Abrir menu principal
Islândia
Iceland FA.png
Alcunhas?  Strákarnir okkar (Nossos Garotos)
Associação Knattspyrnusamband Íslands
Confederação UEFA (Europa)
Material desportivo?  Itália Erreà
Treinador Suécia Erik Hamrén
Capitão Aron Gunnarsson
Mais participações Rúnar Kristinsson (104)
Melhor artilheiro Eidur Gudjohnsen (26)
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

A Seleção Islandesa de Futebol representa a Islândia nas competições de futebol da UEFA e da FIFA. Seu principal jogador foi Eiður Guðjohnsen, com passagens por PSV Eindhoven, Chelsea e Barcelona e atualmente no futebol da China. Embora tenha declarado que se aposentaria da seleção em 2013, aceitou ser convocado para ajudar a seleção islandesa a buscar a inédita vaga para Eurocopa nas eliminatórias de 2015. Depois de tudo isso os jogos mais lembrados dos "Strákarnir okkar" ocorreu em 24 de abril de 1996, contra a Estónia, quando Arnór Guðjohnsen, então com 35 anos e que jogava na Suécia, deixou o campo para que seu filho Eiður, à época com apenas 17 anos, entrasse em seu lugar. Este jogo tornou-se o primeiro em que pai e filho atuaram por uma seleção.

Outra partida notável da Islândia aconteceu em 2004, quando a equipe recebeu a Itália em amistoso e superou a Squadra Azzurra por 2–0 no estádio de Laugardalsvöllur. 20.204 torcedores acompanharam o jogo (recorde de público no país).

No dia 6 de setembro de 2015, a Seleção Islandesa conseguiu um importante feito ao obter a classificação para a Eurocopa pela primeira vez. A vaga foi conquistada após empate com o Cazaquistão. A equipe fez campanha surpreendente, com direito a vitória em cima dos Países Baixos, em partida disputada em Amsterdã. Com isso, a Islândia se tornou o menor país da história a se classificar para um torneio de futebol de grande porte. Também é o primeiro (e por enquanto único) com população inferior a 1 milhão de habitantes a conseguir o feito.[3] E em 9 de outubro de 2017, embalada pela sua ascensão no futebol europeu consegue pela 1ª vez em sua história se classificar para uma Copa do Mundo, após bater o Kosovo. Antes disso, a ocasião em que esteve mais perto de se classificar em sua história foi nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, onde perdeu a vaga no play-off para a Croácia, empatando no jogo de ida por 0–0 em casa, e perdendo no jogo de volta na Croácia por 2–0.

Índice

HistóriaEditar

Entre 1990 a 1998, a seleção nacional tinha entre 55% e 73% dos seus jogadores atuando no país. Em 2016, todos os seus jogadores atuavam no exterior.[4]

A evolução do futebol na Islândia começou no início da década de 1990 com uma série de investimentos feitos no país em melhorias das condições de treinamento, campos aquecidos, e na formação de treinadores com currículos da UEFA. Depois disso e com profissionais qualificados, começou a formação de jogadores qualificados, que, por sua vez, passaram a despertar o interesse de clubes do exterior e de ligas mais fortes.[4]

A partir de 2002, a federação começou a mudar o currículo dos treinadores, promover mais seminários e os colocar no sistema de avaliação da UEFA. Os clubes também abraçaram a ideia e entraram numa comoietição particular para terem profissionais cada vez mais qualificados. Paralelo a esse investimento, a federação criou um sistema de licenças para os clubes do país poderem jogar os campeonatos. Auditorias financeiras passaram a ser constantes, assim como a cobrança por transparência, a partir de 2003.[5]

A classificação para o Campeonato Europeu sub-21 de 2011 pode ser considerado o primeiro grande feito desta seleção. Aquela foi a primeira vez que a Islândia disputou uma competição da categoria. Seis jogadores dessa geração participaram da campanha na Eurocopa 2016.[5]

Participação na Eurocopa de 2016Editar

Em sorteio realizado no dia 12 de Dezembro de 2015, a Seleção Islandesa conheceu seus adversários na primeira fase da EURO 2016. Os "Strákarnir okkar" (Nossos Garotos) caíram no grupo F, junto com Portugal, Hungria e Áustria.

A seleção se classificou para a Eurocopa 2016 com uma rodada de antecedência. A vaga na Euro foi comemorada depois de uma campanha heroica em que os islandeses superaram seleções muito mais tradicionais. Venceram a República Tcheca e a Turquia em casa e derrotaram duas vezes os Países Baixos.[5]

A Seleção Islandesa estreou na competição, no dia 14 de junho, no estádio Geoffroy-Guichard em Saint-Étienne, contra a Seleção Portuguesa. Em jogo disputado, o placar terminou em 1 x 1. Foi um jogo histórico para os Islandeses, que marcaram ali seu primeiro gol na história da competição. O meia Birkir Bjarnason marcou aos 5 minutos da segunda etapa, entrando pra história do futebol islandês.

