Segunda Batalha de Clúsio (82 a.C.)

Disambig grey.svg Nota: Não confundir com a Primeira Batalha de Clúsio, também em 82 a.C..
Segunda Batalha de Clúsio
Segunda Guerra Civil de Sula
Data setembro de 82 a.C.
Local Clúsio, Itália
Desfecho Vitória dos optimates
Beligerantes
República Romana Optimates República Romana Populares
Comandantes
República Romana Cneu Pompeu Magno República Romana Caio Carrinas
República Romana Caio Márcio Censorino
Forças
Desconhecido 30 000 legionários
Baixas
Leves 20 000 mortos
Clúsio está localizado em: Itália
Clúsio
Localização de Clúsio no que é hoje a Itália

A Segunda Batalha de Clúsio foi travada em setembro de 82 a.C. entre as forças optimates, comandadas por Pompeu, as populares, lideradas por Caio Carrinas e Caio Márcio Censorino, já no final da Segunda Guerra Civil de Sula. Já bastante desmoralizados por sucessivas derrotas, os populares foram novamente derrotados.

BatalhaEditar

Depois das derrotas em Favência e Fidência, o comandante popular Cneu Papírio Carbão já estava bastante desmoralizado e, apesar de estar à frente de uma força de 30 000 homens perto de Clúsio, das legiões de Lúcio Júnio Bruto Damásipo e de contingentes samnitas e lucanos, acabou fugindo para a África. As tropas que estavam em Clúsio foram colocadas sob o comando de Carrinas e do general Caio Márcio Censorino. Aproveitando a confusão, Pompeu atacou e os populares perderam cerca de dois-terços de suas forças. Os sobreviventes fugiram para se juntarem ao exército de Damásipo[1]. Nesta batalha se destacaram dois tenentes de Pompeu, Públio Servílio Vácia e seu irmão, cujo nome é desconhecido[2].

Referências

  1. Apiano, Guerras Civis I, 92.
  2. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Sula 28, 8.

BibliografiaEditar