Seleção Espanhola de Futebol

equipe que representa a Espanha nas competições internacionais e continentais da UEFA e FIFA

A Seleção Espanhola de Futebol é organizada pela Real Federação Espanhola de Futebol. É uma das confederações fundadoras da FIFA e um dos países com mais participações em Copas do Mundo. Entre os seus títulos, destacam-se a Copa do Mundo de 2010, os campeonatos europeus de futebol de 1964, 2008 e 2012 e a medalha de ouro nas Olimpíadas de 1992, além de outras três de prata em 2000, 2020 e 1920. Em 1999 a Seleção Espanhola Sub-20 ganhou o Campeonato Mundial Sub-20, realizado na Nigéria. Nesse mesmo ano conquistou a medalha de ouro na Universíada. Em 1991, 2003 e 2007 obteve o segundo lugar no Campeonato Mundial Sub-17. A Espanha é uma potência do futsal, sendo a bicampeã do mundo em 2000 e 2004.

Espanha
Spain National Football Team badge.png
Alcunhas?  La Roja (A Vermelha)
La Furia (A Fúria)
La Furia Roja (A Fúria Vermelha)
La Selección (A Seleção)
Associação Real Federación Española de Fútbol
Confederação UEFA (Europa)
Material desportivo?  Alemanha Adidas
Treinador Espanha Luis Enrique
Capitão Sergio Busquets
Mais participações Sergio Ramos (180)
Melhor marcador?  David Villa (59)
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

História no futebolEditar

A primeira vez em que a Espanha fez uma campanha de destaque no futebol foi em 1920, quando ganhou a medalha de prata nos Jogos Olímpicos.

Em 1964, jogando em casa, conquistou seu primeiro título, a Eurocopa.

Quase vinte anos depois, em 1982, a Espanha sediaria uma Copa do Mundo e seria eliminada na segunda fase.

Em 1992, novamente em casa, a Espanha conquistaria a inédita medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Barcelona.

Em 2000 nos Jogos Olímpicos de Sydney, o jovem destaque Xavi Hernández levaria os espanhóis a mais uma medalha de prata.

Era Vicente Del BosqueEditar

O início da Fúria

Em 2005, sob o comando do compatriota Luis Aragonés, a Espanha modificou sua forma de jogar futebol e conseguiu se classificar de forma segura para a Copa do Mundo da Alemanha em 2006, com um time recheado de jovens promessas como Cesc Fàbregas, David Villa, Fernando Torres, Andrés Iniesta, Xabi Alonso, Xavi, Puyol e Iker Casillas, além do consagrado e experiente Raúl.

Na Copa do Mundo de 2006 a Espanha foi bem para um time tão jovem. Com muita velocidade e passes precisos, mas ainda faltando um pouco de entrosamento e experiência, os espanhóis passaram de fase e enfrentaram a poderosa França de Zinédine Zidane e Thierry Henry nas oitavas de final. Apesar de entrar desacreditado, o time espanhol se postou bem em campo, fazendo com que a partida fosse bem disputada e agradou ao público, que aplaudiu o time espanhol na saída de campo mesmo com a derrota.

Dois anos mais tarde a Espanha conquistou o título da Eurocopa derrotando a Alemanha na final por 1 a 0, com gol marcado por Fernando Torres.

Após o título, o técnico Luis Aragonés deixou a seleção e Vicente del Bosque assumiu. Sob o comando de Del Bosque, a base deixada por Aragonés foi mantida e a Espanha logo passou a demonstrar um futebol muito forte, que pregava pelo domínio da posse de bola diante dos rivais.

Em 2009 a Espanha chegou como favorita ao título da Copa das Confederações. Após uma classificação sem dificuldades na fase de grupos, os espanhóis foram surpreendidos pelos Estados Unidos e foram eliminados da competição, ficando com o terceiro lugar.

