Santissima Trinità dei Pellegrini

Igreja da Santíssima Trindade dos Peregrinos
Santissima Trinità dei Pellegrini
Fachada
Arquiteto Francesco de' Sanctis (fachada)
Início da construção 1587
Fim da construção 1616
Religião Igreja Católica
Diocese Diocese de Roma
Ano de consagração 1616
Geografia
País Itália
Região Roma
Local Rione Regola
Coordenadas 41° 53' 37" N 12° 28' 22" E

Santissima Trinità dei Pellegrini ou Igreja da Santíssima Trindade dos Peregrinos é uma igreja no centro histórico de Roma, Itália, localizada no rione Regola e vizinha de outros importantes edifícios históricos, como o Palazzo Farnese, Palazzo Spada, a Ponte Sisto e a Via Giulia.

HistóriaEditar

Por volta de 1540, a pedido de São Filipe Néri, os membros leigos da ordem que fundou, os oratorianos, se reuniam na igreja de San Girolamo della Carità. Logo depois o papa Paulo III reconheceu o grupo com o nome de "Confraternità della Santissima Trinità dei Pellegrini e dei Convalescenti" ("Fraternidade da Santíssima Trindade dos Peregrinos e dos Enfermos"). Para o Jubileu de 1550, o grupo passou a hospedar peregrinos, principalmente os que vinham de terras distantes. Depois no Ano Santo, a associação passou a cuidar dos doentes entre os mais pobres, que eram dispensados pelos hospitais. Em 1558, papa Paulo IV atribuiu-lhes o uso perpétuo da igreja de San Benedetto in Arenula, que estava em péssimas condições. No ano seguinte, a fraternidade comprou a casa ao lado da igreja para ser utilizada como albergue-hospital. No Jubileu de 1575, a fraternidade hospedou mais de 180 000 peregrinos.

Finalmente os oratorianos decidiram demolir a velha igreja para construir uma nova. A pedra angular foi lançada em 26 de fevereiro de 1587 e a consagração se deu em 12 de julho de 1616, com dedicação à Santissima Trinità e San Benedetto. Nos séculos seguintes, a paróquia e os edifícios vizinhos continuaram a servir seu objetivo original de receber peregrinos e os pobres enfermos.

Em 2008, o papa Bento XVI encarregou a paróquia à Fraternidade Sacerdotal São Pedro (FSSP), uma sociedade de vida apostólica dedicada à celebração e preservação da Missa Tridentina, cuja forma de 1962 continua a ser autorizada pela Igreja Católica.[1]

Arte e arquiteturaEditar

FachadaEditar

Em 1722, o comerciante piemontês Giovanni Battista de' Rossi encomendou a Giuseppe Sardi uma nova fachada com base no projeto de Francesco de' Sanctis. As estátuas de estuque na fachada foram completadas por Bernardino Ludovisi.

InteriorEditar

A igreja tem uma planta no formato de uma cruz latina com oito capelas:

  1. Capela do Crucifixo
  2. Capela de São Filipe Néri: a peça-de-altar sobre o "Êxtase de São Filipe a visão da Madona com o Menino" (1853) foi pintada por Filippo Bigioli.
  3. Capela de São João Batista de Rossi: dedicada antes à Anunciação, abriga, desde 1965, os restos deste. Os afrescos são de Giovanni Battista Ricci e as peças-de-altar, de Antonio Bianchini, representam "Jesus e um Santo" e "Filipe Néri coroa São João Batista de Rossi".
  4. Capela de São Mateus: no transepto direito. A estátua no altar do Apóstolo Mateus foi esculpida por Jacob Cornelisz Cobaert.
  5. Capela da Madona e Santos José e Bento": no braço esquerdo do transepto, atualmente dedicada à Nossa Senhora Auxiliadora (em latim: Auxilium christianorum). O já opaco afresco começa na parede externa do Palazzo Capranica, doado à confraternidade em 1558 pelo papa Paulo IV. A peça-de-altar, de Giambattista Ricci, e representa "Santos José e Bento de Núrsia".
  6. Capela de São Gregório Magno: a igreja anterior, neste mesmo local, dependia da igreja de San Benedetto do mosteiro de São Gregório. A peça-de-altar é "Papa Gregório I libertando as almas do Purgatório", de Baldassarre Croce; é dele também os afrescos nas paredes.
  7. Capela de Santo Agostinho e São Francisco de Assis> a peça-de-altar representa a "Virgem com Santos Francisco e Agostinho", de Cavalier d'Arpino.
  8. Capela de São Carlos Borromeo: a peça-de-altar, "Madona com o Menino e os Santos Carlos Borromeo, São Domingos de Gusmão, São Filipe Néri e São Félix de Cantalice", foi pintada por Guilherme Courtois, "il Borgognone.

O transepto e o altar-mor foram projetados por Martino Longhi, o Velho e Giovanni Paolo Maggi. Os afrescos da nave foram originalmente pintados por Raffaele Ferrara em 1853. A cúpula (1612) foi projetada por Giovanni Battista Contini e decorada em mármore multicolorido. por Valadier. Os pendículos estão pintados com afrescos dos "Quatro Evangelistas", obra de Giovanni Battista Ricci e, finalmente, o interior da cúpula abriga um afresco chamado "Deus Pai" por Guido Reni.

AbsideEditar

O altar-mor tem quatro colunas feitas de mármore negro africano e foi concluído em 1616 com base em desenhos de Domenico Pozzi. A peça-de-altar é uma "Santíssima Trindade" (1625), uma obra prima de Guido Reni. A obra foi encomendada pelo cardeal Ludovico Ludovisi, sobrinho do papa Gregório XV[2].

GaleriaEditar

Referências

  1. Pope Benedict XVI, Summorum Pontificum
  2. C.C. Malvasia, Vite dei pittori bolognesi, Bologna 1678