. Seguem-se filmes como Frenesia dell'estate (1963) de Luigi Zampa, La visita (1963) de Antonio Pietrangeli e L'ombrellone de Dino Risi (1966).[1]

Da sua atribulada vida sentimental, terá uma filha, Deborah, do produtor Moris Ergas e mais dois filhos do seu casamento com Ottavio De Lollis, que a obrigam a fazer paragens na carreira.

Nos anos oitenta do século XX, começa uma nova carreira na televisão.

Esteve envolvida em várias polémicas.[2]

FilmografiaEditar

Referências

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma atriz é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.