O título mundial

Com um time badalado e seguindo o projeto de Vicente Del Bosque, a Espanha chegou à África do Sul como candidata ao título mundial. Na primeira rodada os espanhóis foram pegos de surpresa e foram derrotados pela Suíça por 1 a 0. Apesar da derrota na estreia, a "Fúria" conseguiu se recuperar e fechou a fase de grupos com duas vitórias sobre Honduras e Chile.

Nas oitavas de final a Espanha envolveu e dominou o Portugal de Cristiano Ronaldo. Apesar do placar apertado de 1 a 0, o domínio foi amplamente espanhol e os portugueses não deram um susto sequer durante a partida. O gol foi marcado por David Villa.

Nas quartas de final contra o Paraguai o desfecho foi o mesmo: domínio amplo do time espanhol e vitória com placar apertado de 1 a 0 com gol de David Villa.

Na semifinal uma vitória apertada novamente sobre a Alemanha, com decisivo do zagueiro Puyol.

Na final o meia Iniesta se consagra como ídolo máximo da Seleção Espanhola após marcar o gol da vitória apertada de 1 a 0 sobre a Holanda na prorrogação. Tal feito faz com que Iniesta seja aplaudido em quease todos os estádios do território espanhol.

Além do título, o atacante David Villa foi um dos artilheiros do mundial com 5 gols marcados, Casillas foi eleito o melhor goleiro e Del Bosque; o melhor técnico.

A formação que conquistou o título inédito era: Casillas, Puyol, Piqué, Sergio Ramos, Capdevila; Xabi Alonso, Xavi, Iniesta, Fábregas; David Villa e Fernando Torres.

Bicampeonato Europeu

Em 2012, praticamente com a mesma formação, a Espanha levanta o troféu de bicampeã consecutiva da Eurocopa, desta vez goleando a Itália por 4 a 0 na final. O meia Iniesta foi eleito o Bola de Ouro da competição (Melhor jogador), o atacante Fernando Torres foi artilheiro com 4 gols e Del Bosque foi novamente o melhor técnico.

Fracasso no Brasil

Na Copa das Confederações FIFA 2013 no Brasil, a Espanha, favorita ao título, chegou à decisão depois de golear o Taiti por 10 a 0 e eliminar a Itália nos pênaltis, mas acabou derrotada pelos donos da casa por 3 a 0 no Maracanã.

Na estreia pela Copa do Mundo FIFA 2014, a Espanha foi goleada pela Holanda na Arena Fonte Nova, por 5 a 1, num dia iluminado de Arjen Robben e Robin van Persie. Na segunda rodada, perdeu para o Chile por 2 a 0. Já eliminada, a Espanha venceu a Austrália por 3 a 0 e se despediu do Mundial.

Eliminação na Euro e fim da era del Bosque

Na Eurocopa de 2016 a Espanha foi derrotada pela Croácia de virada, por 2 a 1, na terceira rodada, e terminou a fase de grupos em segundo lugar. Nas oitavas de final foi eliminada pela Itália por 2 a 0.

Após a eliminação, Vicente Del Bosque deixou o comando da Seleção Espanhola depois de 8 anos no cargo. Em seu lugar assumiu o também compatriota Julen Lopetegui.

Era pós-Del BosqueEditar

Demissão e nova eliminação

Reformulada, a Espanha teve bom desempenho nas Eliminatórias para a Copa do Mundo FIFA de 2018 e se classificou para o Mundial invicta. Depois disso, a seleção espanhola chegou a ser apontada como uma dos favoritas ao título mundial.

Mas, apenas dois dias antes da Copa começar, a Federação Espanhola demitiu o técnico Julen Lopetegui. O motivo da demissão foi que o treinador acertou com o Real Madrid para assumir o clube após a Copa, o que não agradou a Federação.

Com a demissão do técnico, a Espanha, de favorita, passou a ser uma incógnita para a Copa de 2018. O ex-jogador Fernando Hierro foi escolhido para ser o técnico da equipe no Mundial.