No segundo jogo enfrentou a Hungria, repetindo o placar do primeiro jogo, empatando em 1 x 1. O Gol Islandês foi feito por Gylfi Sigurdsson, aos 39 da primeira etapa.

Já no terceiro jogo, dessa vez, diante da Seleção Austríaca, os islandeses alcançaram sua primeira vitória na Euro 2016. Um feito histórico para os islandeses, que conquistavam ali sua primeira vitória na história da competição. Em um jogo emocionante, os nórdicos venceram por 2 x 1. Jogo realizado no estádio Vélodrome em Marseille. Com gols de Bödvarsson, aos 17 da primeira etapa e Traustason no último minuto de jogo, a seleção islandesa selava sua classificação inédita para as oitavas da Euro 2016.

Porém, já pelas oitavas da competição, em 27 de junho de 2016 o futebol islandês conquistou um feito ainda maior e, ainda, protagonizou uma verdadeira "zebra" na Eurocopa. A Islândia venceu a tradicional Inglaterra por 2 a 1, no Estádio Allianz Riviera, em Nice, na França.

A histórica vitória sobre os "inventores do futebol" foi de virada. Os gols foram marcados por Ragnar Sigurdsson, aos 5 minutos do primeiro tempo, e Sigthorsson, aos 18 da primeira etapa. Rooney marcou para os ingleses logo aos 3 minutos de jogo.

A Islândia, dos técnicos Heimir Hallgrimsson e Lars Lagerbäck, entrou em campo com Halldórsson, Saevarsson, R. Sigurdsson, Árnason e Skúlason; Gunnarsson, G. Sigurdsson, Gudmundsson e Bjarnason; Sigthórsson (Bjarnason) e Bödvarsson (Traustason).

Ao vencer a Inglaterra, credenciou-se para disputa das quartas-de-final contra os anfitriões do torneio, a França.

Após o jogo, o ex-atacante inglês Gary Lineker publicou em seu Twitter[6]:

Esta foi a pior derrota da nossa história. Inglaterra foi derrotada por um país com mais vulcões que jogadores profissionais de futebol. Bem jogado, Islândia.[6]
 

Após esse incrível feito, a incrível campanha islandesa parou diante da dona da casa, a França. Goleada por 5 a 2, os "nossos garotos" terminavam sua linda história na Euro 2016.

A equipe da Islândia, deu ao mundo do futebol o seu famoso "aplauso viking" que é hoje feito por diversas equipas de futebol ao redor do globo.

Classificação para sua 1ª Copa do MundoEditar

Após a incrível campanha na Eurocopa de 2016, a Islândia passou a almejar algo mais para sua história: classificar-se para uma Copa do Mundo. Disputando a vaga no Grupo I das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, ao lado de Croácia, Ucrânia, Turquia, Finlândia e Kosovo, a Seleção Islandesa mais uma vez brilhou e terminou a fase classificatória na liderança do grupo, alcançando assim, pela 1ª vez em sua história uma participação em Copas do Mundo.[7] A vaga foi conquistada em 9 de outubro de 2017, em jogo contra a seleção do Kosovo onde, jogando em casa, diante de sua torcida, os Vikings venceram por 2-0, com gols de Sigurðsson e Guðmundsson, garantindo assim a classificação para a Copa do Mundo de 2018 e tornando a Islândia o país menos populoso a disputar uma Copa do Mundo em toda a história.[8]

Participações no Campeonato Europeu de FutebolEditar

  • 1960: não participou
  • 1964: não se classificou
  • 1968: não participou
  • 1972: não participou
  • 1976 a 2012: não se classificou
  • 2016: quartas de final
  • 2020: A definir

Participações em Copas do MundoEditar

  • 1930 a 1950: não participou
  • 1954: inscrição negada pela FIFA
  • 1958: não se classificou
  • 1962 a 1970: não participou
  • 1974 a 2010: não se classificou
  • 2014: eliminada na repescagem
  • 2018: eliminada na primeira fase
  • 2022: A definir
  • 2026: A definir

Fornecedora de Material EsportivoEditar

Período Fornecedora
1947–1992   Adidas
1993–2001   Reusch
2002–present   Erreà

EstatísticasEditar

Desempenho contra Outras SeleçõesEditar

  • Atualizado em 20 Junho de 2018

Equipes da UEFA:

Adversário Partidas V E D GP GC Saldo % Vitória
  Albânia 5 3 0 2 7 5 +2 60%
  Andorra 6 6 0 0 16 0 +14 100%
  Armênia 3 2 1 0 4 0 +4 67%
  Áustria 4 1 2 1 4 4 0 25%
  Azerbaijão 1 0 1 0 1 1 0 0%
  Bielorrússia 1 0 0 1 0 2 −2 0%
  Bélgica 10 0 0 10 6 32 −26 0%
  Bulgária 5 0 1 4 7 12 −5 0%
  Croácia 4 0 1 3 1 9 −8 0%
  Chipre 7 3 3 1 6 3 +3 43%
  República Checa 5 2 0 3 7 10 −3 40%
  Checoslováquia 5 0 1 4 3 11 −8 0%
  Dinamarca 21 0 4 18 14 62 −48 0%
  Alemanha Oriental 14 2 1 11 7 31 −24 14%
  Inglaterra 3 1 1 1 4 8 −4 33%
  Estónia 5 3 2 1 9 3 +6 60%
  Ilhas Faroé 25 23 1 1 70 13 +57 92%
  Finlândia 11 3 2 6 11 17 −6 20%
  França 11 0 3 8 8 30 −22 0%
  Geórgia 1 1 0 0 3 1 +2 100%
  Alemanha 4 0 1 3 1 11 −10 0%
  Grécia 3 1 0 2 3 4 −1 33%
  Hungria 11 3 1 7 11 22 −11 27%
  Irlanda 8 0 3 5 7 14 −7 0%
  Israel 3 1 1 1 6 5 +1 33%
  Itália 2 1 1 0 2 0 +2 50%
  Cazaquistão 2 1 1 0 3 0 +3 50%
  Letónia 6 2 2 2 11 11 0 33%
  Liechtenstein 6 3 2 1 12 5 +7 50%
  Lituânia 4 2 1 1 6 2 +4 50%
  Luxemburgo 7 4 3 0 10 5 +5 57%
  Macau 4 1 1 2 2 4 −2 25%
  Malta 14 10 1 3 31 10 +21 71%
   Mônaco 1 0 0 1 1 2 −1 0%
  Países Baixos 14 2 2 10 9 36 −27 14%
  Irlanda do Norte 6 4 0 2 7 6 +1 67%
  Noruega 33 7 6 20 32 62 −30 21%
  Polónia 6 0 1 5 5 13 −8 0%
  Portugal 3 0 1 2 5 9 -4 0%
  Romênia 2 0 0 2 0 8 −8 0%
  Rússia 6 1 1 4 2 8 −6 17%
  Escócia 6 0 0 6 3 12 −9 0%
  União Soviética 8 0 3 5 4 15 −11 0%
  Eslováquia 5 1 1 3 6 10 −4 20%
  Eslovênia 4 1 0 3 7 15 −8 25%
  Espanha 9 1 2 6 6 11 −5 11%
  Suécia 16 2 2 12 15 36 −21 13%
  Suíça 5 0 1 4 5 11 −6 0%
  Turquia 9 5 2 2 16 10 +6 63%
  Ucrânia 2 0 1 1 1 2 −1 0%
  País de Gales 7 1 1 5 5 13 -8 14%

Seleções de Outras Confederações

Adversário Partidas V E D GP GC Saldo % Vitória
  Bahrein 2 1 0 1 3 2 +1 50%
  Bermuda 4 3 0 1 12 7 +5 75%
  Bolívia 1 1 0 0 1 0 +1 100%
  Brasil 2 0 0 2 1 9 −8 0%
  Canadá 3 1 2 0 4 3 +1 33%
  Chile 2 0 1 1 1 3 −2 0%
  Groenlândia 2 2 0 0 5 1 +4 100%
  Índia 1 1 0 0 3 0 +3 100%
  Irã 1 0 0 1 0 1 -1 0%
  Japão 3 0 0 3 3 8 -5 0%
  Kuwait 7 2 4 1 4 3 +1 29%
  México 2 0 2 1 0 0 0 0%
  Níger 1 1 0 0 3 0 +3 100%
  Arábia Saudita 5 1 2 2 3 5 −2 20%
  África do Sul 3 2 1 0 6 2 +4 67%
  Trinidad e Tobago 1 0 0 1 0 2 −2 0%
  Tunísia 1 0 0 1 1 3 −2 0%
  Emirados Árabes Unidos 3 2 0 1 3 2 +1 67%
  Estados Unidos 7 2 2 3 9 12 -3 29%
  Uruguai 1 0 0 1 1 2 −1 0%
  Argentina 1 0 1 0 1 1 0 0%
  Gana 1 0 1 0 2 2 0 0%

JogadoresEditar

Mais PartidasEditar

  • Atualizado em 9 de Setembro de 2018

Nota: Algumas partidas não-oficiais foram contabilizadas para jogadores pre-1990, que foi quando a associação de futebol do país foi criada.

