Abrir menu principal

Wikipédia β

Seleção Tunisiana de Futebol

A Seleção Tunisiana (português brasileiro) ou Tunisina de Futebol (português europeu) representa a Tunísia nas competições de futebol da FIFA. Disputou cinco Copas do Mundo em sua história (1978, 1998, 2002, 2006 e 2018).

Tunísia
Fédération Tunisienne de Football.png
Alcunhas?  Les Aigles de Carthage (As Águias de Cartago)
Associação Federação Tunisiana de Futebol
Confederação CAF (África)
Material desportivo?  Alemanha Uhlsport
Treinador Tunísia Nabil Maâloul
Capitão Yasin Chikhaoui
Mais participações Sadok Sassi (110)
Melhor artilheiro Issam Jemâa (34)
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

Índice

Participação em CopasEditar

1978: participação rápida, mas surpreendenteEditar

A primeira participação das Águias foi em 1978, na Argentina, ficando num grupo com as fortes seleções da Alemanha Ocidental (então bicampeã mundial) e da Polônia (medalha de ouro nas Olimpíadas de Munique, em 1972 e terceira colocada no Mundial anterior) e o modesto time do México. Empatou sem gols com os alemães-ocidentais, perderam de 1 a 0 para os poloneses e conseguiram um feito histórico: se tornou a primeira equipe africana a vencer um jogo de Copa ao bater o México por 3 a 1. Foi seu melhor desempenho em Copas.

1998: o retorno das ÁguiasEditar

Vinte anos depois, a Tunísia, depois de malfadadas tentativas de se classificar para os Mundiais de 1982 a 1994, volta a disputar uma Copa. Entretanto, a participação tunisiana na França foi aquém do esperado: duas derrotas (2x0 para Inglaterra e 1x0 para a Colômbia) e um empate em 1x1 com a Romênia. Apesar da rápida passagem na Copa, vários jogadores apareceram para o mundo, como Hatem Trabelsi, Riadh Bouazizi, Kaies Ghodhbane, Ali Boumnijel e até um brasileiro, Clayton, nascido no Maranhão.

2002: novo fracassoEditar

A Copa de 2002 marcaria a terceira participação tunisiana na Copa - a segunda seguida. Sem seu goleiro titular em 1998, Chokri El Ouaer, mas com Bouazizi, Trabelsi e Clayton, juntamente com outros jogadores de menos peso no cenário mundial, como Radhi Jaïdi, Ziad Jaziri, entre tantos outros, a equipe novamente fracassou na primeira fase - com a mesma campanha no Mundial da França: um empate contra a Bélgica, e derrotas para Rússia e Japão.

2006: meta de passar à segunda fase vai para o espaçoEditar

O Mundial de 2006, realizado na Alemanha, seria um tudo-ou-nada para as Águias: era a oportunidade de passar pela primeira vez à segunda fase. Mantendo Boumnijel - que foi o jogador mais velho do torneio, aos 40 anos - , Bouazizi e Trabelsi, a Tunísia (treinada pelo francêsRoger Lemerre) rechearia a equipe com jovens jogadores (casos de Chaouki Ben Saada, Haykel Guemamdia, Alaeddine Yahia, Hamed Namouchi, Hamdi Kasraoui e Sofiane Melliti) e mais um brasileiro: Francileudo Santos, também maranhense, assim como Clayton, que perdeu a chance de jogar sua terceira Copa. Mas a meta da segunda fase foi para o espaço com outra campanha de um empate (contra a Arábia Saudita) e duas derrotas (para Ucrânia e Espanha - esta última, de virada).

2010: classificação jogada no lixoEditar

A classificação para a Copa de 2010 era considerada certa para os tunisianos. Porém, uma surpreendente derrota para a fraca Seleção de Moçambique colocou tudo a perder, e a Nigéria, que brigava com as Águias pela vaga, acabou ganhando esta última. Sobrou para o treinador português Humberto Coelho, que acabou demitido após a eliminação.

Copa das Nações AfricanasEditar

2004: a apoteoseEditar

O ano de 2004 foi o melhor ano da Tunísia no cenário futebolístico. A edição daquele ano seria disputada no país, em seis cidades (Bizerta, Monastir, Radès, Sfax, Sousse e Túnis). Jogou no Grupo A, com Ruanda, Guiné e República Democrática do Congo. As Águias terminaram invictas: duas vitórias (contra Ruanda e República Democrática do Congo) e um empate com a Guiné.

Nas fases seguintes, derrotou Senegal e Nigéria (algoz nas Eliminatórias da Copa de 2010) até chegar à final contra a perigosa Seleção Marroquina. Com o gol de Jaziri, marcado aos 52 minutos de jogo, a Tunísia venceu por 2 a 1 e festejou seu único título no futebol.

Elenco atualEditar

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c FIFA.com (novembro de 2015). «Ranking Mundial da FIFA/Coca-Cola». Consultado em 11 de novembro de 2015