Na Copa, a Espanha estreou fazendo um grande jogo com Portugal, que terminou empatado em 3 a 3. Depois, a Espanha teve dificuldades diante do Irã, mas conseguiu vencer por 1 a 0. No terceiro jogo, a Espanha quase foi derrotada pelo Marrocos, mas conseguiu empatar em 2 a 2, garantindo a classificação para a próxima fase.

Nas oitavas de final, a Espanha enfrentou a Rússia, dona da casa. A Espanha era considerada favorita no jogo, mas a partida terminou só empatada em 1 a 1, forçando a disputa por pênaltis. Os russos venceram por 4 a 3 nos pênaltis, eliminando a Espanha do Mundial.

Após a eliminação, o meia Iniesta, campeão mundial em 2010, anunciou sua aposentadoria da seleção. O técnico Fernando Hierro também deixou a equipe.

Desempenho em competiçõesEditar

Desempenho na Copa do Mundo
Ano Fase J V E[d][v] D GP GC
  1930 Não participou - - - - - -
  1934 Quartas de final 3 1 1[d] 1 4 3
  1938 Se retirou - - - - - -
  1950 [ii] 6 3 1 2 10 12
  1954 Não participou - - - - - -
  1958 Não participou - - - - - -
  1962 1ª fase 3 1 0 2 2 3
  1966 1ª fase 3 1 0 2 4 5
  1970 Não participou - - - - - -
  1974 Não participou - - - - - -
  1978 1ª fase 3 1 1 1 2 2
  1982 2ª fase 5 1 2 2 4 5
  1986 Quartas de final 5 3 1[d] 1 11 4
  1990 Oitavas de final 4 2 1[d] 1 6 4
  1994 Quartas de final 5 2 2[d] 1 10 6
  1998 1ª fase 3 1 1 1 8 4
   2002 Quartas de final 5 3 2[d] 0 10 5
  2006 Oitavas de final 4 3 0 1 9 4
  2010 Campeão 7 6 0 1 8 2
  2014 1ª fase 3 1 0 2 4 7
  2018 Oitavas de final 4 1 3[d] 0 7 6
  2022 Classificado
    2026 A definir
Total 1 título 59 29 12 18 92 67
Desempenho na Eurocopa
Ano Fase J V E[d][v] D GP GC
  1960 Se retirou** - - - - - -
  1964 Campeão 2 2 0 0 4 2
  1968 Não participou - - - - - -
  1972 Não participou - - - - - -
  1976 Não participou - - - - - -
  1980 1ª fase 3 0 1 2 2 4
  1984 Final 5 1 3[v] 1 4 5
  1988 1ª fase 3 1 0 2 3 5
  1992 Não participou - - - - - -
  1996 Quartas de final 4 1 3[d] 0 4 3
   2000 Quartas de final 4 2 0[d] 2 7 7
  2004 1ª fase 3 1 1 1 2 2
   2008 Campeão 6 5 1 0 12 3
   2012 Campeão 6 4 2 0 12 1
  2016 Oitavas de final 4 2 0 2 5 4
  2020 Terceiro lugar 6 2 4 0 13 6
Total 3 títulos 45 21 14 10 67 41

