Abrir menu principal

Santana do São Francisco

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja São Francisco.
Santana do São Francisco
  Município do Brasil  
Símbolos
Brasão de armas de Santana do São Francisco
Brasão de armas
Hino
Apelido(s) "Carrapicho"
Gentílico santanense
Localização
Santana do São Francisco está localizado em: Brasil
Santana do São Francisco
Localização de Santana do São Francisco no Brasil
Mapa de Santana do São Francisco
Coordenadas 10° 17' 27" S 36° 36' 28" O
País Brasil
Unidade federativa Sergipe
Distância até a capital Não disponível
História
Fundação 1993 (26 anos)
Aniversário 6 de abril de 1993
Administração
Prefeito(a) Gilson Guimarães Barrozo Junior (PSC, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [1] 46,340 km²
População total (IBGE/2010[2]) 7 038 hab.
Densidade 151,88 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[3]) 0,59 baixo
PIB (IBGE/2008[4]) R$ 27 141,252 mil
PIB per capita (IBGE/2008[4]) R$ 3 991,95
Outras informações
Padroeiro(a) Senhora Santana

Santana do São Francisco é um município brasileiro do estado de Sergipe.

HistóriaEditar

Os primeiros ocupantes da região foram os Holandeses, que vieram no final do século XVII, disfarçados de Jesuítas, em busca de ouro e de pau-brasil, permanecendo na terra até serem expulsos pelos Portugueses.

Após a expulsão dos Holandeses, em meados de 1730, começaram a chegar os primeiros colonizadores da região.

Não existem registros históricos do processo de evolução local até o início do século XX, quando Pedro Gomes passou a terra ao seu filho, o Capitão Belarmino Gomes da Silva Dias, fundador da Fazenda Carrapicho.

Esta fazenda consistia de vastas terras, limitadas pelo Rio São Francisco, que recebeu esta denominação pela grande concentração de vegetação, cujos pequenos frutos com espinhos ou pêlos, aderem facilmente à vestimenta do homem, nos pés descalços e ao pêlos dos animais.

Posteriormente, as terras e lagoas passaram, em sucessão, aos herdeiros, que assumiram as atividades exploratórias da lavoura.

O surgimento dos primeiros artefatos manuais com barro, deu-se pela facilidade de trabalhar aquele tipo de solo, bem como pela necessidade, por parte da família dos empregados da fazenda, de utensílios domésticos.

A emancipação política se deu em 1989 quando o povoado Carrapicho desmembrou-se do Município de Neópolis, entretanto o processo de elevação a categoria de cidade teve inicio ano de 1962, com apoio do deputado Cleto Maia, o vereador Edgar de Melo Silva, representante do povoado de Carrapixo na Câmara de Vereadores de Neópolis, Celso Resende, residente no povoado; iniciam o então chamado Projeto Cleto Maia para emancipação política da cidade de Carrapixo com relação à Neópolis. O projeto foi aprovado por meio da de lei nº1254 de 06 de abril de 1964 e publicado no Diário Oficial no dia 14 do mesmo mês. Contudo, com a Golpe Militar de 1964, a lei é esquecida e só é reavivada após a promulgação da Constituição de 1988, com o movimento engendrado pela Associação Comunitária da região e apoio de alguns deputados, como Marcelo Deda, Luciano Prado, Nicodemos Falcão e Nelson Araújo. Em 1988 o Governador Sebastião Celso de Carvalho assina a promulgação da lei Cleto Maia. Mas é a partir do dia primeiro de janeiro de 1993, o povoado de Carrapixo passa à cidade de Santana do São Francisco, após as eleições de 03 de outubro de 1992, que possibilitaram a formação administrativa da nova cidade.

GeografiaEditar

Localiza-se a uma latitude 10º17'28" sul e a uma longitude 36º36'29" oeste, estando a uma altitude de 0 metros. Sua população estimada em 2004 era de 6.289 habitantes.

Possui uma área de 47,22 km².

PrefeitosEditar

Prefeito Início do mandato Fim do mandato Observações
Gilson Guimarães Barrozo 1º de janeiro de 1993 1º de janeiro de 1997 Eleito diretamente em sufrágio universal.
Ernando Reinaldo Silva 1º de janeiro de 1997 1º de janeiro de 2001 Eleito diretamente em sufrágio universal.
Gilson Guimarães Barrozo 1º de janeiro de 2001 1º de janeiro de 2005 Eleito diretamente em sufrágio universal.
Gilson Guimarães Barrozo 1° de janeiro de 2005 1º de janeiro de 2009 Reeleito diretamente em sufrágio universal.
Ricardo José Roriz Silva Cruz 1º de janeiro de 2009 1º de janeiro de 2013 Eleito diretamente em sufrágio universal.
Maria das Graças Monteiro Feitosa Silva 1º de janeiro de 2013 1º de janeiro de 2017 Eleita diretamente em sufrágio universal.
Gilson Guimarães Barrozo Júnior 1º de janeiro de 2017 atualidade Eleito diretamente em sufrágio universal.

Referências

  1. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  2. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  3. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 26 de agosto de 2013 
  4. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 

Ligações externasEditar