Sáurio (zoologia)

(Redirecionado de Sauria)
Como ler uma infocaixa de taxonomiaSauria
Ocorrência: GuadalupianPresent, 265.8–0 Ma
Saurian diversity.png
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Clado: Neodiapsida
Clado: Sauria
Classe: Reptilia
Grupos incluídos
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Sáurio (zoologia)

O clado Sauria era tradicionalmente uma subordem de lagartos (e também crocodilianos, antes de 1800). Foi redefinido como o grupo que contém o mais recente ancestral comum dos arcossauros e lepidossauros e todos os seus descendentes; [1] como tal, era comum dizer designa-lo como um grupo coroa de diápsidos.[2] No entanto, estudos genômicos recentes[3][4][5] e estudos abrangentes do registro fóssil[6] sugerem que as tartarugas estão intimamente relacionadas aos arcossauros, não aos pararepteis como se pensava anteriormente. Sauria pode ser visto, então, como um grupo coroado de todos os répteis modernos (incluindo aves) dentro do grupo total maior Sauropsida, que também contém vários grupos de répteis basais.

SistemáticaEditar

SinapomorfiasEditar

As sinapomorfias ou caracteres que unem o clado Sauria também ajudam a distingui-los dos sáurios basais em Diapsida ou répteis basais no clado Sauropsida nas seguintes categorias, com base nas seguintes regiões do corpo:[7][8][9]

  • Região Cefálica
    • Origem dorsal da musculatura temporal
    • Perda da região caniniforme na fileira dentária superior
    • Narinas externas próximas à linha média
    • Pós-parietal ausente
    • Osso escamosal restrito principalmente ao topo do crânio
    • O flange occipital do escamosal é pouco exposto
    • Processo anterior do escamosal estreito
    • Osso quadrado exposto lateralmente
    • Processo do estribo não-ossificado dorsalmente
    • Estribo delgado
  • Região do Tronco
    • Costelas sacrais orientadas lateralmente
    • Fusão ontogenética das costelas caudais
    • Costelas do tronco, principalmente de cabeça simples
  • Região Peitoral
  • Região Pélvica
  • Região Límbica
    • Perda de ossos tubulares
    • Forame entepicondilar ausente
    • Rádio tão longo quanto a ulna
    • Carpo e tarso proximais pequenos
    • Quinto tarso distal ausente
    • Metatarso curtos e grossos em forma de gancho
    • Forame da mão ausente

No entanto, alguns desses caracteres podem ser perdidos ou modificados em várias linhagens, principalmente entre aves e tartarugas.[7]

FilogeniaEditar

O cladograma mostrado abaixo segue o resultado mais provável encontrado por uma análise das relações das tartarugas usando evidências fósseis e genéticas por M.S. Lee, em 2013. Este estudo descobriu que o Eunotossauro, geralmente considerado um parente da tartaruga, é apenas muito distante das tartarugas do clado Parareptilia.


Diapsida

Araeoscelidia  


Neodiapsida

Claudiosaurus  




Younginiformes  


Sauria

Lepidosauromorpha 


 Archosauromorpha


Choristodera 




Prolacertiformes  





Trilophosaurus 



Rhynchosauria 




Archosauriformes 





 Pantestudines 

Eosauropterygia 




Placodontia 




Sinosaurosphargis




Odontochelys


 Testudinata 

Proganochelys



Testudines 













O cladograma abaixo segue o resultado mais provável encontrado por outra análise das relações das tartarugas, esta usando apenas evidências fósseis, publicada por Rainer Schoch e Hans-Dieter Sues em 2015. Este estudo descobriu que o Eunotossauro é uma verdadeira tartaruga-tronco inicial, embora outro versões da análise encontraram suporte fraco para ele como um pararéptil.[10]

Sauria

Archosauromorpha  


 

Lepidosauromorpha || rowspan=2 style="border: 0; padding: 0;" |




Kuehneosauridae 


Lepidosauria

Squamata 



Rhynchocephalia 




 Pantestudines 
Sauropterygia

Eosauropterygia 




†'Sinosaurosphargis



Placodontia 






Eunotosaurus




Pappochelys 




Odontochelys


 Testudinata 

Proganochelys



Testudines 










Referências

  1. Gauthier, J. A., Kluge, A. G., & Rowe, T. (1988). The early evolution of the Amniota. The phylogeny and classification of the tetrapods, 1, 103-155.
  2. Ezcurra, Martín D.; Scheyer, Torsten M.; Butler, Richard J. (27 de fevereiro de 2014). «The Origin and Early Evolution of Sauria: Reassessing the Permian Saurian Fossil Record and the Timing of the Crocodile-Lizard Divergence». PLoS ONE. 9 (2). ISSN 1932-6203. PMC 3937355 . PMID 24586565. doi:10.1371/journal.pone.0089165 
  3. Wang, Zhuo; Pascual-Anaya, Juan; Zadissa, Amonida; Li, Wenqi; Niimura, Yoshihito; Huang, Zhiyong; Li, Chunyi; White, Simon; Xiong, Zhiqiang (2013). «The draft genomes of soft–shell turtle and green sea turtle yield insights into the development and evolution of the turtle–specific body plan». Nature genetics. 45 (6): 701–706. ISSN 1061-4036. PMC 4000948 . PMID 23624526. doi:10.1038/ng.2615 
  4. Crawford, Nicholas G.; Faircloth, Brant C.; McCormack, John E.; Brumfield, Robb T.; Winker, Kevin; Glenn, Travis C. (16 de maio de 2012). «More than 1000 ultraconserved elements provide evidence that turtles are the sister group of archosaurs». Biology Letters. 8 (5): 783–786. ISSN 1744-9561. doi:10.1098/rsbl.2012.0331 
  5. Jarvis, Erich D.; Mirarab, Siavash; Aberer, Andre J.; Li, Bo; Houde, Peter; Li, Cai; Ho, Simon Y. W.; Faircloth, Brant C.; Nabholz, Benoit (12 de dezembro de 2014). «Whole-genome analyses resolve early branches in the tree of life of modern birds». Science (New York, N.Y.). 346 (6215): 1320–1331. ISSN 0036-8075. PMC 4405904 . PMID 25504713. doi:10.1126/science.1253451 
  6. Lee, M. S. Y. (2013). «Turtle origins: insights from phylogenetic retrofitting and molecular scaffolds». Journal of Evolutionary Biology (em inglês). 26 (12): 2729–2738. ISSN 1420-9101. doi:10.1111/jeb.12268 
  7. a b Pough, F. H., Janis, C. M., & Heiser, J. B. (2005). Vertebrate life. Pearson/Prentice Hall.
  8. Laurin, Michel and Jacques A. Gauthier. 2011. Diapsida. Lizards, Sphenodon, crocodylians, birds, and their extinct relatives. Version 20 April 2011. http://tolweb.org/Diapsida/14866/2011.04.20 in The Tree of Life Web Project, http://tolweb.org/
  9. Laurin, Michel and Jacques A. Gauthier. 2011. Autapomorphies of Diapsid Clades. Version 20 April 2011. http://tolweb.org/accessory/Autapomorphies_of_Diapsid_Clades?acc_id=465 in The Tree of Life Web Project, http://tolweb.org/
  10. Schoch, Rainer R.; Sues, Hans-Dieter (24 June 2015). «A Middle Triassic stem-turtle and the evolution of the turtle body plan». Nature. 523 (7562): 584–587. PMID 26106865. doi:10.1038/nature14472  Verifique data em: |data= (ajuda)


  Este artigo sobre animais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.