|}

Desempenho na Copa das Confederações
Ano Posição J V E D GP GC
  1992 Não participou - - - - - -
  1995 Não participou - - - - - -
  1997 Não participou - - - - - -
  1999 Não participou - - - - - -
   2001 Não participou - - - - - -
  2003 Não participou - - - - - -
  2005 Não participou - - - - - -
  2009 Terceiro lugar 5 4 0 1 11 4
  2013 Segundo lugar 5 3 1 1 15 4
  2017 Não participou - - - - - -
Total 0 título 10 7 1 2 26 8
  • v. ^ Indica empate incluindo jogos eliminatórios decididos nos pênaltis ou em prorrogações em que a Espanha se classificou.
  • d. ^ Indica empate incluindo jogos eliminatórios decididos nos pênaltis ou em prorrogações em que a Espanha foi desclassificada.
  • ii. ^ Não houve uma final oficial na Copa do Mundo de 1950. O campeão do torneio era decidido por um grupo final de quatro seleções (Uruguai, Brasil, Suécia e Espanha). Contudo, a vitória uruguaia de 2 a 1 sobre o Brasil (na partida conhecida como Maracanaço) era a partida decisiva e também a última do torneio. Por isso, o confronto é frequentemente classificado como "a final" da Copa do Mundo de 1950.
  • *: A Espanha se retirou da Copa do Mundo FIFA de 1938 em virtude da Guerra Civil que ocorria no país na época.
  • **: A Espanha se retirou da Eurocopa de 1960 pois se negou a enfrenar a Seleção Soviética, por ordem do governo do ditador Francisco Franco.

Elenco atualEditar

Os seguintes 26 jogadores foram convocados para a Copa do Mundo FIFA de 2022 no Qatar.

Atualizado até 19 de Novembro de 2022

Nome Posição Clube
Unai Simón Goleiro   Athletic Bilbao
Robert Sánchez Goleiro   Brighton & Hove Albion
David Raya Goleiro   Brentford
Pau Torres Zagueiro   Villarreal
Eric García Zagueiro   Barcelona
Aymeric Laporte Zagueiro   Manchester City
César Azpilicueta Lateral-direito   Chelsea
Dani Carvajal Lateral-direito   Real Madrid
Jordi Alba Lateral-esquerdo   Barcelona
Alejandro Balde Lateral-esquerdo   Barcelona
Hugo Guillamón Volante   Valencia
Rodri Volante   Manchester City
Sergio Busquets Volante   Barcelona
Koke Meio-campo   Atlético de Madrid
Pedri Meio-campo   Barcelona
Gavi Meio-campo   Barcelona
Carlos Soler Meio-campo   Paris Saint-Germain
Marcos Llorente Meio-campo   Atlético de Madrid
Marco Asensio Ponta   Real Madrid
Dani Olmo Ponta   RB Leipzig
Nico Williams Ponta   Athletic Bilbao
Ansu Fati Ponta   Barcelona
Yeremi Pino Ponta   Villarreal
Ferran Torres Ponta   Barcelona
Pablo Sarabia Ponta   Paris Saint-Germain
Álvaro Morata Centroavante   Atlético de Madrid
Luis Enrique Treinador

Notáveis jogadoresEditar

EstatísticasEditar

Negrito: Jogadores ainda em atividade

Jogadores com mais partidasEditar

Atualizado em 2 de Junho de 2022[6]

# Nome Período Jogos Gols
1 Sergio Ramos 2005-atual 180 23
2 Iker Casillas (Goleiro) 2000-2016 167 0
3 Sergio Busquets 2009-atual 134 2
4 Xavi 2000-2014 133 12
5 Andrés Iniesta 2006-2018 131 14
6 Andoni Zubizarreta (Goleiro) 1985-1998 126 0
7 David Silva 2006-2018 125 35
8 Xabi Alonso 2003-2014 114 16
9 Cesc Fàbregas 2006-2016 110 15
Fernando Torres 2003-2014 110 38

Maiores goleadoresEditar

Atualizado em 2 de Junho de 2022[7]

# Nome Período Gols Jogos
1 David Villa 2005-2017 59 98
2 Raúl 1996-2006 44 102
3 Fernando Torres 2003-2014 38 110
4 David Silva 2006-2018 35 125
5 Fernando Hierro 1989-2002 29 89
6 Fernando Morientes 1998-2007 27 47
7 Álvaro Morata 2014-atual 26 53
8 Emilio Butragueño 1984-1992 26 69
9 Sergio Ramos 2005-atual 23 180
10 Alfredo di Stéfano 1957-1961 23 31

