Semaine de la Critique

A Semana Internacional da Crítica (em francês: Semaine de la Critique) é uma mostra paralela ligada ao Festival de Cannes, assim como a Quinzena dos Realizadores. Foi fundada em 1962 e é organizada pelo Sindicato Francês de Críticos de Cinema. Foi criada após a exibição do filme The Connection dirigida por Shirley Clarke, que foi organizado pelo Sindicato Francês de Críticos de Cinema para o Festival de Cannes de 1961.[1]

Semaine de la Critique
Local Cannes
França
País França
Primeira cerimónia 1962
Sítio oficial

HistóriaEditar

É a sessão paralela não-competitiva mais antiga do Festival de Cannes. Exibe o primeiro e o segundo longa-metragens de diretores de todo o mundo e se mantém fiel à sua tradição de descoberta de novos talentos. A Semaine de la Critique foi responsável pela descoberta e estreia de projetos de cineastas como Bernardo Bertolucci, Philip Kaufman, Ken Loach, Tony Scott, Agnieszka Holland, Leos Carax, Wong Kar-Wai, Guillermo del Toro, Jacques Audiard, Arnaud Desplechin, Gaspar Noé, François Ozon, Andrea Arnold e Alejandro González Iñárritu.[2]

A Semana Internacional da Crítica apresenta uma programação muito seletiva de apenas sete longas e sete curtas-metragens em Cannes para que os filmes tenham maior visibilidade. O Grande Prémio da Semana da Crítica (Prémio Nespresso) é atribuído pela imprensa (jornalistas e críticos de cinema são convidados a votar após cada exibição da Seleção). Os longas-metragens também concorrem ao Prêmio SACD de melhor roteiro e ao Prêmio ACID que auxilia na distribuição do filme. Em 2012, o France 4 Visionary Award (Prix Revelation) foi lançado para refletir "a paixão do cinéfilo por jovens talentos" na indústria cinematográfica. Os curtas-metragens podem receber o Prêmio Canal + de melhor curta-metragem e o Prêmio Kodak Discovery. Os primeiros longas-metragens também concorrem para a Caméra d'Or.

ReferênciasEditar

  1. «Semaine de la Critique and it's mission». Semaine de la Critique. Consultado em 19 de maio de 2021 
  2. «Alejandro González Iñárritu». Britannica. Consultado em 19 de maio de 2021