# Nome Período na ativa Partidas Gols
1 Rúnar Kristinsson 1987–2004 104 3
2 Hermann Hreiðarsson 1996–2011 89 5
3 Eiður Guðjohnsen 1996–2016 88 26
4 Guðni Bergsson 1984–2003 80 1
5 Birkir Már Sævarsson 2007– 79 1
6 Aron Gunnarsson 2008– 78 2
7 Ragnar Sigurðsson 2007– 76 3
8 Brynjar Björn Gunnarsson 1997–2009 74 4
Birkir Kristinsson 1988–2004 74 0
9 Arnór Guðjohnsen 1979–1997 74 14
10 Ólafur Þórðarson 1984–1996 72 5
11 Arnar Grétarsson 1991–2004 71 2
Árni Gautur Arason 1998–2010 71 0
12 Atli Eðvaldsson 1976–1991 70 8
13 Sævar Jónsson 1980–1992 69 1
14 Marteinn Geirsson 1971–1982 67 8
15 Eyjólfur Sverrisson 1990–2001 66 10
Emil Hallfreðsson 2005- 67 1
16 Birkir Bjarnason 2010- 69 11
Jóhann Berg Guðmundsson 2008- 66 7
Sigurður Jónsson 1983–1999 65 3
Indriði Sigurðsson 2000–2014 65 2
17 Kári Árnason 2005- 64 5
18 Helgi Sigurðsson 1993–2008 62 10

Em negrito jogadores ainda na ativa.

ArtilheirosEditar

  • Atualizado em 9 de Setembro de 2018

Nota: Algumas partidas não-oficiais foram contabilizadas para jogadores pre-1990, que foi quando a associação de futebol do país foi criada.

# Nome Período na ativa Gols Partidas Média
1 Eiður Guðjohnsen 1996–2016 26 88 0.30
2 Kolbeinn Sigþórsson 2010– 23 48 0.50
3 Gylfi Sigurðsson 2010– 20 64 0.33
3 Ríkharður Jónsson 1947–1965 17 33 0.52
4 Alfreð Finnbogason 2010- 16 54 0.29
5 Ríkharður Daðason 1991–2004 14 44 0.32
6 Arnór Guðjohnsen 1979–1997 14 73 0.19
7 Þórður Guðjónsson 1993–2004 13 58 0.22
8 Tryggvi Guðmundsson 1997–2008 12 42 0.29
Heiðar Helguson 1999–2011 12 55 0.22
10 Pétur Pétursson 1978–1990 11 41 0.27
Matthías Hallgrímsson 1968–1977 11 45 0.24
12 Helgi Sigurðsson 1993–2008 10 62 0.16
Eyjólfur Sverrisson 1990–2001 10 66 0.15
13

Birkir Bjarnason

2010- 11 69 0.14
14 Þórður Þ. Þórðarson 1951–1958 9 16 0.56
15 Teitur Þórðarson 1972–1985 9 41 0.22
17 Guðmundur Steinsson 1980–1988 8 19 0.42
Sigurður Grétarsson 1980–1992 8 46 0.17
Marteinn Geirsson 1971–1982 8 67 0.12
Atli Eðvaldsson 1976–1991 8 70 0.11

Em negrito jogadores ainda na ativa.

Elenco atualEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c FIFA.com (novembro de 2015). «Ranking Mundial da FIFA/Coca-Cola». Consultado em 11 de novembro de 2015 
  2. pt.uefa.com. «Classificação UEFA Euro 2016». Consultado em 7 de outubro de 2017 
  3. esporte.band.uol.com.br/ Conheça curiosidades da Islândia, surpresa da Euro
  4. a b oglobo.globo.com/ O conto de fadas da Islândia na Eurocopa
  5. a b c oglobo.globo.com/ Islândia, a nova sensação do futebol europeu
  6. a b oglobo.globo.com/ Lineker detona Inglaterra após vexame: ‘Islândia tem mais vulcões que jogadores’
  7. Islândia faz história e está na Copa do Mundo; Sérvia também se classifica
  8. Islândia vence, se classifica e é o país com menor população a jogar uma Copa

Predefinição:Copa do Mundo FIFA de 2018/grupos