TreinadoresEditar

Nome Período Jogos Vitórias Empates Derrotas Gols feitos Gols sofridos % Média
Robson Alendorf 1920 5 4 0 1 9 5 80.00%
Julián Ruete 1921-1922 4 4 0 0 11 2 100.00%
José Ángel Berraondo 1921-1928 6 2 3 1 14 12 33.33%
Manuel Castro González 1921-1927 10 9 0 1 21 7 90.00%
José María Mateos 1922-1933 23 16 3 4 64 24 69.56%
Salvador Díaz Iraola 1922 1 1 0 0 4 0 100.00%
Luis Argüello Brage 1923 2 1 0 1 3 1 50.00%
Pedro Parages 1923-1924 3 1 1 1 3 1 33.33%
José García Cernuda 1923-1924 2 1 1 0 3 0 50.00%
Luis Colina Álvarez 1924 1 1 0 0 2 1 50.00%
José Rosich Rubiera 1924 1 1 0 0 2 1 50.00%
Julián Olave Videa 1924 1 1 0 0 2 1 50.00%
Fernando Gutiérrez Alzaga 1925 3 3 0 0 6 0 100.00%
Ricardo Cabot Montalt 1925 2 2 0 0 2 0 100.00%
Ezequiel Montero Román 1926-1927 4 3 0 1 9 5 75.00%
Fred Pentland 1929 1 1 0 0 ? ? 100.00%
Amadeo García 1934-1936 12 6 2 4 30 15 50.00%
Eduardo Teus López 1941-1942 6 3 2 1 15 10 50.00%
Jacinto Quincoces 1945 2 1 1 0 6 4 50.00%
Luis Casas Pasarín 1946 1 0 0 1 0 1 0.00%
Pablo Hernández Coronado 1947-1962 6 2 0 4 9 10 33.33%
Guillermo Eizaguirre 1948-1956 19 8 6 5 40 33 42.10%
Félix Quesada 1951 3 1 2 0 9 6 33.33%
Luis Iceta 1951 3 1 2 0 9 6 33.33%
Paulino Alcántara 1951 3 1 2 0 9 6 33.33%
Ricardo Zamora 1952 2 1 1 0 6 0 50.00%
Pedro Escartín 1952-1961 12 7 3 2 18 10 58.33%
Luis Iribarren Cavanilles 1953-1954 4 1 2 1 8 6 25.00%
Ramón Melcón Bartolomé 1955 2 0 1 1 2 3 0.00%
José Luis del Valle 1955 1 1 0 0 3 0 100.00%
Emilio Jiménez Millas 1955 1 1 0 0 3 0 100.00%
Juan Touzón Jurjo 1955 1 1 0 0 3 0 100.00%
Manuel Meana 1957-1959 12 7 3 2 35 16 58.33%
José Luis Costa 1959-1960 12 8 0 4 35 21 66.66%
José Luis Lasplazas 1959-1960 12 8 0 4 35 21 66.66%
Ramón Gabilondo 1959-1960 12 8 0 4 35 21 66.66%
José Villalonga 1962-1966 22 9 5 8 35 28 40.90%
Domènec Balmanya 1966-1968 10 4 3 3 11 7 36.36%
Eduardo Toba 1968-1969 4 1 2 1 5 4 25.00%
Luis Molowny 1969 4 2 1 1 3 3 50.00%
Salvador Artigas 1969 4 2 1 1 3 3 50.00%
Ladislao Kubala 1969-1980 68 30 22 16 98 59 44.11%
José Santamaría 1980-1982 24 10 8 6 31 22 41.66%
Miguel Muñoz 1982-1988 63 32 16 15 104 60 50.79%
Luis Suárez 1988-1991 27 15 4 8 55 28 55.55%
Vicente Miera 1991-1992 8 4 2 2 11 7 50.00%
Javier Clemente 1992-1998 62 36 20 6 126 43 58.06%
José Antonio Camacho 1998-2002 44 28 9 7 105 37 63.63%
Iñaki Sáez 2002-2004 23 15 6 2 44 11 65.21%
Luis Aragonés 2004-2008 54 38 12 4 99 32 70.37%
Vicente del Bosque 2008-2016 114 87 10 17 257 79 76.32%
Julen Lopetegui 2016-2018 20 14 6 0 21 2 83.34%
Fernando Hierro 2018 3 1 2 0 6 5 33.33%
Luis Enrique 2018- 38 21 12 5 23 9
TOTAL 1920-2016 682 357 160 143

UniformesEditar

1º UniformeEditar

     
 
 
2020
     
 
 
2018
     
 
 
2017
     
 
 
2016
     
 
 
2014
     
 
 
2013
     
 
 
2012
     
 
 
2011
     
 
 
2010
     
 
 
2009
     
 
 
2008
     
 
 
2006
     
 
 
2004
     
 
 
2002
     
 
 
2000
     
 
 
1998
     
 
 
1996
     
 
 
1994
     
 
 
1992
     
 
 
1991

2º UniformeEditar

     
 
 
2021
     
 
 
2018
     
 
 
2017
     
 
 
2016
     
 
 
2014
     
 
 
2013
     
 
 
2012
     
 
 
2011
     
 
 
2010
     
 
 
2009
     
 
 
2008
     
 
 
2006
     
 
 
2004
     
 
 
2002
     
 
 
2000
     
 
 
1998
     
 
 
1996
     
 
 
1994

OutrosEditar

     
 
 
3º Uniforme 2014
     
 
 
3º Uniforme 2010
     
 
 
3º Uniforme 1996
     
 
 
3º Uniforme 1994-95

GoleirosEditar

2020

     
 
 
     
 
 
     
 
 

Fornecedores esportivosEditar

Período Material esportivo
1920-1935 Nenhum
1935-1966   Deportes Cóndor
1966   Umbro[8]
1967-1981   Deportes Cóndor[9]
1981-1983   Adidas AG
1983-1991   Le Coq Sportif
1991- presente   Adidas AG

TítulosEditar

 
O técnico Vicente del Bosque levanta a taça da Copa do Mundo de 2010.
Seleção principal
MUNDIAIS
Competição Vezes Ano
Copa do Mundo 1 2010
CONTINENTAIS
Competição Vezes Ano
  Eurocopa 3 1964 , 2008 , 2012 
Seleção olímpica
EVENTOS MULTIESPORTIVOS
Competição Vezes Ano
  Jogos Olímpicos 1 1992 
  3 1920, 2000 e 2020

  Campeão invicto

Títulos de baseEditar

Seleção Sub-23Editar

Seleção Sub-21Editar

Seleção Sub-20Editar

Seleção Sub-19Editar

Seleção Sub-17Editar

EstudantisEditar

TOTAL: 34 títulos

Campanhas de destaqueEditar

Seleção Principal
Seleção Sub-21
Seleção Sub-20
Seleção Sub-17

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c «Ranking Mundial da FIFA/Coca-Cola» (em inglês). FIFA.com. 25 de agosto de 2022. Consultado em 27 de setembro de 2022 
  2. «Dinamarca vs España - Fútbol en la Red». Consultado em 21 de setembro de 2009. Arquivado do original em 9 de março de 2007 
  3. «España vs Bulgaria -». Consultado em 21 de setembro de 2009. Arquivado do original em 12 de junho de 2010 
  4. «Italia vs España - Fútbol en la Red». Consultado em 21 de setembro de 2009. Arquivado do original em 12 de junho de 2010 
  5. «Inglaterra vs España - Fútbol en la Red». Consultado em 21 de setembro de 2009. Arquivado do original em 12 de junho de 2010 
  6. «Statistics – Most-capped players». European football database. Consultado em 20 de junho de 2018 
  7. «Spain national football team goal scorers». European football database. Consultado em 20 de junho de 2018 
  8. Umbro
  9. Deportes Cóndor

Ligações externasEditar